Ensino remoto: como reinventar sua aula com PPT e Google Slides

Veja dicas práticas para melhorar a sua apresentação em slides e engajar mais os alunos

POR:
Camila Cecílio
Gravar vídeos e usar jogos ou áudios são alguns dos recursos que podem tornar um PPT mais dinâmico    Foto: Getty Imaes 

Com o fechamento das escolas, professores de todo o país se viram diante de uma nova realidade: o ensino remoto. E, com ele, a necessidade de se reinventar e se apropriar de técnicas, metodologias e ferramentas digitais que, antes do isolamento social, não eram tão utilizadas no dia a dia na escola. Exemplos disso são o Microsoft PowerPoint, popularmente conhecido como PPT, e o Google Slides, aplicativo que serve para abrir, criar e editar apresentações tanto no formato próprio quanto no PowerPoint. Ou seja, é possível abrir um arquivo do Google Slides no PPT e vice-versa. Ambos os recursos estão sendo adotados por professores para dar mais dinamismo às aulas remotas, mas de formas não tão convencionais assim.  

VEJA EXEMPLO DE PPT

PPT construído com os alunos via chat

Annelize Jacoby, professora de produção de texto em turmas do Fundamental 2 e Ensino Médio de uma escola particular de Campinas (SP), adotou um jeito diferente de usar o PPT. Ao invés de levar apresentações prontas para as aulas de verbetes com a turma do 6º ano, ela construiu os slides com a participação dos alunos. Primeiramente, Annelize pediu que os alunos pesquisassem definições diferentes de algumas palavras e mandassem os resultados no chat do Google Meet (aplicativo de comunicação por chamada de vídeo), enquanto ela montava os slides. Em seguida, Annelize avaliou cada elemento com a turma, refletindo sobre sinônimos, classificação gramatical, etimologia, dentre outros pontos.    

Depois desse processo, a professora disponibilizou a apresentação para consulta no Google Sala de Aula (Google Classroom, serviço online gratuito para professores e alunos). Nesse processo, um ponto interessante para ela é que os materiais de cada turma nunca são os mesmos porque são elaborados a partir da interação com os estudantes. “Essa é uma tentativa de construir o conhecimento junto com os alunos. Por isso, nunca chego com os slides prontos, seja no ensino presencial ou no remoto”, diz. 

Arquivos de áudio enriquecem leitura

Professora de Língua Portuguesa na Escola Municipal Antônio Maceo, no Rio de Janeiro, Helena Correia tinha como desafio promover o gosto pela leitura nas turmas da Educação Infantil e do Fundamental 1. Com a pandemia e o consequente isolamento social, ela percebeu que não teria como continuar com as mesmas práticas de ensino, principalmente porque muitos alunos praticamente não têm livros em casa. 

Helena pesquisou sobre o PowerPoint e viu que dava para criar uma apresentação com o áudio de um poema de Cecília Meireles. “Montei os slides, depois gravei a leitura do poema, usei alguns efeitos de gravação que a própria ferramenta oferece, e, por fim, salvei em formato mp4”, explica. Outra produção da professora foi um passo a passo de como fazer uma boneca abayomi, símbolo de resistência de povos africanos. “Tenho aprendido muito nesse processo", diz. "É algo novo para mim, uma vez que não conhecia todas as potencialidades dessa ferramenta". O resultado, segundo ela, é visível. "Vejo que as crianças estão gostando muito. O nível de interesse e de participação aumentou nas aulas”. 

Google drive: como usar os slides e o formulário de perguntas?

Jogos, quiz e recursos interativos geram participação

Tanto o PowerPoint quando o Google Slides podem ser usados amplamente em todas as disciplinas e etapas. Renata Capovilla, pedagoga e líder do Grupo de Educadores Google Campinas e Google Innovator, avalia que as ferramentas dão conta do conteúdo tanto em aulas síncronas (aquelas em que é necessária a participação de aluno e professor no mesmo instante e no mesmo ambiente), quanto assíncronas (desconectadas do momento atual e que podem ser seguidas a qualquer momento). “Tudo depende da intencionalidade do professor, que deve elaborar as apresentações de acordo com os objetivos de aprendizagem”, diz. A ideia geral, segundo a especialista, não é transpor a aula teórica para a aula remota e sim priorizar o conteúdo que é essencial nesse momento. 

A recomendação é que as atividades sejam pensadas levando-se em consideração a participação dos alunos. “Quanto mais o conteúdo interagir com eles, melhor será”, afirma Renata. Para as crianças menores, que estão começando a se tornar mais autônomas, a sugestão é pensar em slides com jogos interativos, como bingos ou jogos da memória. Para as maiores, uma boa dica é a sala de aula invertida, de modo que o professor possa dar o repertório para a turma e pedir que os alunos elaborem as atividades. 

Um dos principais desafios do ensino remoto é justamente manter a interação e o engajamento dos alunos. Por isso, o professor precisa ir além das imagens bem diagramadas. Segundo Rodrigo Nogueira, mestre em Tecnologia Educacional pelo CEFET-MG e Google Innovator, é hora de construir slides de maneira coletiva, usar recursos como gifs animados, hiperlinks e apresentações clicáveis, em que os alunos possam definir os rumos de uma história, por exemplo. “O importante é que seja muito interativo e que não se esgote como uma ferramenta 1.0, no sentido de mostrar apenas a informação”, explica. 

VEJA EXEMPLO DE PPT INTERATIVO

PPT bom reúne experiência e recursos

Aprender a usar ferramentas digitais requer esforço e estar aberto diante do que é novo. E inspiração, segundo o especialista Rodrigo Nogueira. Para isso, a dica é buscar referências em fontes diversas. “É preciso focar no aluno, pensar em como ele vai receber esse material, entender quanto maior a possibilidade dessa ferramenta atuar como uma metodologia ativa e não passiva, mais os estudantes poderão interferir, reconstruir, remodelar. Então é essa construção e desconstrução que vale”, ressalta o educador. 

Essa tem sido a jornada de Inêz Simões, da Escola Municipal Casimiro de Abreu, em Patrocínio (MG). Com mais de 30 anos de experiência em sala de aula, ela utilizava o PowerPoint algumas vezes em suas aulas, mas ao entender que só enviar atividades para os alunos da Alfabetização não daria certo, a professora decidiu pesquisar, ler e assistir tutoriais sobre o uso do PPT. “Sabia bem pouco sobre o uso do PPT e tinha muita dificuldade na hora de montar uma apresentação”, diz a educadora. Hoje, ela transforma as apresentações em vídeos e faz adaptações de planos de aula NOVA ESCOLA. “Ainda tenho dificuldade, mas sinto que tenho melhorado a cada dia. É uma necessidade desse momento encontrar formas de continuar ajudando nossos alunos”.

É importante buscar tutoriais que, além de ensinar a usar esse formato de apresentação, ofereçam também exemplos de atividades para que o professor possa desenvolver sua criatividade a partir deles. A especialista Renata Capovilla acredita que o letramento digital em tempos de isolamento social se tornará parte do cotidiano do educador depois que a pandemia acabar, mesmo porque é o que preconiza a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

“Daqui para frente, a escola não será mais a mesma. Acredito que a resistência que havia em relação à tecnologia educacional já está sendo quebrada aos poucos e que nós, professores, levaremos por toda a vida tudo o que temos aprendido nesse período”, afirma. Vale ressaltar, porém, que recursos digitais por si só não resolvem a vida do professor ou garantem uma boa aula. “A ferramenta é apenas uma ponte de acesso e só terá, de fato, essa função se o professor souber como funciona na prática”, argumenta.  

Para ajudar nesse desafio da apropriação de conhecimento, NOVA ESCOLA disponibiliza em seu site o curso Como criar e usar vídeos na Educação. Outra opção de formação é o curso Google Drive: como usar os slides e o formulário de perguntas?.

 

DICAS PRATICAS PARA USAR MELHOR O PPT

Confira a seguir as dicas da professora e especialista Renata Capovilla para incrementar sua apresentacão em slides: 

Pense em um visual agradável. Quando muitas imagens, gifs, vídeos, cores são usados ao mesmo tempo, o visual fica carregado e pode dispersar a atenção do aluno, em vez de promover seu foco.

Planeje. Quando bem planejado, toda tela do PPT tem uma função, o que facilitará o aprendizado do aluno. Fazer um roteiro da apresentação torna o processo mais eficaz.

Anotações do orador. Faça as anotações de cada slide em pequenos tópicos para auxiliar sua memória no desenvolvimento da aula.

Menos é mais. Menos textos, menos imagens, visual clean e informações objetivas são essenciais para que o aluno tenha seu aprendizado potencializado.

Saber para quem é. Nada melhor do que conhecer o público que estará visualizando sua apresentação, assim cada slide pode ser planejado de acordo com sua característica.

Criatividade. Será que apresentar telas é a única função do PPT? Com um pouco de pesquisa e até nos exemplos que vamos apresentar, você pode descobrir muitas potencialidades desta ferramenta.

Qualidade. Use apenas imagens de qualidade alta para que não fiquem distorcidas na apresentação.

Leitura fácil. Utilize fontes que sejam de fácil visualização para todos.

Animações e transições. São dois elementos interessantes, mas use com cautela, para que a apresentação não deixe a turma zonza.

Interação. Use a apresentação como disparador de interação entre você e seus alunos. Nada melhor que uma aula dinâmica, com trocas e conversas, onde os alunos possam ser o centro do aprendizado e não apenas espectadores.

Tags

Guias