Geometria em casa: veja 4 sugestões de atividade

Conheça as possibilidades de trabalhar o tema, que antes era tão relegado

POR:
Selene Coletti
Foto: Getty Image

A geometria é um tema que há pouco tempo vem ganhando na prática escolar diária a sua importância e a conexão com o mundo real. No passado, ela era encontrada no final do livro didático e por isso ficava sempre relegada, em segundo plano, calcada em propostas baseadas em decorar nomes ou somente descrever características e propriedades.

Mas sabemos que não é bem assim. A geometria é muito rica em oportunidades para que as crianças explorem, representem, construam, investiguem, discutam e percebam as propriedades dos objetos do conhecimento que lhe são propostos para desenvolver o pensar geométrico.

Pesquisar planos de aula para usar a distância

Esse pensar abarca habilidades que permitem a percepção e visualização espacial, o reconhecimento e abstração das formas e a capacidade de representá-las através do desenho ou da construção do que foi idealizado. Isso permite perceber o mundo que nos cerca, o prazer da beleza das formas e a ludicidade da construção das figuras e objetos. Assim, a geometria vai muito além de simplesmente nomear as figuras.

Então, é essa leitura de mundo, pautada nessas habilidades, que venho propor algumas possibilidades de trabalho com a geometria a distância, nesse momento único e tão rico de oportunidades de aprender e ensinar. Possibilidades essas que podem ser adaptadas conforme a turma de cada um.

Você talvez possa pensar “se na escola já é difícil” como fazer à distância? Vamos tentar abrir nosso olhar e redimensionar a nossa prática para que mudanças no nosso fazer ocorram a partir desse tempo tão peculiar que vivemos.

Mesmo não estando diante das crianças para observarmos como estão pensando e até mesmo fazer as intervenções, podemos propor algumas situações nas quais possam colocar em jogo tudo o que sabem e, assim, aprender.

Estamos cercados por formas das mais diversas e é justamente um mergulho nesse mundo que proponho. Talvez possam perceber que vivemos num mundo tridimensional e possam representá-los por diferentes meios.

Mergulhando no mundo tridimensional

Tenho visto que muitas escolas criaram grupos das suas turmas no Whatsapp e vem obtendo bons resultados para diminuir a distância entre professor e aluno, assim como um feedback mais rápido. Os professores estão se superando no uso das ferramentas digitais e fazendo bom uso, até os mais tímidos, por isso, a proposta é utilizar o aplicativo para “esse mergulho”.  Evidente que é preciso garantir que todos tenham acesso ao mesmo – uma pesquisa prévia irá ajudar.

Por meio de uma gravação audiovisual, proponha que sua turma observe em casa as formas dos objetos presentes nos diferentes cômodos. Eles poderão fotografar o que observaram ou desenhar enviando pelo mesmo aplicativo.

Solicite também que descrevam o que observaram, os que já dominam a escrita poderão fazê-lo escrevendo e os que ainda não, gravando um áudio ou vídeo.

O objetivo é que percebam que todos os objetos são tridimensionais, ou seja, possuem comprimento, largura e altura: armários, fogão, geladeira, cadeiras, sofás, televisores, celulares, computadores, tablets, mesas, tapetes ...

Analise as descrições trazidas e observe o que mais apareceu, se citaram as formas dos objetos, se remeteram às formas geométricas conhecidas (círculo, quadrado, triângulo e retângulo) ou se foram um pouco além. A partir disso, grave um vídeo de devolutiva para a sua turma pontuando as respostas e conforme o caso, trazendo outros questionamentos para que percebam a tridimensionalidade dos objetos que os cercam.

Na sequência, solicite que busquem na casa diferentes objetos, façam uma lista dos mesmos e anotem quais rolam e quais não rolam. Pode ser numa tabela como a que está abaixo:

Depois da tabela preenchida peçam que descrevam o que observaram, explicando o porquê alguns conseguem rolar e outros não. Novamente analise as respostas e dê aos alunos uma devolutiva, sistematizando os conhecimentos trazidos.

Num outro momento, proponha que utilizando os objetos coletados anteriormente, carimbe-os em uma folha de papel. A turma poderá fazer tinta caseira para carimbar (para facilitar envie uma receita de tinta). Será mais divertido ainda!

Peça que fotografem o material produzido e descrevam o que observaram dos objetos, enviando para você. Os originais serão levados posteriormente para escola. Esse momento permitirá que possam ampliar o olhar para as propriedades desses objetos, percebendo as formas que os compõem.

Utilizando ainda a ideia do carimbo, você poderá apresentar a eles o artista Hélio Oiticica e suas obras – confira aqui e deleite-se. Você verá são obras em que as formas geométricas estão presentes. Poderá disponibilizar o link (se toda a sua turma tiver acesso à internet) ou escolher algumas para que seus alunos apreciem – enviando-as pelo aplicativo -  e depois proponha que façam uma releitura utilizando os objetos como carimbo.

Você poderá organizar um painel virtual com as obras da sua turma. Tenho certeza que ficará sensacional.

Registre todo esse percurso, por meio da escrita, de fotos, dos trabalhos dos alunos e você terá um bom material para avaliar a sua evolução e de seus alunos. Terá em mãos um material bastante rico que ajudará no planejamento de outras propostas e contribuirá para enxergar a geometria por um outro viés – o da beleza das formas que nos cercam.

E então, prontas prontos para esse mergulho?

Namastê! Até a próxima,

Selene

Selene Coletti é professora há 39 anos na rede pública. Atua na Educação Infantil e foi alfabetizadora por 10 anos tendo trabalhado do 1º ao 5º ano. Recebeu, em 2016, da Fundação Victor Civita, o Prêmio Educador Nota 10 com o projeto “Mapas do Tesouro que são um tesouro”, na área de Matemática. Foi diretora de escola e recebeu, em 2004, o Prêmio “Gestão para o Sucesso Escolar”, do Instituto Protagonistes/Fundação Lemann. Atuou como coordenadora do Núcleo de Formação Continuada do município. Atualmente é formadora da Educação Infantil, na Prefeitura de Itatiba.