9º Roteiro do gestor: como promover a observação entre pares

Saiba como conduzir uma reunião formativa com os professores sobre a estratégia pedagógica

POR:
Sônia Guaraldo, Rachel Bonino
Saiba como propor a observação da prática de outros professores para a equipe. Ilustração: Nathalia Takeyama/Nova Escola

Ao longo dos Roteiros de Formação sugeridos nas últimas semanas para que diretores e coordenadores conduzissem reuniões com a equipe docente, os professores foram instigados a construir critérios relacionados à avaliação do planejamento e desenvolvimento de práticas focadas no ensino da Língua Portuguesa e da Matemática. Eles deveriam criar e compartilhar seus planos de aula. Neste último encontro, a ideia é propor a organização, em colaboração com os professores, de uma atividade formativa focada na observação entre pares.

“A observação entre pares pode ser uma poderosa estratégia formativa para aprimorar a prática pedagógica a partir do trabalho colaborativo. Além de desmistificar a observação de aula, essa atividade pode romper com a lógica do isolamento docente, considerado um dos causadores da Síndrome de Burnout, que tem assolado tantos professores brasileiros”, analisa a consultora pedagógica Sônia Guaraldo. “Ações como estas caracterizam as culturas de colaboração, trazendo elementos concretos, sustentados por escolhas bem fundamentadas e que poderão proporcionar crescimento de toda a equipe”, avalia.

Este 9º Roteiro de Formação detalha como esta prática pedagógica pode ser conduzida com o grupo de professores da Educação Fundamental 2. Confira:

ROTEIRO DE FORMAÇÃO NA PANDEMIA - 9 

Trabalhe a observação entre pares com os professores


Navegue por todos os roteiros da Série Especial:
- 1º Roteiro do gestor: Uma reunião para unir os professores e repensar o ano
- 2º Roteiro do gestor: conduza um estudo sobre metodologias ativas em aulas a distância
- 3º Roteiro do gestor: use a reunião para abordar a Educação Integral

- 4º Roteiro do gestor: Aprofunde as noções dos professores sobre Educação Integral
- 5º Roteiro do gestor: reunião para focar na priorização curricular em Linguagens
6º Roteiro do gestor: analise uma aula real com a equipe docente
- 7º Roteiro do gestor: ponha a mão na massa com os professores e comece a planejar
8º Roteiro do gestor: convide os professores para uma Tertúlia Dialógica
[VOCÊ ESTÁ AQUI] - 9º Roteiro do gestor: como promover a observação entre pares


Indicado para: Coordenadores e diretores da Educação Fundamental 2

Objetivo da reunião: Estruturar estratégia de observação entre pares

Duração da reunião: 2 horas

Ferramentas: Plataforma de interação síncrona (Zoom, Microsoft Teams, Skype) e Whatsapp para criação de grupos de trabalho.

Sugestão de leitura prévia para gestores escolares:  texto “Como fazer observação de sala de aula”, do site NOVA ESCOLA GESTÃO


Antes da reunião

1.Prepare o convite: Para promover o início desse trabalho, dispare convite para toda a equipe de educadores, por e-mail, aplicativo de mensagens ou de outra forma que seja usual entre vocês. Na mensagem, liste o tema e os objetivos da reunião.

2.Peça o retorno das atividades: Solicite aos professores que tragam para o encontro os planos de aula a serem aplicados nas próximas semanas, preferencialmente aqueles que foram construídos em colaboração com colegas que lecionam na mesma série. 

3. Prepare uma avaliação: Use o Google Form ou outra plataforma de compartilhamento e dispare o formulário para que os professores avaliem os momentos de reunião pedagógica. Importante que contenha questões relacionadas à pertinência e aplicabilidade dos conteúdos trabalhados como também das dinâmicas formativas. Deixe o link preparado para disparar no fim da reunião.

Durante a reunião

1. Convide a todos para a plataforma síncrona escolhida: Faça a acolhida dos professores. 

2. Apresente aos professores o objetivo da ação de observação entre pares: Indique que será desenvolvida em três etapas: 

- Pré-observação: os professores compartilham, entre si, os planos de aula;

- Observação: o momento da observação da aula;

- Pós-observação: envio dos registros e análise conjunta.

3. Informe sobre as possibilidades de aplicação da atividade: Mesmo que a escola não esteja realizando aulas em plataformas síncronas, ainda assim, estimule a atividade de observação entre os professores. Pode-se analisar a atuação do docente nas interações dos grupos de alunos no WhataApp ou grupos fechados no Facebook, ou mesmo de vídeos de aulas que os professores possam estar produzindo para disparar em grupos.  

4. Forme as duplas para a atividade: Se achar mais apropriado, pode articular os pares antes da reunião, consultando os professores, especialmente se houver um grupo grande em sua escola. Também é importante considerar que nem todos podem aceitar, de início, a experiência. Se isso ocorrer, respeite a decisão e promova a ação junto a professores voluntários. 

Organize os nomes numa tabela, na qual deve constar o nome dos professores observadores e observados, o ano do Ensino Fundamental 2 em que atuam e os e-mails para facilitar o contato. Compartilhe com todos o arquivo. 

PONTO DE ATENÇÃO: Lembre-se de que não é preciso que os pares lecionem necessariamente na mesma série.  Nesse caso, a proposta é que tenham planejado os planos em parceria, mas você pode também criar um momento em que professores de diferentes séries se alinhem para a observação a partir de planos de aula distintos. Nesse caso, é importante construir critérios de observação únicos.

5. Sugira um quadro de planejamento da observação entre pares: Serão dois momentos de observação. A ideia é que os professores atuem nos dois papéis, ora como observador, ora como observado. Solicite que escolham as datas do primeiro e o segundo encontros, bem como os detalhes do planejamento e dos critérios de observação estruturados. Organize essas informações em um quadro ou cronograma.

Compartilhe a planilha já com os nomes preenchidos e peça que coloquem as datas do momento de em que serão observados e que observarão a aula do colega. Peça ainda que informem a data de envio dos dois relatórios de pós-observação.  

6.Estimule a criação conjunta dos critérios avaliados: Disponibilize modelo de ficha com critérios e promova a discussão para inclusão de outros novos considerados importantes pelo grupo. Informe que o preenchimento da ficha será considerado relatório final de pós-observação, a ser enviado ao professor observado. Clique no botão abaixo para visualizar e salvar o modelo no seu computador ou celular: 

BAIXE O ARQUIVO

7.Oriente os professores quanto às posturas no momento da observação: Independentemente da escolha da plataforma de interação usada na escola entre professores e estudantes, se síncrona ou assíncrona, indique os seguintes pontos de atenção sobre a entrada do professor nos grupos:

Professor-observado:
- Apresentar o docente observador aos alunos;
- Explicar o objetivo da presença do outro professor na sala;
- No final da aula ou da atividade, anotar suas reflexões sobre a forma como decorreu a aula, para posterior discussão com o professor-observador.

Professor-observador:
- Preencher a ficha de observação;
- Registrar impressões sobre aspectos sobre os quais se deseja refletir no momento da pós-observação;
- Manter-se discreto, sem interferir nas ações do professor observado. 

8. Conduza o encerramento: Ao final da reunião, abra a palavra para dúvidas ou comentários. Coloque-se à disposição para apoiar os momentos de observação a serem realizados pelos pares. Avise ao grupo que, no próximo encontro, será realizada análise conjunta das fichas. Ao final, disponibilize o link do formulário para avaliação do encontro.

Consultoria: Sônia Guaraldo, doutoranda em Educação pela Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) e consultora do programa Formar, da Fundação Lemann, mantenedora de NOVA ESCOLA. Foi coordenadora pedagógica e diretora de escolas públicas, e secretária de Educação de Birigui (SP), entre 2008 e 2016.

Tags

Guias