Avaliação: como acompanhar as aprendizagens dos alunos?

Confira 4 dicas para repensar o processo avaliativo durante as atividades remotas

POR:
Selene Coletti
Crédito: Getty Images

Avaliar é um processo complexo que está conectado com a visão da Educação e de aprendizagem do professor. Se realizada continuamente, é a oportunidade de rever ações, estratégias e redirecionar os olhares para a prática pedagógica.

A Base Nacional Comum Curricular sugere “construir e aplicar procedimentos de avaliação formativa de processo ou de resultado que levem em conta os contextos e as condições de aprendizagem, tomando tais registros como referência para melhorar o desempenho da escola, dos professores e dos alunos”.

Dessa forma, o documento reforça que, seja no remoto ou no presencial, é preciso avaliar de maneira formativa. Isto é, os educadores devem investigar o percurso do aluno, observar o seu progresso, analisar suas dificuldades e propor novas práticas que permitam o seu desenvolvimento. Para isso, devemos utilizar diferentes instrumentos de avaliação e de registro desse percurso.

Curso gratuito: Como avaliar os alunos a distância?

Neste curso, discute-se como acompanhar a aprendizagem dos alunos e apresenta-se o Padlet, ferramenta gratuita que permite a construção de portfólios virtuais.

Como funciona na prática

Você deve estar pensando: se presencialmente já é difícil avaliar, como fazê-lo no remoto? É possível também que tenha falado nos últimos meses que é impossível saber se os alunos estão realmente aprendendo a distância.

É evidente que não é possível manter as mesmas estratégias que fazíamos no presencial. Por exemplo, se hoje a sua sala é do 2º ano do Fundamental, para começar, será necessário traçar o perfil da turma para ter um panorama do nível de aprendizagem dos estudantes. Depois da realidade que tivemos ano passado, é possível que a grande maioria da sala não esteja alfabética e nem conheça os números até 50, como se espera de uma criança nessa faixa etária. Dessa forma, será necessário estabelecer as prioridades e rever habilidades previstas para o 1º ano.

Esse diagnóstico te ajudará a definir quais e o como serão as próximas atividades para garantir o avançar da turma. Para te ajudar, separei 4 dicas para pensar a avaliação na prática:

1. Estude o currículo: Para planejar a avaliação, é necessário saber quais são as habilidades essenciais, isto é, saber o que as crianças deveriam dominar. Os Mapas de Foco, desenvolvidos pelo Instituto Reúna, te ajudarão a selecionar as aprendizagens prioritárias para cada ano. Conheça também os materiais O que ensinar em 2021 desenvolvidos por NOVA ESCOLA em parceria com o Instituto Reúna.


2. Diversifique os instrumentos de avaliação: Aplicar provas com questões objetivas ou enormes listas de exercícios não são as estratégias mais viáveis no atual contexto. Por isso, busque alternativas. Por exemplo, proponha questões que tragam desafios para serem resolvidos; produções de textos; apresentações orais de um determinado tema dado a partir de um roteiro construído em parceria com toda a turma; ou produções orais e de vídeos a partir de um livro, obra de arte ou outros formatos.

Leve em consideração, além do resultado final, a participação individual nas atividades propostas e a autoavaliação do processo para analisar o percurso do estudante e fugir um pouco das provas.

É importante ressaltar que tudo precisa ser compartilhado com a turma. Eles precisam ter visibilidade do que se espera alcançar com a proposta, o que está sendo trabalhado e o porquê. Também faça essa explicação para as famílias como forma de se aproximar e fortalecer a parceria.

A utilização de outros instrumentos implica em quebrar alguns paradigmas em relação ao que é avaliar. No entanto, no ensino remoto, se pautar apenas nas provas é se basear em dados pouco confiáveis para o diagnóstico do que a turma já sabe e ainda precisa saber.

Como organizar a documentação pedagógica no ensino remoto

Saiba como fotos, vídeos, textos, áudios e outras produções dos alunos no ensino remoto podem ser organizados e transformados em um registro que fortaleça as relações

3. Planeje as entregas dos trabalhos em pequenas etapas: não deixe muito tempo entre uma entrega e outra para que elas não percam o foco. Utilize a agenda (ou o grupo do WhatsApp) para lembrar as datas e ajudar a turma a se organizar e ficarem menos ansiosos. A parceria com as famílias também se faz necessária para que possam acompanhar o que está sendo solicitado e quando devem entregar.

4. Registre o percurso dos alunos: a documentação é essencial para que o professor possa analisar e refletir sobre sua própria prática e fazer intervenções necessárias para que os estudantes avancem. Para que isso de forma remota, existem alguns caminhos possíveis: pautas de observação; rubricas; portfólios; relatórios; registros por meio de fotos, vídeos ou gravações; ou criar um painel no Padlet. Para saber mais sobre o assunto, acesse aqui.

Precisamos refletir sobre novas propostas para acompanhar o desenvolvimento dos alunos e permitir que todos avancem, mesmo quando nem todos tem acesso às ferramentas digitais. Nesse processo, devemos rever nosso olhar para a forma de avaliar. E você, quais caminhos vê que são possíveis neste momento?

Um abraço e até a próxima,

Selene

Selene Coletti é professora há 40 anos na rede pública. Atuou na Educação Infantil e foi alfabetizadora por 10 anos tendo trabalhado do 1º ao 5º ano. Recebeu, em 2016, da Fundação Victor Civita, o Prêmio Educador Nota 10 com o projeto “Mapas do Tesouro que são um tesouro”, na área de Matemática. Foi diretora de escola e recebeu, em 2004, o Prêmio “Gestão para o Sucesso Escolar”, do Instituto Protagonistes/Fundação Lemann. Atuou como coordenadora do Núcleo de Formação Continuada e também como formadora da Educação Infantil, na Prefeitura de Itatiba. Atualmente é vice-diretora da EMEB Philomena Zupardo, em Itatiba.