Compartilhe:

PARCERIA

Instituto XP

Jornalismo

Dinheiro custa dinheiro

Plano de aula sobre Dinheiro custa dinheiro para trabalhar Educação Financeira no 4o ano e 5o ano do Ensino Fundamental

Pornovaescola

22/12/2021

Descrição do plano

Este plano contempla uma aula de 50 minutos, pode ser explorado de forma única, interdisciplinar e/ou transdisciplinar.

Nele serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com as habilidades (EF04HI03) e (EF05GE12) que constam na BNCC. Como as habilidades devem ser desenvolvidas ao longo de todo o ano, você observará que elas não serão contempladas em sua totalidade aqui e que as propostas terão continuidade em aulas subsequentes. Além disso, a sequência contempla as seguintes competências gerais da Educação Básica previstas na BNCC:  1. Conhecimento;, 2. Pensamento científico, crítico e criativo; 4. Comunicação;  7. Argumentação; 9. Empatia e cooperação.

Habilidades

  • (EF04HI03) Reconhecer a história como resultado da ação do ser humano no tempo e no espaço, com base na identificação de mudanças e permanências ao longo do tempo.
  • (EF05GE12) Identificar órgãos do poder público e canais de participação social responsáveis por buscar soluções para a melhoria da qualidade de vida (em áreas como meio ambiente, mobilidade, moradia e direito à cidade) e discutir as propostas implementadas por esses órgãos que afetam a comunidade em que vive.

Ano

  • 4o ano do Ensino Fundamental
  • 5o ano do Ensino Fundamental

Objeto de conhecimento

  • Identificação de cédulas e moedas.
  • Uso adequado do dinheiro.
  • Valor do nosso dinheiro.

Objetivos de aprendizagem

  • Reconhecer que a produção de dinheiro implica em gastos para o governo de um país.

  • Planejar ações que incentivem a população a cuidar bem das cédulas e moedas que recebem.

Competências gerais

  • 1 - Conhecimento. 
  • 2 - Pensamento científico, crítico e criativo.
  • 4 - Comunicação. 
  • 7 - Argumentação. 
  • 9 - Empatia e cooperação. 

1. Para começar

Sobre os planos de educação financeira

A educação financeira integra a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) como um dos temas transversais que deve ser explorado e trabalhado concomitante aos demais componentes curriculares. De acordo com a Base, a educação financeira não deve se restringir ao ensino cru da matemática. “Essa unidade temática favorece um estudo interdisciplinar envolvendo as dimensões culturais, sociais, políticas e psicológicas, além da econômica, sobre as questões do consumo, trabalho e dinheiro”. Pretende-se, com os planos de educação financeira, fazer os estudantes refletirem sobre ações individuais e coletivas que podem impactar sua vida e a da sociedade.

As orientações deste plano não devem ser apresentadas aos alunos, pois elas detalham as ações e trazem mais subsídios para que você, professor, se organize melhor para a realização da aula. 

Os planos de educação financeira têm como objetivo promover um trabalho inter e transdisciplinar, já que as habilidades destacadas para cada componente curricular se correlacionam com o tema transversal. 

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018a.

 

Ação prévia

Sugere-se que antes desta aula a turma já tenha trabalhado com alguma habilidade da BNCC que aborde o tema de identificação de cédulas e moedas que fazem parte do Sistema Monetário Brasileiro. Caso ela ainda não tenha sido contemplada em seu plano de trabalho, faça uma breve introdução. Você pode utilizar alguns dos materiais sugeridos a seguir e que se encontram no item Para aprofundar... e embasar seu trabalho. 

Para se aprofundar 

2. Aula

Orientações iniciais

Tempo sugerido: 50 minutos de aula.

 

Para o desenvolvimento deste plano de aula, indicamos o uso dos seguintes materiais:

Organização da aula:

Contexto

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações

Neste primeiro momento da aula, será apresentada ao aluno uma situação para que ele reflita, discuta e levante hipóteses. Durante a atividade, solicite aos alunos que levantem hipóteses e conduzam as discussões. Faça a mediação dos debates de modo a garantir a participação de todos. 

O que propor?

Leve imagens de cédulas ou moedas que estejam em más condições de uso (rasgadas, remendadas, enferrujadas ou escritas). Projete as imagens. Questione se os alunos já viram cédulas ou moedas nesse estado e o que leva as pessoas a fazer isso com o dinheiro. Pergunte também se eles sabem o que fazer caso recebam uma cédula ou moeda nesse estado. Nesse momento não traga respostas para as hipóteses dos alunos, eles irão confirmá-las ou não durante as próximas atividades.

Organize a turma em círculo e diga-lhes que irão discutur sobre algo que provavelmente todos já viram ou que alguém da família já recebeu. 

 

Você já recebeu cédulas como essas? E moedas?

Veja as imagens e converse com sua turma sobre elas:

  • Qual o estado das moedas e cédulas?
  • O que leva as pessoas a realizarem essas ações?
  • O que fazer quando receber cédulas e moedas como essas?



Sugestões de adequação 

Leve para a turma cédulas de Real que estejam em más condições de uso (rasgadas, remendadas ou escritas) e moedas enferrujadas ou quebradas. Traga outras imagens para sua turma, use recortes, por exemplo, que ajudem na discussão.

Problematização

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações

Depois do levantamento de hipóteses, pergunte para a turma se eles sabem como o dinheiro é fabricado, escute as hipóteses dos alunos e apresente trechos do vídeo: “Saiba como é fabricado o seu dinheiro - Casa da Moeda #Boravê Manual do Mundo”, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=6aolLKTHo-I. O vídeo mostra como o dinheiro é fabricado na Casa da Moeda do Brasil. Recomendamos passar o vídeo de 0:55 a 2:53 minutos. Pergunte, então, se eles sabem que fabricar dinheiro, como eles viram no vídeo, custa dinheiro.  Crie um clima de curiosidade e instigue os alunos a pensar no material, nas máquinas, nas embalagens, no transporte. Pergunte como eles podem descobrir isso. Reúna os alunos em grupos de 4 ou 5 integrantes para a leitura do material e anotação das conclusões. Lance a pergunta disparadora, distribua os materiais para os grupos  e, enquanto eles trabalham, circule pela sala verificando se está sendo produtiva a atividade e apoiando-lhes, mas sem dar respostas prontas. 

Verifique as aprendizagens dos alunos durante as produções dos cartazes e enquanto circular pela sala pergunte qual a intenção do slogan e das imagens que estão colocando, por exemplo.

O que propor? 

Em grupos, os alunos irão ler um artigo sobre o custo da fabricação do dinheiro brasileiro, anotar suas descobertas, discuti-las e elaborar um cartaz para incentivar o cuidado com as cédulas e moedas, porque, afinal, dinheiro custa dinheiro.

Quanto custa fabricar dinheiro? 

Como podemos incentivar as pessoas a conservarem notas e cédulas?

Junto com seu grupo, leia o artigo: “Fabricar dinheiro na Casa da Moeda do Brasil é até 41% mais caro do que fazer na Suécia”. 

Registre o que descobriu sobre o custo da fabricação do dinheiro em uma folha. 

Partilhe seu texto com o grupo e elabore um cartaz incentivando a população a cuidar bem e não danificar cédulas e moedas.

Seu cartaz deve ter um slogan e imagens que chamem a atenção das pessoas sobre a causa que está sendo defendida.

 

Sugestões de adequação 

Caso não consiga passar o vídeo, imprima o cartaz: “O caminho do dinheiro”, disponível em: https://www.bcb.gov.br/cedulasemoedas/caminhododinheiro

Sistematização

Tempo sugerido: 10 minutos.

O que propor?

Nesse momento os alunos irão mostrar os seus cartazes para os colegas. Peça-lhes para explicar brevemente o que registraram no cartaz. 

Após a apresentação, leve um slide com algumas conclusões sobre o tema para apresentar para os alunos. Leia as conclusões e faça comentários.

Sugestões de adequação 

Caso não seja possível projetar, anote no quadro ou em um cartaz as conclusões sobre o tema e faça os comentários.

Aprendizado

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações

Distribua tiras de papel ou notas adesivas para os grupos e coloque um cartaz no quadro: “O que eu descobri sobre o custo do dinheiro”. Os grupos devem registrar suas aprendizagens nas tiras e colar no cartaz. Comente o que os alunos escreveram e coloque o cartaz no painel da turma junto dos cartazes produzidos pelos alunos.

O que propor?

Proponha o registro das aprendizagens em tiras de papel. Os grupos devem colar em um cartaz suas anotações. É importante, nesse momento, coletar as informações dos grupos e sanar qualquer dificuldade ou dúvida que possa aparecer. O olhar atento do professor é de extrema importância.

Sugestões de adequação

Caso não consiga fazer o cartaz, peça aos alunos que anotem no caderno e expliquem para o restante da turma.

3. Ensino Remoto

Para o ensino remoto, prepare slides com as imagens para compartilhar via conferência (Meet , Teams ou Zoom ou mensagens  de Whatsapp) e promover a discussão do contexto e. Para a elaboração do cartaz coletivo, utilize o Jamboard, no qual os alunos poderão trabalhar simultaneamente à produção.

continuar lendo