Como fazer uma boa gestão do tempo durante a quarentena?

Veja como equilibrar as tarefas profissionais e da vida pessoal em casa

POR:
Ana Paula Bimbati
Foto: Getty Image

O distanciamento social trouxe muitas mudanças para a rotina. Entre elas, a forma de trabalhar. Relatórios, planejamento da aula a distância, preparar o almoço, gravar vídeos, arrumar a casa, responder WhatsApp, direcionar as famílias… São muitas tarefas para um único dia, não é mesmo? 

Se antes do trabalho remoto os professores já levavam trabalho para casa, com a mudança de rotina e acúmulo de novas tarefas, é de se esperar que o estresse tenha aumentado. “O isolamento social por si só já é um agente estressor na vida das pessoas”, explica Alfred Sholl-Franco, professor de Neurobiologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Segundo o especialista, esse sentimento pode resultar no aumento da irritabilidade, raiva a ansiedade.


A mudança da rotina já traz um desgaste emocional por si só. “Cumprimos rotinas. Somos ensinados que tem hora de acordar, por exemplo. Cada um pode ter o seu ritmo, mas todos têm um ritmo”. Por isso, repensar sua forma de trabalhar e fazer as adaptações necessárias no dia a dia podem te ajudar, professor, a atravessar por este momento tão desafiador. Confira 5 dicas para fazer uma boa gestão do seu tempo: 

1. Tenha um espaço para trabalhar
Muitas casas não têm um escritório ou um cômodo totalmente livre para montar um escritório, mas o espaço de trabalho pode ser adaptado em outros lugares. “É importante fazer essa diferenciação de onde se trabalha e onde você vai descansar, por exemplo”, afirma Vera Maria Barreira, orientadora educacional da Escola da Vila em São Paulo (SP).

Seja um lugar no sofá, na mesa de jantar ou até mesmo no quintal, o importante é o cérebro entender que ali você vai deixar “os problemas profissionais”. “Quando os dois mundos [trabalho e vida pessoal] se misturam, a gente fica mais vulnerável, por isso devemos fazer essa diferenciação”, sugere Vera. 

2. Demarque o horário de trabalho
Cada rede de ensino tem trabalhado de uma forma. Em algumas, os professores precisam enviar vídeos das aulas todos os dias, outras funcionam com atividades impressas e têm também aquelas, onde os educadores precisam acompanhar as aulas televisionadas e propor atividades ou tirar dúvidas. Independente de como tem sido o dia a dia de trabalho é importante delimitar horários para começar e terminar o expediente. 

“Demorei 15 dias para estabelecer uma rotina. No começo da quarentena, trabalhava de madrugada, porque corria com as muitas demandas e não queria deixar para o dia seguinte”, conta a professora Ana Luiza Tayar Lima, da EE Professora Idalina Caldeira de Souza Pereira, em Campinas (SP). 

Alfred sugere que as professoras e professores que têm filhos considerem outros horários com as crianças. “É importante que esse planejamento tenha encaixe para os horários de lazer e de alimentação com elas.”

3. Faça combinados nos grupos do Whatsapp 
Depois de definir seu horário de trabalho é importante compartilhar ele com os pais e responsáveis. “Já tinha os grupos antes da pandemia, mas mantivemos os combinados, que foram feitos de forma coletiva. Nada foi imposto”, relata Evandro Tortora, professor de Educação Infantil e colunista de NOVA ESCOLA. 

A professora Ana conta que fez o mesmo e abre exceções apenas para aqueles que não conseguem responder durante a semana. “Não vou deixar de atender as famílias, mas estava ficando estafada de trabalhar sem parar.” 

A dica da orientadora educacional Vera é avisar nos grupos ou deixar marcado no Whatsapp quando não estiver disponível. “A escola precisa ser sensível também, porque não tem vida normal nesse momento.”

4. Planeje seu dia ou sua semana 
Depois de alguns dias trabalhando madrugada adentro, Ana passou a planejar sua semana com as tarefas que precisaria executar em cada dia. “Deixo anotado o que preciso fazer e aquilo que não dá e não é urgente, deixo para o dia seguinte”, explica. Antes, a professora relatou que era difícil deixar alguma atividade para depois, mas que precisou entender que o momento atual não é normal. “Esse momento não está sendo fácil para ninguém, muito menos para nós professores”.

Dentro desse planejamento o que ajudou a professora a se organizar também foi criar planilhas para controlar as tarefas da semana e os conteúdos trabalhados. Além do calendário de atividades, ela mantém um documento de atendimento para acompanhar quando falou com cada família, tirou dúvida, por exemplo.

5. Compartilhe com outros professores 
O momento, como falado pelos professores, não é normal e, por isso é importante compartilhar com outros colegas. “A gente não pode trabalhar sozinho. É interessante que os educadores tenham grupos colaborativos, por exemplo, que compartilhem atividades”, aconselha Evandro. 

Além disso, esses grupos podem servir para dividir angústias desse período de distanciamento social e tantas novas tarefas na rotina do professor.

Tags

Guias