Identificando os perfis profissionais da turma

Linguagens e suas Tecnologias - Empreendedorismo

POR:

Este conteúdo faz parte do curso Criatividade e Empreendedorismo, disponível gratuitamente no canal da Nova Escola, no Youtube.

Título da aula – Identificando os perfis profissionais da turma

Componente curricular – Linguagens e suas Tecnologias

Ano – 2º e 3º anos do Ensino Médio

Eixo estruturante do itinerário formativo – Empreendedorismo

Habilidades dos Itinerários Formativos Associadas às Competências Gerais da BNCC –
(EMIFCG10) Reconhecer e utilizar qualidades e fragilidades pessoais com confiança para superar desafios e alcançar objetivos pessoais e profissionais, agindo de forma proativa e empreendedora e perseverando em situações de estresse, frustração, fracasso e adversidade.(EMIFLGG12) Desenvolver projetos pessoais ou produtivos, utilizando as práticas de linguagens socialmente relevantes, em diferentes campos de atuação, para formular propostas concretas, articuladas com o projeto de vida.

Objetivo de aprendizagem – Desenvolver e/ou ampliar o autoconhecimento em relação às habilidades pessoais e colocá-las em prática por meio de um desafio real.

Professor-autor – Giulianne Ferreira Zagury Gomes, Professora de Linguagens na Escola Estadual Professora Jacimar (Manaus - Amazonas).

Materiais necessários – Quadro, pincel (ou giz), papéis A4 ou blocos de anotações (ao menos um por grupo), canetas, projetor (caso não esteja disponível, você poderá imprimir as imagens e os textos e distribuir para que os estudantes possam visualizá-los. Outra opção é reproduzir o esquema dos tipos de personalidade no quadro), cópias do questionário com perguntas sobre os seis perfis de personalidade e lista com as profissões relacionadas a cada perfil.

Materiais complementares – A sugestão para iniciar a aula é confeccionar um cartaz com informações do perfil de John L. Holland, que elaborou a teoria das personalidades. Você pode colocar nome completo (John L. Holland), nacionalidade (estadunidense), a profissão (psicólogo), o local onde ele trabalhava (Universidade Johns Hopkins) e outras informações que considerar relevantes.

Referências – On faculty: Still theorizing after all these years, entrevista com John L. Holland publicada no jornal da Universidade John Hopkins.
Holland´s occupational personality types.HOLLAND, J. L.; GOTTFREDSON, G. D. Dictionary of Holland Occupational Codes. United States: Psychological Assessment Resources, 196.

Observação – A aula pode ser conduzida em inglês para que os alunos ampliem o vocabulário e aprimorem o uso da língua estrangeira. Trata-se de uma sugestão, não sendo obrigatória para o desenvolvimento da proposta.

Tempo sugerido – 50 minutos.

Espaço – A atividade deve ser realizada, preferencialmente, na biblioteca.

Etapas

1 – Introdução

Segure o cartaz e faça perguntas em primeira pessoa: eu sou John L. Holland? Sou norte-americano? Sou psicólogo? Diante das óbvias negativas, diga que aquelas informações são do perfil de John L. Holland, responsável pela elaboração da teoria das personalidades, com a qual vocês irão trabalhar hoje. Mostre a foto dele.

2 – Desenvolvimento

características pessoais e vocação ocupacional. Para ele, a escolha profissional é uma expressão da personalidade da pessoa. Conte que ele classificou seis perfis básicos. Ressalte que as pessoas possuem características de mais de um desses perfis, mas que, em geral, há um predominante. São eles: realista, artístico, empreendedor, convencional, social, investigativo.

Diga à turma que eles irão realizar uma atividade de autoconhecimento. Para tanto, você pode propor que eles respondam um questionário com frases descritivas de diversos aspectos relacionados aos seis perfis indicados por Holland. São afirmações sobre comportamento, valores e características pessoais. Lembre a eles que o objetivo é descobrir quais são as características predominantes no perfil de cada um para entender melhor o potencial deles. Para isto, eles precisam responder com sinceridade. Diga a eles que é importante saber as habilidades de cada um para desenvolvê-las. O mesmo valor tem o conhecimento de quais aspectos eles têm mais dificuldades em colocar em prática.

Você pode elaborar um questionário com cerca de dez perguntas por perfil, utilizando os exemplos do artigo Holland´s occupational personality types.

Distribua o questionário para os alunos. Peça que coloquem uma pontuação ao lado de cada frase de acordo com a afinidade em relação à afirmação. Explique o que representa cada número de acordo com a tabela abaixo:

0 – A frase não tem nada a ver comigo.
1 – A frase tem um pouco a ver.
2 – A frase tem muito a ver comigo.
3 – A frase tem tudo a ver comigo.

Proporcione um tempo para a turma responder.

Depois de responderem, peça que calculem a pontuação obtida em cada bloco de perguntas. Eles devem somar os pontos, dividir por 30 e multiplicar por 100. O resultado vai apontar a porcentagem do perfil que mais se destaca.

Apresente as características dos seis tipos básicos de personalidade. Antes de ler e comentar as características de cada um deles, pergunte quem na turma tem aquele perfil como predominante.

Mostre a eles os cartazes pregados nas paredes com as listas de profissões associadas ao perfil predominante. Convide os alunos a verificar a lista correspondente ao resultado de seu teste. Propicie um tempo para que analisem. Comente que o resultado do teste não significa um estilo determinado para sempre, uma vez que as pessoas estão em constante mudança. Lembre que a ideia é que ele funcione como uma ferramenta de autoconhecimento.

Divida a turma em seis grupos de acordo com os tipos de personalidade predominante no perfil de cada aluno e diga que irá apresentar um desafio a eles.

Convide os estudantes a pensar em propostas para melhorar o aproveitamento da biblioteca. Explique que cada grupo terá que desenvolver um aspecto do projeto. Distribua as missões de acordo com os tipos de personalidade:

Realista – Como organizar melhor as prateleiras da biblioteca?
Artístico – Desenvolver o marketing da biblioteca para ampliar o uso dela.
Empreendedor – Criar metas para aumentar o uso da biblioteca.
Convencional – Elaborar (ou melhorar o já existente) sistema para acompanhar os empréstimos e as devoluções dos livros.
Social – Identificar quais as dificuldades para a utilização da biblioteca e propor soluções.
Investigativo – Pesquisar a organização e disposição dos livros e pensar em como melhorar o sistema.

Proporcione um período para que os grupos discutam as sugestões.

Depois de elaboradas, peça a cada grupo que compartilhe suas propostas com os demais. Instigue a turma a comentar as ideias.

Pergunte se todos ficaram confortáveis com o perfil em qual se encaixaram e com a missão proposta.

3 – Fechamento

Convide um bibliotecário e organize um encontro com os alunos. Proponha que a turma apresente e discuta com ele a viabilidade das ideias e sugestões. Desafie os alunos a colocar em prática as propostas.

4 – Avaliação

A avaliação da atividade deve ser realizada de maneira processual. Durante o processo, o professor pode observar a argumentação, a coerência, a criatividade e a postura dos alunos ao expor as sugestões de como cumprir as missões dadas. Também pode ser analisado o trabalho colaborativo e a capacidade de planejamento e organização dos estudantes ao colocar em prática as ideias apresentadas.

 

Tags

Guias