Literatura em inglês com contos de Edgar Allan Poe

Envolvida pelo mistério, suspense e terror a moçada mergulhou na leitura

POR:
Anna Rachel Ferreira
Com lanternas em punho e a sala escura, os alunos exercitaram a pronúncia em inglês. Foto: Fabio Nascimento
Com lanternas em punho e a sala escura, os alunos exercitaram a pronúncia em inglês

Uma sala escura, alunos sentados em círculo e com lanternas apontadas para o queixo. O suspense está instaurado e uma narrativa quebra o silêncio: "As we stood in silence, the doors suddenly opened and a strong wind filled the room. It blew out all the candles in the room and we were left in darkness". Ficou curioso para saber o que vem a seguir? A turma do 8º ano da Escola Móbile, em São Paulo, também.

Diante da atração que essa faixa etária tem pelo terror, o docente Paulo Rogério Rodrigues trabalhou a coletânea Tales of Mystery and Imagination (72 págs., Ed. Oxford do Brasil, tel. 11/2078-3301, 43,34 reais com o CD), do norte-americano Edgar Allan Poe (1809-1849), que inclui o trecho acima. Com isso, a turma alcançou um novo patamar na leitura em inglês e praticou a escuta, a escrita e a pronúncia.

Antes de começar a leitura, o educador introduziu os alunos no clima dos textos de Poe com a música Hotel California, da banda norte-americana Eagles. Distribuiu cópias da letra e colocou a canção para tocar. Todos notaram, então, que ela descreve uma estadia em um hotel assombrado e os estudantes destacaram nas estrofes as expressões que poderiam ser relacionadas ao terror, como as vozes que atormentam o protagonista.

Na aula seguinte, a classe assistiu a uma palestra que, assim como todas as outras atividades, foi feita em inglês. O professor fez uma apresentação em powerpoint sobre a biografia de Poe, o que acontecia na época em que ele viveu e a relevância de sua obra. Os alunos tomaram notas com base em um roteiro de perguntas. "Entender o contexto em que uma obra foi criada faz com que o leitor tenha uma compreensão mais ampla sobre ela", comenta Vera Lúcia Cristóvão, doutora em Linguística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). O aluno Guilherme Rosito, 14 anos, concorda: "Já tinha lido alguns contos do Poe, mas não tinha entendido bem. Conhecer a história dele e o estilo gótico me fez ver que ele transformou o sofrimento em obras com esse lado sombrio, que eu não entendia".

Feita a contextualização inicial, chegou o momento de abrir o livro. Para cada um dos cinco capítulos, Rodrigues preparou atividades ligadas a aspectos como a interpretação do texto. Ele também propôs uma ordem diferente da apresentada na obra para facilitar a compreensão. A edição utilizada por ele, que inclui um CD com a gravação de todo o texto, é adaptada para o nível da turma. Isso possibilita a você também adequar a obra escolhida à realidade dos seus alunos.

O professor pediu que os estudantes listassem cinco temas que achavam estar presentes na obra. Baseados na palestra, eles pensaram em tuberculose, loucura, morte, sobrenatural e a era vitoriana. Só então foram orientados a ler, em casa, o primeiro capítulo: The Black Cat. Durante a leitura, tinham de destacar os trechos que tratavam dos aspectos listados.

De volta à sala, todos comentaram seus achados e seguiram para o segundo conto, The Masque of the Red Death. A proposta dessa vez foi inferir relações entre a biografia do escritor e a história narrada. Isso nem sempre dá certo, já que se trata de uma ficção. Nesse caso, o esperado era que eles falassem sobre a morte da esposa de Poe, por tuberculose. Os estudantes não só notaram isso como também surpreenderam o docente com outros achados, como o fato de as sete salas da história se relacionarem aos pecados capitais.

Escuta do CD treina o listening

A turma leu os contos e, a cada momento, fez novas análises das características da obra. Foto: Fabio Nascimento
A turma leu os contos e, a cada momento, fez novas análises das características da obra
Análises das características da obra. Ilustração: Adriana Komura
Pedro Exposito, 13 anos

 

No conto seguinte, The Fall of the House of Usher, a casa é impactada pelos sentimentos dos moradores. Para direcionar a compreensão disso e explorar o uso de adjetivos, Rodrigues pediu que metade dos alunos fizesse uma descrição objetiva da casa, e os demais, uma subjetiva. A tarefa foi individual e, no encontro posterior, em duplas, eles discutiram quais aspectos objetivos poderiam justificar os subjetivos. Por fim, fizeram um texto coletivo, unindo as informações.

Na sequência, a turma se dedicou ao texto William Wilson. Para começar, os alunos ouviram a narração da primeira parte da história no CD e anotaram o nome dos personagens. Então, se revezaram lendo em voz alta para praticar a pronúncia. Os estudantes tiveram muitas dúvidas sobre esse conto, pois não conseguiam encontrar o que havia de sobrenatural ali. Sendo assim, o educador retomou os elementos de suspense com trechos do filme O Sexto Sentido (M. Night Shyamalan, 107 min, Buena Vista Home Entertainment). Para Eliane Registro, coordenadora do curso de Letras da Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp), o uso de mídias diferentes estimula o estudante a se interessar mais pela leitura.

E chegou a vez do mais curto integrante da coletânea, The Tell-Tale Heart, quase todo lido em voz alta. Antes do desfecho, o docente pediu que todos fechassem o livro e ouvissem a narração gravada. Então, responderam a questões como "O que acontece?" e "Quem morre?". Com isso, treinaram a habilidade de listening (audição).

No fim do bimestre, a turma fez uma prova em que analisou as características dos textos e a biografia do autor. Para fechar o trabalho, cada aluno escreveu um conto aterrorizante e leu sua produção para os colegas, com o ambiente escuro e as lanternas em mãos. Ao descrever o que fez, Guilherme mostra que a classe compreendeu bem o espírito desse tipo de texto: "Tentei pegar um pouco da loucura de que o Poe falava muito. Tudo dava errado para o meu personagem. Conforme ele tentava de novo, e mais uma vez as coisas não iam bem, ele se desesperava, tinha surtos e ia ficando cada dia mais louco".

1 Conhecer o autor Introduza a temática dos contos de terror e da obra usando outras mídias, como músicas, para a aquisição de vocabulário. Em seguida, realize uma aula expositiva sobre a vida e a obra do autor e o contexto em que o livro foi produzido.

2 Ler um pouco e um pouco mais Durante o trabalho com o livro, explore as habilidades linguísticas (escrita, fala e escuta). Em sala, peça que os estudantes leiam em voz alta e, no fim, faça questões que os levem a refletir sobre o que foi lido. Instrua todos a observar elementos como as características do gênero em foco, as marcas da biografia do autor e as relações com os trechos vistos anteriormente.

3 Escrever com inspiração Proponha a produção de texto. Opções: outro fim para o que foi lido, o início de um conto de terror ou um conto amedrontador desenvolvido individual ou coletivamente, dependendo do nível da turma.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias