Como se preparar para a semana de planejamento 2021

Depois de um ano letivo de pandemia, veja o que levar em consideração para idealizar e executar bem esta reunião

POR:
Camila Cecílio
Crédito: Getty Images

O ano letivo de 2021, tal como 2020, promete ser marcado por incertezas. Neste cenário de instabilidade, as escolas têm a missão de planejar ainda em meio a uma pandemia, sem cronograma de vacinação contra a covid-19. Enquanto algumas das reuniões de planejamento serão virtuais por meio de aplicativos como Google Meet ou Zoom, outras já acontecem presencialmente, seguindo orientações das redes de ensino. Mas, independentemente do formato, para que o encontro seja bem aproveitado, é preciso preparar os professores com informações prévias que possam apoiá-los para contribuir com a reunião.

A equipe pode ser envolvida desde o início, no planejamento da pauta do encontro. No Colégio Estadual de Seabra, na região da Chapada Diamantina (BA), a coordenadora pedagógica Janaína Barros propõe que os pontos a serem trabalhados sejam definidos em consonância com o que foi vivido pela comunidade escolar ao longo do ano passado. “É preciso se conectar com os indivíduos e com os contextos e entender quais as discussões da jornada”, diz a coordenadora que também é formadora no Instituto Anísio Teixeira. 

Essa troca entre a equipe, além de garantir que as pautas do planejamento estejam alinhadas com os desafios vivenciados pela comunidade, também é uma forma de cuidado com a saúde emocional dos educadores. “Se conseguirmos acolher emocionalmente os professores e funcionários e termos uma perspectiva do que teremos de contato com os alunos, o planejamento será mais real e palpável e, efetivamente, terá resultados”, acredita José Marcos Couto Júnior, diretor da Escola Municipal Professora Ivone Nunes Ferreira, no Rio de Janeiro (RJ).

“O grande desafio para 2021 será aumentar o número de alunos que tenham acesso ao que estamos planejando. Será preciso formar uma cultura de estudo pelos meios digitais e driblar a precariedade no acesso à internet e a equipamentos eletrônicos”, prevê José Marcos Couto Júnior. Na foto, o diretor faz selfie, antes da pandemia, com a comunidade de alunos da Escola Municipal Professora Ivone Nunes Ferreira, no Rio de Janeiro (RJ). Crédito: Acervo pessoal/Reprodução

Será necessário também adotar o olhar para o percurso de aprendizagem do biênio 2020/2021, considerando conhecimentos, habilidades e conteúdos que não foram trabalhados no ano passado ou que necessitam ser reforçados. “Vivemos um ano totalmente atípico em 2020, e as avaliações e atividades que nós fizemos ao longo da pandemia será o início do caminho para planejar 2021”, indica Marta Teixeira, coordenadora pedagógica na Escola Municipal de Educação Básica Francisco Beltran Batistini Paquito, em São Bernardo do Campo (SP).

Que tipo de informações podem ser antecipadas?
Para analisar os dados e contextos disponíveis, é preciso reunir os registros e avaliações que foram feitas ao longo de 2020. Os docentes possuem diversos desses materiais, que podem ser enviados com antecedência para a gestão escolar, e que, depois de consolidados, podem ser compartilhados com toda a equipe como material preparatório para a reunião.

Avaliação e fechamento do ano no Ensino Fundamental 1

Para quem é útil: professores e gestores de Anos Iniciais do Ensino Fundamental
Qual o objetivo: Mostrar como duas professoras e escolas encerrarão 2020, além de sugerir dicas de como definir critérios de avaliação, organizar os registros dos alunos e fazer uma devolutiva final aos pais e responsáveis.

A gestão também pode antecipar a agenda da reunião ou semana de planejamento para os docentes. É possível, por exemplo, contar quais temas serão trabalhados ou como o encontro será organizado; enviar o projeto político-pedagógico (PPP) do ano de 2020 para que toda a equipe possa ler antecipadamente e pedir para que mapeiem trechos que consideram estar desatualizados em virtude da covid ou de outros fatores da escola; e pedir para os professores levantarem dúvidas em relação aos temas que serão abordados.

A contribuição dos professores certamente favorecerá o engajamento no encontro, aponta Marta Teixeira, que utilizou o recurso no ano passado com a equipe da sua escola. “É bastante comum fazermos isso no nosso grupo no WhatsApp dias antes da reunião para que os professores pesquisem e venham para o encontro com um certo conhecimento sobre o tema anunciado, tendo lido algo a respeito ou assistido a alguma live sobre o assunto. Essa antecipação é importante para que a participação seja mais efetiva”.

Outro caminho indicado pela coordenadora para que os encontros e discussões sejam mais produtivos e tranquilos é renovar o que ela chama de contrato didático, uma série de combinados para serem seguidos ao longo do ano. Durante a pandemia, esses acordos foram sendo construídos às pressas, mas, nesse começo de ano, é possível fazer diferente e estabelecer novos combinados junto à equipe, tais como respeitar os horários, deixar a câmera aberta ou fazer uso do chat, por exemplo.

Checklist básico da semana de planejamento
Veja uma relação de itens do que não pode faltar nas reuniões: 

ANTES
- Antecipar temas e informações que ajudem os professores a se prepararem para o encontro;
- Elencar com a equipe docente e gestora conhecimentos, habilidades e conteúdos que não puderam ser trabalhados no ano passado;
- Estabelecer combinados com a equipe para as reuniões online. 

DURANTE
- Considerar o que foi vivido pela comunidade escolar, conforme a realidade local;
- Acolher toda a equipe de professores e funcionários;
- Fazer um balanço de 2020 e identificar o que deu certo e o que pode ser melhorado;
- Ponderar que, em 2021, é provável que o ensino seja híbrido e explicar o que é o modelo;
- Revisitar o PPP de 2020 para mapear o que pode ou deve ser atualizado;
- Mapear as necessidades e os projetos da escola para avaliar as possibilidades de execução em 2021;
- Apoiar-se nas informações levantadas em 2020 para traçar novas rotas;
- Levantar dúvidas que não têm respostas para buscar respostas com a secretaria;
- Consolidar os combinados do planejamento para acompanhamento ao longo do ano e definição de próximos passos.


Um ano para entender e praticar o ensino híbrido
“O ensino híbrido será base para tudo que formos debater para 2021, pois é o ensino real e possível que nós temos no momento”, acredita o diretor José Marcos. Ele defende que aceitar que ainda estamos distantes do “antigo normal” ajuda na hora do planejamento e que, agora, é necessário planejar e compreender como esse ensino chega aos alunos. “Em um ano teremos que ter o ensino de quase dois anos, precisaremos planejar dentro de uma base viável, apoiado no ensino híbrido”.

Apesar do barulho em torno do tema, ainda há muitas dúvidas sobre o que é e como ele funciona. Por isso, vale reservar um tempo para conversar com a equipe sobre o ensino híbrido. Para Janaína Barros, a melhor forma do professor se aproximar dessa temática que é por meio da análise de boas práticas. “Contextualizar a partir de bons referenciais teóricos é a chave para se aprender, mas não dá para ficar comentando só na teoria sem olhar como funciona na prática”, pondera a educadora. Com isso, será possível ter uma ideia do que o ensino híbrido deverá trazer nos próximos meses, o que é preciso desmistificar e o que é hipótese ou equívoco.

Uma boa dica é preparar um material de apoio para os professores, com dicas de leitura e vídeos sobre o assunto, principalmente para os docentes da Educação Infantil. “Trata-se de um tema novo, ainda mais nessa etapa de aprendizagem. Então, sempre que surge algo novo, gera muitas angústias, dúvidas e ansiedades que podem ser trabalhadas”, comenta Marta. O ideal, segundo a coordenadora, é que a gestão se antecipe para apoiar os docentes nessa adaptação e se aprofunde neste tópico.

Não pode faltar na conversa
Confira abaixo uma relação de temas para inserir na pauta da reunião de planejamento 

- Explicar o plano para priorização de habilidades da BNCC e qual é a proposta para dar conta dos conteúdos que não puderam ser trabalhados em 2020;
- Adaptar o PPP à realidade deste ano;
- Apresentar o que acontece com o calendário letivo em 2021;
- Falar sobre ensino híbrido e uso de ferramentas digitais;
- Considerar o acesso dos alunos à internet e a equipamentos eletrônicos;
- Trazer sinais de alerta de baixa frequência no online e evasão escolar;
- Repassar os protocolos de segurança e higiene da escola na volta às aulas presenciais para as escolas que terão este retorno;
- Pautar a implementação do Novo Ensino Médio e a BNCC em 2021 para as escolas desta etapa de ensino.


Uma escola diferente exige uma prática diferente
Embora 2020 tenha sido um “intensivão” de tecnologia para muitos professores, é provável que tantos outros ainda tenham dificuldades e tragam dúvidas para a semana de planejamento. Nessa hora, a homologia de processos se apresenta como uma boa alternativa para usar com os educadores metodologias, ferramentas e formatos que os gestores escolares desejam incentivar que sejam realizados na sala de aula com os alunos.

Os primeiros passos, de acordo com Janaína Barros, são entender como o professor aprende, em que etapa da aprendizagem está e, por fim, compreender que cada um aprende de formas diferentes. “Se o professor sabe pouco sobre aquilo, é importante que viva situações muito próximas daquelas que terá que replicar em sala de aula e não como aluno, mas como sujeito profissional que vive, analisa, descontextualiza e conceitualiza”, exemplifica Janaína.

A coordenadora Marta ressalta que a homologia de processos é importante em todas as ações escolares. Para ela, a tecnologia é um dos aspectos que estão bem encaminhados, uma vez que os professores da escola onde atua passaram por formações nesse sentido, mas é possível, por exemplo, praticar o ensino híbrido na interação entre gestão e docentes. O que vai demandar mais atenção e empenho nos próximos meses, na visão de Marta, é a questão do acolhimento. “Os professores precisam acolher as crianças e suas famílias, mas como farão isso se não se sentirem acolhidos?”, questiona. Por isso, o planejamento da escola prevê que, primeiro, o foco é acolher a equipe, de modo que esse acolhimento seja repassado para os alunos e familiares.

Este conteúdo integra a Trilha de conteúdos sobre a Retomada das Aulas 2021. Para saber o que não pode ficar de fora do radar do professor na transição dos anos letivos de 2020 para 2021, acompanhe no site da NOVA ESCOLA a preparação para o novo ano letivo, conteúdo disponível em 13 de janeiro.