Cinco ideias para iniciar a leitura

Estratégias diversas, como pedir que a turma identifique palavras conhecidas, ajudam a enfrentar os primeiros textos em inglês

POR:
NOVA ESCOLA, Camila Camilo, Bruna Nicolielo
Receitas. Ilustração: Bruno Nunes
Receitas Termos de origem inglesa que foram aportuguesados, e vice-versa, e a organização desse tipo de gênero, com palavras na mesma posição, facilitam o entendimento.
Cardápios. Ilustração: Bruno Nunes
Cardápios Termos cognatos, que possuem a mesma raiz, e frequentes no cotidiano dos alunos permitem deduzir o significado das palavras.

Após a leitura de um texto, o professor pergunta o que a garotada entendeu. Depois de minutos de hesitação, os alunos olham uns para os outros e alguns arriscam uma resposta: nada. Quem nunca se deparou com uma situação assim? No artigo Saber Ler ou Ler para Saber, a pesquisadora argentina Mirta Castedo relata um episódio semelhante para, no fim, assinalar: "Ler se aprende lendo, fazendo antecipações e confirmando-as, testando e discutindo". A afirmação vale para o aprendizado de inglês. Afinal, a cena é ainda mais comum nas primeiras aulas de Língua Estrangeira, quando a barreira linguística impõe resistência à compreensão.

Seu papel, nesse caso, é ajudar as crianças a ativar um repertório de informações que as ensine a inferir sentidos e buscar acepções corretas no dicionário. Mesmo que, a princípio, não se sinta capaz de ler, a turma deve ser desafiada a fazê-lo. Comece expondo textos simples e aumente a dificuldade das leituras progressivamente (leia exemplos de atividade nas ilustrações).

Quando lê, o aluno cria hipóteses tendo como base o que já conhece. Isso inclui o português e as palavras conhecidas de origem inglesa. Assim, ele se familiariza com a estrutura e a sonoridade da língua. "Ao aprendermos a ler o idioma, compreendemos seu léxico e seu funcionamento", explica Celina Fernandes, consultora em Língua Estrangeira. Para que o contato com o inglês seja cada vez mais presente, é importante também usá-lo na comunicação em sala (leia o quadro na próxima página). A seguir, confira cinco procedimentos indicados para vencer a resistência da turma ao novo idioma. 

Aproveitar as palavras que os alunos já sabem

Depois da primeira leitura, peça que a turma faça uma lista dos termos que conhece. Outra boa ideia é utilizar cognatos entre o português e o inglês. Termos que têm a mesma origem nas duas línguas - como special e especial e problem e problema - permitem à meninada deduzir o sentido pelo contexto. A professora Lucienne Castro utilizou essa estratégia no início do trabalho com alunos do 6º ano da EE São Sebastião, em Timóteo, a 205 quilômetros de Belo Horizonte. Ela pediu que eles trouxessem cardápios de lanchonetes do bairro onde moravam. Em sala, todos compararam os menus com um exemplar em inglês, levado por ela. "Eles notaram que várias palavras já eram conhecidas e, mais importante, conseguiam entender o conteúdo mesmo sem saber todas." 

Explorar a estrutura dos gêneros

Uma das atividades propostas por Lucienne foi a leitura de receitas. Ela levou exemplos em inglês de como preparar um smoothie. Como já conheciam textos do gênero, os alunos compararam as versões nos dois idiomas e conseguiram identificar o significado das palavras com base na posição em que estavam. Isso os ajudou, depois, a traduzir para o inglês, em duplas, as receitas em português que trouxeram de casa a pedido da professora. Além de explorar a estrutura desse gênero, o exercício permitiu que se aproximassem da língua inglesa.

Jogos e brincadeiras. Ilustração: Bruno Nunes
CLIQUE PARA AMPLIAR | Jogos e brincadeiras Regras de passatempos familiares permitem ler recordando o que já se sabe. Também possibilitam identificar conjunções e advérbios, por exemplo.

Relacionar os textos ao que já é conhecido 

Também vale propor leituras relacionadas ao universo cultural dos alunos. Lucienne apresentou um jogo para os estudantes e pediu que eles seguissem as instruções em inglês. Eles leram as regras, lembrando do que já sabiam sobre a brincadeira. Isso os ajudou, por exemplo, a identificar a função de conectivos como a conjunção and. Outra dica é ler uma versão em inglês de um conto familiar. Relembre a história já ouvida antes da leitura. Questione o título da nova versão e pergunte se ele traz informações. Compare as duas. É possível fazer leituras coletivas, interrompendo-a em alguns momentos e chamando a atenção para determinado ponto. "O professor pode destacar elementos como os personagens e o espaço", diz Celina. 

Debater o tema tratado

Antes de uma leitura, conversar sobre o tema - em inglês, lembre - pode ajudar na identificação de informações. Esse é um momento oportuno para discutir o propósito do texto. "O importante é desenvolver uma leitura ampla, que considere a função dele", diz Walkyria Monte Mór, professora da Universidade de São Paulo (USP). 

Utilizar textos ilustrados

Imagens podem funcionar como um ativador de conhecimentos prévios. "Antes de ler, peça que a garotada observe o desenho e pergunte se ele revela algo sobre o conteúdo, como os personagens ou o ambiente descrito", explica Denise Kobara, professora da Target Idiomas, em São Paulo. Interpretar as imagens é também um meio de encontrar informações específicas. Para ajudar, faça perguntas cujas respostas estejam no próprio texto.

Quando e como usar o português?
A comunicação na língua materna pode ocorrer apenas em momentos pontuais. A aula deve ser dada em inglês

A falta de domínio da língua inglesa não pode impedir que os alunos participem das aulas. Eles podem falar em português se não souberem o equivalente no novo idioma. No entanto, é preciso traduzir o que foi dito para o inglês. O mesmo vale para as respostas às perguntas deles. "Assim, dá para mostrar que os estudantes podem entender pelo contexto e pelas pistas das palavras", diz Denise Kobara, professora da Target Idiomas, em São Paulo. No início do aprendizado, o uso do português é permitido, mas somente nas explicações mais complexas.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias