Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Retrospectiva 2020: 5 aprendizados da Educação em um ano letivo atípico

Professora Mara Mansani relembrou momentos, desafios e caminhos que teremos de seguir em 2021

POR:
Mara Mansani
estrada com 2020 em destaque e ao fundo escrito 2021
Foto: Getty Image

Tenho a impressão que esse ano está longo demais, especialmente para todos nós da Educação. Muita coisa para fazer, muita informação, preocupação, tristezas e lutos... um ano tão complicado, difícil e uma pandemia, algo nunca imaginado por nós.

Por outro lado, foi também um ano de transformação como resultado da necessidade da nossa reinvenção em sala de aula, na busca de alternativas para aprendizagem dos alunos e porque não dizer na vida. Não somos mais os mesmos professores como também a escola e a Educação não são. E quantos aprendizados para todos nós professores! Em 2020, tivemos inovação, aprender com o outro, compartilhamento de saberes, buscas por alternativas, estudos e tantas outras coisas que realmente foram decisivas para chegarmos até aqui.

Vamos resgatar juntos tudo o que aprendemos nesse período? Reflita por aí e descubra você também muitas coisas incríveis.

1)­ Tecnologia na Educação
Para começar, vamos falar sobre o uso de novas metodologias e recursos tecnológicos, que passou a fazer parte do nosso dia a dia de uma hora para outra. Sempre fiz uso de alguma metodologia ativa e alguns recursos tecnológicos, mas esse ano extrapolei!

O uso das  nuvens de palavras e outros formatos interativos (Mentimeter), a produção de murais digitais interativos online (Padlet), vídeos chamadas via WhatsApp, aulas em aplicativo (Google Meet, Teams e tantos outros), tutoriais em vídeos e escritos, atividades online (Google Forms), uso de podcasts e aplicativos que exploram os conteúdos e o desenvolvimento das habilidades matemáticas... foram muitos recursos e possibilidades. Tudo isso para criar situações de aprendizagem, de interações, para o desenvolvimento das habilidades previstas para a alfabetização dos alunos.

Ainda no ambiente digital tivemos formações nas redes de ensino, formações oferecidas por NOVA ESCOLA (sensacionais!), cursos online, milhares de leituras e experimentos, participação em diversas lives para aprender e aprender. No próximo ano, no ensino remoto ou presencial, um dos caminhos possíveis será modalidade do ensino híbrido, que não é tão somente a combinação entre online e presencial.

Curso: a escola após a pandemia

Neste curso de NOVA ESCOLA, você pode ficar mais por dentro de duas discussões sobre o retorno presencial às aulas: quais habilidades priorizar na BNCC e como acolher os alunos após experiências tão atípicas vivenciadas na quarentena. É gratuito! 

2) Relacionamentos escola e família
Nunca estivemos tão próximos das famílias dos nossos alunos. Parceria é a palavra que definiu essa relação! Aprendemos novas formas de comunicação para interação com os pais e responsáveis dos alunos. Descobri que não basta encontrar somente o meio para essa comunicação, mas temos de levar em conta fatores importantes para que ela realmente aconteça como empatia, linguagem objetiva e de fácil entendimento, paciência, respeito e ética. Coisas que muitas vezes não aprendemos na universidade e em formações de maneira geral.

O que comunicar? Como comunicar? Como estabelecer um diálogo efetivo e produtivo no relacionamento entre professores e famílias? Podemos ter os melhores equipamentos, boa vontade e intenção nessa comunicação, mas se não soubermos a melhor forma de como fazer, ela não vai acontecer. Apesar de termos avançado pela necessidade do momento, temos de ter formações nesse sentido. Lições para 2021!

3) Comunicação e interação com os alunos no ensino remoto
Aprendemos e avançamos na interação com os alunos à distância, mas não foi tivemos o mesmo contato como nas aulas presenciais.

Quando as câmeras não ficavam ligadas, quando os alunos ainda em aula virtual pediam para ir ao banheiro, quando só o professor falava e a turma participava de forma passiva são exemplos de que essa comunicação, o diálogo com os estudantes não aconteceu de forma tão efetiva. Mais uma lição para estudarmos.

4) Aprimoramento da prática, o planejamento e a avaliação
Priorizar o currículo, reorganizar as rotinas de estudo com os alunos, adaptar e repensar práticas, pensar o tempo de execução foram os aprendizados relacionados ao quarto item dessa retrospectiva.

Como fazer avaliação e fechamento do Fundamental 1?

Veja como duas professoras e suas escolas encerrarão o ano de 2020. Nesta edição de NOVA ESCOLA BOX, você confere também dicas de como definir critérios de avaliação, organizar os registros dos alunos e fazer uma devolutiva final aos pais e responsáveis.

Começamos com uma “avalanche” de atividades para os alunos, inicialmente, sem levar em conta que pais e responsáveis não são professores, que a casa não é a escola, que tempo de aula no ensino remoto não é o mesmo das aulas presenciais. Com o passar dos meses fomos refinando e corrigindo ações e caminhos. Passamos a usar diferentes linguagem nas propostas das atividades, fomos mais criativos e até inovadores. O ponto crítico foi a avaliação nesse período, realmente precisamos aprofundar essa questão e formações nesse sentido.

5) Coletividade: juntos podemos
Se conseguimos dar o nosso melhor como professores, se aprendemos caminhos e possibilidades de desenvolvimento da aprendizagem dos nossos alunos, se aguentamos o peso desse período tão difícil, se nos desenvolvemos enquanto profissionais da Educação, foi graças também a coletividade, a conexão de professores e saberes, esse apoio entre nós e essa boa vontade de fazer a diferença na Educação.

Não podemos perder esse caminho e ações que construímos juntos. Tenho um orgulho imenso de todos os professores do nosso país, de fazer parte dessa comunidade de educadores tão comprometidos. Talvez a expressão que nos defina seja “não desistir jamais dos nossos alunos e de fazer a Educação caminhar!”

Esses são os aprendizados que destaco entre muitos outros nesse ano de pandemia na Educação e no mundo. E vocês queridos professores, em especial vocês alfabetizadores, o que aprenderam em 2020? Conte aqui nos comentários.

Tudo o que aprendemos ainda pode ser ampliado e aprimorado, mas ficamos de “recuperação” para 2021 em alguns pontos como a saúde emocional. Nunca foi tão verdadeira e fez tão sentido a fala de que “somos eternos aprendizes”.

Então, vamos lá fazer o que virá! Um grande abraço a todos e até a próxima,

Mara

Mara Mansani é professora há quase 30 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2006, teve dois projetos de Educação Ambiental para o Ensino Básico publicados pela ONG WWF, no livro “Muda o Mundo, Raimundo”. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga