Ensino remoto: 9 cursos gratuitos para dominar as ferramentas digitais

WhatsApp, Facebook, Google Classroom, Docs e YouTube são alguns dos aplicativos e plataformas abordados nos cursos

POR:
André Bernardo
Crédito: Getty Images

Zoom, Hangouts, Google Classroom, Padlet, FlipGrid... Desde o dia 11 de março, quando a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou estado de pandemia por causa da Covid-19, esses termos de origem inglesa passaram a fazer parte do vocabulário dos nossos professores. Esses aplicativos e plataformas digitais podem ser úteis na hora de transmitir conhecimento, engajar a turma e avaliar seu desempenho.

Com a suspensão das aulas presenciais por tempo indeterminado, é preciso ir além do tradicional lousa e giz. Criar grupos de transmissão, desenvolver atividades em documentos compartilhados e editáveis online, escrever roteiros, transmitir lives e editar vídeos são algumas das novas tarefas que integram o planejamento docente no ensino remoto. Mesmo para quem já domina as ferramentas digitais, sempre há novos recursos a serem explorados para as aulas e comunicação com os estudantes. Para te ajudar a navegar por esse mar de recursos, selecionamos 9 cursos gratuitos da NOVA ESCOLA que vão ajudá-lo a criar uma sala de aula virtual, a avaliar o rendimento de seus alunos à distância e a gravar vídeos dinâmicos e atraentes, entre outros tantos recursos. Confira:

1. Elabore uma aula online com ferramentas do cotidiano

Nem só de curtidas, comentários e compartilhamentos vivem as redes sociais. Em tempos de distanciamento social, WhatsApp, Facebook e Instagram podem ser úteis para dar aulas virtuais. Mas, e o Mentimeter, já ouviu falar dele? É mais uma ferramenta digital que ajuda a criar interações em tempo real, como nuvens de palavras, coleta de dados ou pesquisa de opiniões. Para conferir dicas de como usá-lo com a sua turma, este curso (acesse aqui) de 4 horas é destinado a docentes e gestores de Educação Básica. Ele se propõem a ensinar a como preparar aulas dinâmicas utilizando redes sociais, dá dicas de como interagir mais e melhor com seus alunos e, ainda, esmiúça algumas das muitas funcionalidades do WhatsApp, Facebook e outros aplicativos que estão sendo utilizados no ensino remoto para comunicação entre professores, famílias e alunos.

Elabore uma aula online com ferramentas do cotidiano

Espera-se que, ao final deste curso, o cursista seja capaz de:
- Realizar aulas e propostas utilizando Whatsapp, Facebook e Instagram
- Interagir com os alunos e gerenciar tarefas de casa utilizando ferramentas tecnológicas



2. Google Classroom: como criar sua sala de aula online?

Das plataformas oferecidas pelo Google, uma das mais interessantes é o Google Classroom (Google Sala de Aula). O nome já diz tudo: permite que alunos e professores se conectem remotamente, tenham aulas virtuais e acessem livros em PDF, seja como método de ensino a distância, seja como complemento para aulas presenciais. Entre outras lições, o curso ensina a criar uma sala de aula interativa pelo Classroom, a convidar os estudantes para participar das turmas e a enviar tarefas para seus alunos, estipulando a pontuação dos exercícios e o prazo de entrega. No curso, você poderá aprender com a experiência da professora Claudenir Beatriz Grizotti, da E.M.E.F. Paul Harris, de Santa Rosa (RS), e usuária do Google Classroom.

Google Classroom: Como criar sua sala de aula online

Ao final deste curso, espera-se que professores e gestores da Educação Básica sejam capazes de:
- Desenvolver práticas de ensino remotas de forma síncrona e assíncrona
- Aplicar recursos do Google Classroom para distribuir materiais, orientações e atividades aulas online


3. Crie e edite aulas no Youtube

“Luz, câmera, ação”! Confinados em casa, os professores precisam soltar o diretor de cinema e roteirista que existe dentro deles para cativar suas turmas. Mas, não basta saber como gravar uma aula. É importante aprender como editá-la. E é isso o que propõe este curso, que tem carga horária de 2 horas. Elaborado por Peter Trento, professor de Geografia e revisor de conteúdo no YouTube Edu, plataforma de vídeos educacionais, o curso ensina, entre outras técnicas, como criar canais, lives e playlists. O roteiro inclui desde a criação de um canal até a gravação da aula propriamente dita. Uma dica é o recurso allintitle, que ajuda o usuário a localizar mais rapidamente qualquer conteúdo na plataforma.

Crie e edite aulas no Youtube

Ao final deste curso, espera-se que o professor seja capaz de:
- Compreender funcionalidades dos recursos disponíveis no YouTube
- Conhecer e comparar ferramentas de gravação de aulas apresentando suas peculiaridades
- Identificar as variáveis para monetização e monitoramento dos vídeos no canal do YouTube


4. Google drive: como usar os slides e o formulário de perguntas?

Se você gostou do curso sobre Google Classroom, não deixe de assistir ao módulo sobre Google Drive. Esta plataforma pode ser útil para redigir documentos, montar apresentações e criar pastas para arquivos. Uma das etapas do curso se propõe a capacitar os professores a construir um documento em colaboração. Como a mágica acontece: um docente ou estudante redige o texto, ao mesmo tempo que outro acrescenta fotos, um terceiro insere comentários e edita o texto e assim por diante. A professora Joice Waier, que dá aula de Biologia na E.E.E.B. Santos Dumont, em Santa Rosa (RS), compartilha um pouco de sua experiência com a ferramenta neste curso.

Google drive: como usar os slides e o formulário de perguntas?

Ao final deste curso, espera-se que o professor consiga:
- Utilizar o Google Apresentações para desenvolver atividades coletivas e individuais, histórias interativas, e telas de aulas em momentos presenciais, síncronos e assíncronos
- Desenvolver formulários para coleta de evidências, sistematização de atividades, análise de dados e upload de documentos


5
. Usando o Instagram e recursos avançados do Facebook

Duas das mais populares redes sociais do Brasil, o Instagram e o Facebook já podem ser usadas para fins educativos ou pedagógicos. É isso o que nos mostra este curso, que conta com a participação da professora Juliana Cardoso, do 6º ano da Escola Municipal Álvaro Alvim, no Rio de Janeiro (RJ), no módulo “Aprendendo com quem faz”. O conteúdo pode ser dividido em duas partes: na primeira, docentes e gestores vão aprender como criar stories no Instagram e engajar os alunos e fazer lives; na segunda, as dicas incluem como usar o Messenger Kids (serviço de bate-papo para crianças), programar eventos e alterar os nomes dos responsáveis de seus grupos no Facebook.

Usando o Instagram e recursos avançados do Facebook

Ao final deste curso, espera-se que o professor:
Aprenda o passo a passo das utilidades e recursos do Messenger do Facebook, inclusive como forma de comunicação entre grupos, e as diversas possibilidades de uso do Instagram: stories (publicações disponíveis por 24 horas), vídeos (IGVT) e lives (vídeos ao vivo)


6. Google drive: como usar o Hangouts e o Docs?

São incontáveis os recursos do Google Drive: montar planilhas, compartilhar arquivos, armazenar documentos nas nuvens, e por aí vai. Quem fez o curso “Google drive: como usar os slides e o formulário de perguntas?” sabe bem disso. Neste curso, o conteúdo foca em duas ferramentas específicas: o Hangouts e o Docs. O primeiro é uma plataforma de comunicação e o segundo é um editor de textos. Quem fizer o curso, que tem duração de 2 horas, vai aprender a gravar uma chamada pelo Meet, usar o recurso de digitação por voz e identificar o histórico de versões, entre outros truques. De quebra, o relato da pedagoga Kika Alves, especialista em tecnologia educacional e games na Educação.

Google drive: como usar o Hangouts e o Docs?

Ao final deste curso, espera-se que o professor consiga:
- Gravar uma chamada pelo Meet
-  Agendar uma reunião e indicar o link da chamada
- Usar o Google Documentos
- Utilizar o recurso de digitação por voz
-  Identificar o histórico de versões
- Como formatar o texto, inserir imagens e fazer alterações


7. Como avaliar os alunos a distância?

Se avaliar o desempenho de um aluno com aulas presenciais já é uma tarefa, digamos, complexa, imagine, então, dar nota para o estudante que está do outro lado da telinha do computador ou do smartphone. Como avaliar o rendimento da turma? Quais os mais critérios de avaliação? Essas e outras perguntas serão respondidas neste curso, elaborado pelo biólogo Rodrigo Padilha. Nele, o cursando será apresentado a uma plataforma colaborativa chamada Padlet. Gratuita, permite, entre outras funções, a construções de portfólios e a avaliação dos alunos. No programa do curso, temas como “Primeiros passos no Padlet”, “Outros tipos de uso” e “Como fazer a avaliação na prática?”.

Como avaliar os alunos a distância?

Ao final deste curso, espera-se que o professor consiga:
- Utilizar as funcionalidades do Padlet, ferramenta gratuita que permite a construção de portfólios e acompanhamento do desempenho dos estudantes
- Como estabelecer critérios de avaliação alinhados à BNCC

 
8. Metodologias ativas para aulas a distância

O aluno como protagonista do processo de aprendizagem, assimilando o conteúdo de forma autônoma e participativa, a partir de situações reais, e não mais como coadjuvante. Um agente, e não apenas um espectador. É assim que podemos definir, em linhas gerais, o que são metodologias ativas. Em tempos de pandemia, como aplicar essa prática no ensino remoto? Bem, esse é apenas um dos módulos do curso, que vai explicar, ainda, os conceitos de ensino híbrido, aprendizagem baseada em projetos e STEAM, sugerir trabalhos com metodologias ativas e mostrar as funcionalidades do FlipGrid, aplicativo que, entre outras ações, facilita a interação entre escola e família.

Metodologias ativas para aulas a distância

Ao final deste curso, espera-se que o professor:
- Conheça as funcionalidades do FlipGrid, ferramenta digital que possibilita diversas ações, como dialogar com escolas e famílias, criar tópicos de discussão e dar feedback para os alunos


9.
Como criar e usar vídeos na Educação

Quatro professores youtubers compartilham suas dicas neste curso. O professor Yvys Urquiza, do canal Física Total, explica as vantagens de registrar suas aulas em vídeo e dá dicas de como construir uma identidade para sua produção. Já o professor Rafael Procópio, do canal Matemática Rio, lista os principais formatos de aula virtual e os equipamentos necessários para gravá-la. O processo de roteirização das aulas fica por conta da professora Carina Fragozo, do English in Brazil, que ensina técnicas de como engajar a audiência. Por fim, o professor Paulo Valim, do Química em Ação, compartilha algumas estratégias didáticas para usar vídeos em sala de aula e como ganhar dinheiro usando o YouTube EDU. A carga horária é de 4 horas.

Como criar e usar vídeos na Educação

Ao final deste curso, espera-se que o professor saiba:
- Como gravar vídeos
- Fazer roteiros
- Criar seu canal
- Engajar os alunos usando videoaulas

Tags

Guias