BAIXE O PDF: Tabela com objetivos da BNCC e atividades prioritárias para os bebês

Preparamos um quadro que indica as atividades mais facilmente adaptáveis pela família ao ambiente da casa

POR:
Nairim Bernardo
A seleção leva em conta a disponibilidade de espaço e materiais das famílias. Ilustração: Nathalia Takeyama/NOVA ESCOLA

Por mais que seja frustrante, é preciso entender que a situação pela qual o mundo está passando é atípica e impossibilita o cumprimento das atividades conforme o planejado no início do ano letivo de 2020. Para começar o replanejamento, tenha a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) como guia e procure analisar quais objetivos de aprendizagem e desenvolvimento podem ser adaptados para ser trabalhados em casa sem que haja prejuízos para a criança e quais devem ser trabalhados com mais profundidade na volta das atividades presenciais.

Com a ajuda de especialistas, NOVA ESCOLA preparou uma tabela de priorização que pode servir para orientar os trabalhos dos educadores. “As atividades sugeridas favorecem a postura investigativa dos bebês a partir de materiais e espaços possíveis para o ambiente doméstico”, explica Beatriz Ferraz, diretora da Escola de Educadores e da Escola Global Me e responsável pela organização da tabela.

Clique no botão abaixo para conferir a tabela em PDF, salvá-la no seu computador e discuti-la com seus colegas.

BAIXE O ARQUIVO

PONTO DE ATENÇÃO: A seleção apresentada na tabela é apenas uma das muitas possibilidades de priorização. Para decidir o que trabalhar com a sua turma, é importante levar em conta quais habilidades já foram desenvolvidas este ano, o contexto em que a sua escola se insere e, no caso das redes públicas, as diretrizes determinadas pela secretaria de Educação. Se você quiser, é possível solicitar o envio do escopo-sequência de NOVA ESCOLA na íntegra e fazer a sua própria seleção. É só clicar aqui.

Neste momento, a consultora Ana Teresa Gavião selecionou atividades de acordo com o nível de facilidade para serem adaptadas ao contexto doméstico, levando em conta a possível disponibilidade de materiais e espaço. “Em todos os momentos e em qualquer atividade é preciso considerar os cinco campos de experiência e os seis direitos de aprendizagem das crianças [conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se], pois em uma mesma proposta cada bebê poderá estar mais atento a um aspecto”, explica Karina Rizek, consultora da Avante Educação e Mobilização Social e Formadora da Escola de Educadores.

Além das brincadeiras, as ações de cuidado e bem-estar também aparecem na tabela. “Momentos como o banho, a soneca e a alimentação vão obrigatoriamente acontecer em casa. Se há um adulto sensibilizado sobre como pode se relacionar com as crianças nesses momentos, de forma a incentivar a aprendizagem, o professor tem um aliado, e vice-versa”, comenta Beatriz.