Sugestão de atividade: criando e contando coleções

Trabalhar com objetos em quantidades diferentes é uma boa forma de desenvolver a noção de contagem

POR:
Miguel Martins
Oriente os alunos a criarem suas próprias coleções. Ilustração: Nathalia Takeyama

No 1º ano do Ensino Fundamental, os alunos estão construindo sua alfabetização matemática. Em tempos de ensino remoto, atividades que permitam às crianças utilizarem objetos presentes em suas casas para desenvolverem noções básicas sobre o sistema decimal são uma boa forma de trabalhar a contagem e a quantificação de elementos. 

A sugestão abaixo, adaptada do Plano de Aula da professora Simone de Oliveira da Silva, propõe partir da ideia de coleções para desenvolver essas noções. A atividade, que os alunos podem fazer com o apoio da  família,  permitirá que você tenha uma boa ideia do quanto a turma está familiarizada com o sistema decimal quando essa aula for retomada no retorno à escola. 



ATIVIDADE: CRIANDO E CONTANDO COLEÇÕES EM CASA

Oriente os alunos e suas famílias a usarem objetos de suas casas para desenvolver noções de quantificação e contagem


Indicado para: Turmas de 1º ano

Materiais necessários: Objetos presentes nas casas dos alunos, acesso à internet, ferramentas digitais como WhatsApp e o jogo online Completando Números, do site Escola Games (disponívem em http://www.escolagames.com.br/jogos/completandoNumeros/).

Na BNCC: EF01MA01


PASSO A PASSO

Aula remota

1. Envie imagens de duas coleções

: Mande fotos com exemplos de duas coleções ou utilize o modelo pronto do plano de aula de NOVA ESCOLA “Representando e comparando quantidades de coleções diferentes” (veja abaixo). Cada coleção tem de possuir uma quantidade diferente de objetos. Peça que os alunos expliquem por áudio no WhatsApp ou por outro meio quais as diferenças entre as duas coleções. É importante que, além de identificarem os tipos de objetos em cada uma, eles consigam perceber a diferença de quantidade entre elas. 

 

2.Oriente a criação de coleções em casa:  Peça aos alunos, com supervisão dos pais, para buscar objetos na casa que se repitam em até 20 unidades para formar três coleções. Podem ser folhas de papel, lápis, palitos de dentes, bananas, velas e o que mais a criatividade e o contexto familiar permitir. Inicialmente, é importante que as coleções tenham números de objetos diferentes, como, por exemplo, 13 unidades de palitos, 10 folhas de papel e 7 de lápis.

3. Peça que as crianças completem as coleções: Após formar três coleções de quantidades diferentes de objetos, oriente os alunos com a mediação da família a contar quantas unidades ele precisa colocar em todas elas para que tenham o mesmo número de unidades. Por exemplo: para que todas as coleções tenham 13 unidades como a de palitos, é preciso que a criança adicione 3 folhas de papel e 6 de lápis. 

Peça fotos aos familiares de como ficaram as coleções ao final. Os alunos podem responder, por áudio de WhastApp ou por meio de desenhos feitos a mão ou em programas como Paint, que objetos eles precisaram acrescentar e quantos de cada um deles ele incluiu nas coleções. Peça ainda que eles compartilhem com a turma fotos das coleções antes e depois de serem modificadas. 

PONTO DE ATENÇÃO: Recomende aos responsáveis que os alunos tenham autonomia para fazer a contagem enquanto tentam chegar à solução. É importante dar a eles a chance de resolverem o problema por conta própria e lembrar que o erro faz parte do aprendizado. 

4.Sistematize os conceitos: Reforce aos alunos que, quando temos duas ou mais coleções diferenciadas, devemos contá-las para deixá-las com a mesma quantidade. O importante é que eles priorizem a quantidade, e não o tamanho dos objetos.  É interessante sondar com os estudantes ou suas famílias se eles tiveram dificuldade na atividade e quais estratégias usaram para resolvê-la.

5. Proponha um jogo online: Com as noções desenvolvidas a partir da atividade com as coleções, sugira aos alunos que se arrisquem em uma partida do jogo Completando Números, da plataforma Escola Games. No jogo, as crianças precisam aplicar seu conhecimento sobre contagem ao completarem os números que faltam nos ovos da galinha Nina. No modo fácil, testa-se a capacidade dos alunos de identificarem as unidades de 1 a 20 e de reconhecerem diferentes intervalos, como trabalhar com múltiplos de 2, 3 e 5 de uma forma intuitiva. 

Aula presencial

Para as turmas de 1º ano, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) prevê que os estudantes sejam capazes de contar até 100 unidades de objetos de uma coleção. Esse desenvolvimento é previsto de forma gradual, explica Fernando Barnabé, diretor da rede Trilhas do Saber e da Edu.co Ensino Consultoria. “No 1º ano, é interessante trabalhar inicialmente com até 20 unidades, para depois buscar chegar até 100”. 

Sendo assim, a primeira coisa a se fazer no retorno das aulas presenciais é uma avaliação diagnóstica, diz Kátia Smole, diretora do Mathema, instituição especializada no ensino de Matemática. “Ela é importante porque não se sabe se os alunos aprenderam só por terem feito atividades bacanas a distância. A família não necessariamente vai conseguir dar o apoio para as crianças aprenderem. Então é importante saber quem aprendeu, o quanto aprendeu e se já é possível avançar.”



Esta sugestão de atividade foi adaptada da sequência Trabalhando com quantidades, com 11 planos de atividade criados por Simone de Oliveira da Silva, professora-autora do Time de Autores NOVA ESCOLA, de Joinville (SC). Para conferir a sequência na íntegra, clique aqui.

Tags

Guias