Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

"A turma e eu criamos uma rádio que faz o maior sucesso"

Autorretrato

POR:
Camila Camilo
A rádio coordenada por Naíra é gerida por crianças de 10 e 11 anos, que produzem tudo. Fotos: Silvia Zamboni
A rádio coordenada por Naíra é gerida por crianças de 10 e 11 anos, que produzem tudo
Conte sua história para a seção Autorretrato

"Sou responsável pelo laboratório de informática da EMEB Estudante Flamínio Araújo de Castro Rangel, em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo. No contraturno, as crianças de 4º e 5º anos são monitoras. Elas ajudam outras turmas a usar as tecnologias previstas no planejamento. Sempre foi um momento interessante de troca, mas todos sentiam falta de produzir. Foi então que surgiu a ideia de fazer algo relacionado à comunicação.

Propus que escolhessem entre criar um jornal mural, reportagens para o blog da escola ou uma rádio. A última opção ganhou e, em 2012, nasceu a Rádio Flamínio. Até o nome foi escolhido pelos alunos e submetido à votação. Todo começo de ano, quando a equipe se renova, organizamos um mesmo fluxo de trabalho. A meninada pesquisa programas convencionais e feitos por outras escolas, prestando atenção à fala e ao ritmo. Antes da primeira gravação, conversamos sobre os conteúdos e a adequação ao ouvinte. Os estudantes fazem reuniões de pauta e pesquisam os temas eleitos antes de montar um roteiro, que é revisado por eles. Dois locutores fixos e os repórteres gravam as sonoras, editam e disponibilizam o material no site da escola.

Produções das outras turmas também são aproveitadas. A classe do 2º ano redigiu textos de autoria em um projeto didático. A professora queria que todos lessem em voz alta, então as produções foram gravadas e viraram o quadro Senta Que Lá Vem História. Já a turma do 4º ano escreveu biografias de artistas brasileiros e depois gravou os materiais de áudio para o programa Momento da Cultura. Nos dois casos, os monitores editaram e colocaram efeitos sonoros para incrementar os trabalhos. Essas parcerias são geridas pelas próprias crianças. Os educadores me procuram e eu analiso a viabilidade dos projetos. Depois, passo para o grupo, que se responsabiliza pela organização. Todos se apropriam dos conteúdos. Noto que os textos estão melhorando, à medida que eles pensam, repensam e revisam os roteiros.

Não precisa de muito para colocar uma rádio em prática. Basta usar o gravador do celular, do netbook ou do computador. O software de edição que usamos, o Audacity, é gratuito e fácil de mexer. Faço uma oficina a cada início de ano.

Assim como os alunos, aprendi muito com essa experiência. Onde quer que trabalhe, vou usar muito mais do que giz e quadro para ensinar!"

Naíra Oliveira é educadora da EMEB Estudante Flamínio Araújo de Castro Rangel

Tags

Guias