Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Mala Viajante: como propor para sua turma a distância?

Conheça atividades que podem ser trabalhadas com alunos da Alfabetização e que envolvam a família

POR:
Mara Mansani
Foto: Getty Image

Em tempos de ensino remoto, continuo as transformações e adaptações da minha prática pedagógica para que elas possam ser desenvolvidas agora em casa, em atividades feitas pelos alunos, orientados e acompanhados pela família.

Pesquise planos de aula que podem ser usados a distância

Professores e professoras do Brasil e com certeza de muitas partes do mundo passaram por isso ou estão vivendo essa experiência durante essa pandemia do novo coronavírus. Acredito que todos têm o intuito de contribuir e orientar a aprendizagem das nossas crianças, adolescentes e jovens, mantendo uma rotina de estudos, tentando alcançar a todos.

Uma dessas práticas, que já fez parte da minha rotina em muitas escolas com as minhas turmas de alunos, é a mala pedagógica de literatura, “A Mala Viajante”. Já falei sobre ela e as várias possibilidades de uso aqui.

Para continuar a proporcionar aos alunos essa experiencia de aprendizagem, criei a “Mala Viajante Virtual” ou digital. O interessante é que ela sempre foi feita a distância, quase como uma proposta de sala de aula invertida, onde o preparo e acesso aos conteúdos do estudo começa na casa do aluno e que depois na escola vem a exploração, reflexão e desenvolvimento das habilidades com mais propriedade, organizando tempos e ações para aprendizagem.

Agora mais do que nunca, a sala de aula continua invertida, mas o estudo em casa assume um formato e espaço mais amplo e importante para a aprendizagem. A proposta da Mala Viajante é de proporcionar uma imersão no mundo das narrativas, das histórias, através da leitura.

Mas e agora como desenvolver essa prática no ensino remoto?
Nesse novo formato, a Mala Viajante ganha novas possibilidades e mistura de linguagens. Se antes a ação era da leitura do livro físico impresso, levado da escola, agora podemos combinar para a exploração e desenvolvimento da prática, músicas, imagens em animação, contação de histórias e leitura do livro virtual de literatura.

Na verdade, já podíamos fazer isso antes, o que podemos perceber agora nessa reinvenção do nosso fazer pedagógico. Talvez esse seja um ponto de atenção para todos, professores, escolas e redes: “Como anda nossa prática pedagógica?”, mas isso em um sentido mais amplo e profundo. Chego a conclusão que as necessidades e dificuldades, muitas vezes, podem nos levar a maior reflexão, criatividade e uma maior qualidade em nosso trabalho.

Voltando ao assunto deste texto, vejam como estruturei o desenvolvimento para uma Mala Viajante para os alunos do 1º ano, em alfabetização, mas que pode ser desenvolvida para outros anos com as devidas adaptações e ajustes.

Proposta: Mala viajante digital de literatura

Objetivo: Oferecer uma mala de leitura digital para criar um ambiente favorável e convidativo de imersão a leitura de textos literários no contexto familiar.

Atividades

1. Acesso e leitura de duas histórias, narrativas apresentadas em diferentes formatos
Escolhi aqui duas histórias com bichos, um conto clássico e uma história não conhecida pelas crianças. Neste link sugiro o podcast “Deixa que eu conto”, da UNICEF, que além da história traz outros conteúdos no mesmo áudio como o dicionário dos sentimentos. Super bacana para as crianças! O áudio pode ser enviado por link ou o download do arquivo.

Em livro virtual (leitura feita pelos responsáveis) e ou livro disponibilizado em PDF. Neste link há também a possibilidade de ouvir a leitura do livro no Youtube. Se for possível, pode enviar o livro em PDF. 

2. Brincar, cantar e dançar ao som de uma música que apoie o tema explorado
Nas duas histórias os personagens são os bichos, por isso nada melhor que cantar e brincar dentro do mesmo tempo e manter o lúdico da proposta. Clique aqui para conferir uma sugestão.

3. Criar uma representação de uma das histórias exploradas em casa em desenho ou utilizando objetos em outras linguagens que sejam possíveis para as famílias
A ideia é propor aos responsáveis que criem junto com as crianças a representação de uma das histórias, destacando com elas as partes da narrativa, os personagens. Pode montar um mural digital no WhatsApp ou outro canal para a exposição das criações. A família pode representar os personagens com objetos da própria casa como utensílios de cozinha, brinquedos da criança, retalhos de tecidos, usando papeis e outros materiais.

Este link aqui dá dicas aos pais de caixas de histórias para fazer com as crianças.

4. Compartilhamento da leitura: Mensagens em áudio das crianças recomendando a leitura para os colegas
A proposta é que as crianças gravem, com o apoio da família, mensagem para outras crianças recomendando a leitura de um livro que gostem ou dizendo sobre qual das leituras propostas mais gostaram e o que destacam na história. Podem mandar, se possível, pelo WhatsApp ou outro canal de acesso entre escola e família para que seja compartilhado entre todos.

5. Contação de histórias: uma da internet e outra pela família (use objetos de casa)
A contação e as narrativas orais acompanham a própria história, sem contar que é uma ótima possibilidade de interação entre os membros da família. A ideia então é que os responsáveis contem histórias que conhecem, que ouviram de seus pais, para as suas crianças. Pode sugerir a contação usando objetos fáceis de se encontrar em casa, estimulando o interesse e a criatividade das crianças. Veja aqui uma sugestão retirada do canal do Youtube “Histórias para Criança”.

6. Uma história de presente: uma família presenteia a outra com uma história lida ou contada
Minha sugestão aqui é que a família mande o link de uma história que tenham gostado entre as indicações enviadas, ou até mesmo grave uma contação do livro em áudio para dar de presente a outra família. O conteúdo pode ter inclusive uma mensagem especial.

Essa é uma forma de propagar a leitura, incentivá-la na família e estreitar laços de amizade e trocas de experiências entre pais e responsáveis. A intermediação nessas trocas de presente fica por conta da professora.

As atividades podem ser desenvolvidas uma vez por semana, mas é importante que essa programação atenda o tempo e as necessidades de sua turma. Para cada atividade crie um arquivo explicativo aos pais, curto e direto, em áudio, vídeo e ou PDF, mas não esqueça de destacar a importância dessa leitura em família para os laços de afeto, desenvolvimento e aprendizagem das crianças. Não deixe também de sugerir as perguntas e possíveis outras falas para que eles explorem as histórias com as crianças.

Outro cuidado é o de criar vínculos entre uma atividade e outra, amarrações que marquem a continuidade da prática. Se não for possível desenvolver a Mala Viajante no formato digital, usando os canais de comunicação com as famílias, crie um roteiro com o passo a passo escrito para os pais, disponibilizando as historias e tudo mais que for possível, que possa ser impresso e com os devidos cuidados distribuídos.

Viram quantas atividades bacanas na minha proposta da Mala digital viajante de literatura? Não tem como não criar a imersão na leitura e na literatura como falei anteriormente. Será um prazer para toda a família e uma grande contribuição na aprendizagem e desenvolvimento das crianças!

Mas e vocês, queridos professores e professoras, quais materiais ou práticas adaptaram para o formato digital ou para o ensino remoto? Conte aqui nos comentários.

Espero que tenham gostado e até a próxima!

Um grande abraço,
Mara

Mara Mansani é professora há quase 30 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2006, teve dois projetos de Educação Ambiental para o Ensino Básico publicados pela ONG WWF, no livro “Muda o Mundo, Raimundo”. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga.

Tags

Guias