Atividade em casa 1: Brincando com espelhos no lar

Estimule os pequenos a construírem sua autoimagem com materiais acessíveis às famílias

POR:
Nairim Bernardo
Brincadeiras com espelho ajudam a promover o vínculo com os bebês. Ilustração: Nathalia Takeyama/NOVA ESCOLA

Durante a primeira infância, as crianças começam a construir a autoimagem. Para ajudá-las nesse processo e estimular um autoconhecimento mais dinâmico, o espelho pode servir como importante aliado na Educação Infantil. O objeto costuma chamar bastante atenção dos bebês e pode ser acompanhado de outros materiais, como tecidos, acessórios e músicas.

“A atenção dos familiares com os bebês costuma estar focada nas ações de cuidado [alimentação, banho e sono, entre outras], mas há outras formas de promover o vínculo entre eles e o desenvolvimento, como as brincadeiras”, sugere Vládia Pires, supervisora pedagógica da rede municipal de ensino de Campina Grande (PB). Ela também sugere que os adultos convidem outras crianças que morem na casa para participar desses momentos.

Com a ajuda de Vládia, NOVA ESCOLA adaptou o plano de atividade Brincadeiras no Espelho para ser usado em casa. Esse é um exemplo de atividade que os educadores podem propor às famílias após replanejar e priorizar as habilidades a serem trabalhadas.



ATIVIDADE: BRINCANDO COM ESPELHOS NO LAR

Como ajudar a família a organizar um momento de autoconhecimento para a criança


Indicado para: Bebês (zero a 1 ano e 6 meses)

Material: Espelho acrílico (ou de material inquebrável) fixado com segurança e, preferencialmente, que possibilite ao bebê ver seu corpo inteiro; tecidos, lenços ou tecidos não tecidos (TNTs) para cobrir o espelho; acessórios de vestuário; celular ou aparelho para reproduzir música. 

Na BNCC: EI01CG02, EI01EO02, EI01ET03


PASSO A PASSO

1. Estabeleça contato com as famílias: Explique a importância da atividade e convide-as a realizarem essa brincadeira em casa. Sugira que elas gravem um vídeo curto da interação do bebê com o espelho para posterior compartilhamento com a professora e com os outros pais da turma.

PONTO DE ATENÇÃO: A gravação deve ser breve e ocorrer quando o bebê já teve seu tempo para investigar e explorar as possibilidades da brincadeira. 

2. Organize o espaço e os materiais: O espelho deve estar em um lugar onde a criança tenha um bom espaço de movimentação e possa brincar de modo seguro. Separe tecidos, acessórios e músicas que tenham o corpo como temática. Para o início da brincadeira, cubra o espelho com um tecido e, caso possível, fixe uma fotografia ou recorte de revista em que apareçam crianças realizando diferentes gestos.

3. Atenção ao tempo do bebê: Aproxime-se do espelho junto com o bebê e observe suas interações com o espaço, com os objetos, com a imagem fixada e sua reação ao descobrir sua imagem no espelho ao levantar o pano. “Às vezes, nem é o espelho que chama mais atenção. O ideal é que a família reserve um tempo suficiente para a criança entender, investigar e aprofundar sua experiência. A condução do adulto não precisa ser imediata, é importante um tempo de exploração livre”, comenta Vládia.

4. Utilize músicas: A família pode cantar, tocar ou reproduzir músicas em um aparelho celular para estimular a brincadeira. O bebê, o adulto responsável pela brincadeira e as demais crianças presentes no momento devem ser convidadas a dançarem e interagirem entre si, com seus reflexos e com os objetos. Fique sempre atento a como a criança reage aos diferentes estímulos.

5. Proponha movimentações: De frente para o espelho, os participantes devem propor e imitar caretas (sugestão de música: Careta, da Palavra Cantada). Depois, convide os bebês a tocarem diferentes partes do próprio corpo (sugestão de música: Cabeça, Ombro, Joelho e Pé). 

6. Finalize a brincadeira: Peça que o bebê se aprecie no espelho e sinalize a ele qual será o próximo momento do dia, atribuindo uma previsibilidade das próximas ações do cotidiano e ajudando-o na compreensão das noções de tempo e espaço. Antes de deixar o local, peça que ele ajude a família a guardar os tecidos e demais objetos utilizados na brincadeira em uma caixa. 

7. Troque experiências: Caso seja possível, realize uma segunda conversa com as famílias por videochamada e peça para que cada um se expresse verbalmente sobre sua experiência e a de seu bebê nessa brincadeira. Dê sequência à conversa e fale sobre como o corpo pode ser um potente meio de comunicação e expressão do bebê. Caso não seja possível, elabore um pequeno texto ou áudio com esses pontos e encaminhe para os responsáveis, colocando-se à disposição para receber dúvidas ou comentários. Utilize, como exemplo, trechos dos vídeos que você recebeu. Esse material deve ficar bem guardado e organizado, pois servirá de registro e poderá ajudar no planejamento de futuras atividades. 



Esta sugestão de atividade foi adaptada da sequência Brincadeiras com Espelho, com cinco planos de atividade criados por Bárbara de Mello, professora-autora do Time de Autores NOVA ESCOLA, do Rio de Janeiro (RJ). Para conferir a sequência na íntegra, clique aqui.