Ir para o conteúdo Pular para o menú principal
ANÚNCIO
Você sabia que é possível salvar matérias para ler mais tarde? Use o botão icone ler mais tarde Ler mais tarde
icone menu

Como deve ser feita a regência da palavra "devido"?

Nova Escola te ajuda a tirar dúvidas sobre a Língua Portuguesa

por:
RT
Rita Trevisan
BN
Bruna Nicolielo

Pergunta enviada por Elda Silva Santos, Toledo, PR

Há três regras básicas que precisam ser respeitadas quando se utiliza o termo “devido”:

1) Exigência da preposição “a”

Em primeiro lugar, vale saber que ele exige a preposição “a”, quando tem o sentido de “por causa de”, “por motivo de”. Exemplos:

"São Paulo parou devido às fortes chuvas"

"Devido ao excesso de peso, não pôde participar da competição"

"Foi reprovado devido às faltas".

2) Não antecede orações reduzidas de infinitivo

Quando temos duas orações que são conectadas por uma causa ou motivo, é comum pensar em ligá-las usando o “devido” como conectivo. Porém, caso a segunda oração tenha um verbo no infinitivo (ou seja, um verbo que não foi conjugado), é preferível escolher outro conectivo. Exemplos:

"Não saímos porque o mar estava agitado". Forma incorreta: "Não saímos devido o mar estar agitado"

"Não serviu o prato porque o cozinheiro errou a receita". Forma incorreta: "Não serviu o prato devido ao cozinheiro ter errado a receita".

3) Quando “devido” é adjetivo ou particípio

Nesses casos, ele deve ser flexionado, concordando em gênero e número com o substantivo a que se refere. Exemplos:

"O sermão lembrou o respeito devido aos pais"

"O sermão lembrou a gratidão devida aos pais"

"O sermão lembrou os agradecimentos devidos aos pais"

"O sermão lembrou as risadas devidas aos pais"

 

Pela existência de tantas variações, alguns escritores e gramáticos desaconselham o uso do "devido a" e preferem locuções mais comuns no nosso dia a dia, como "por causa de, em razão de, graças a, em virtude de".

 

Veja outras dicas sobre a Língua Portuguesa na página S.O.S. Português

 

Consultoria Dad Squarisi, professora do Centro Universitário de Brasília e autora de diversos livros de Língua Portuguesa.

ANÚNCIO
LEIA MAIS