A aula é online: dicas para gerir bem o tempo na quarentena

A professora alfabetizadora Mara Mansani recomenda alguns cuidados para garantir uma rotina equilibrada durante o isolamento social

POR:
Miguel Martins
Foto: Getty Images

Planejar aulas, propor atividades, corrigir trabalhos e provas, avaliar o desenvolvimento dos alunos... a rotina dos professores sempre foi bastante puxada. Mas, para muitos, o cotidiano ficou ainda mais atarefado com a necessidade de se adaptar às aulas a distância durante a pandemia de coronavírus.

A falta de contato presencial com os estudantes e a necessidade de trabalhar mais próximo das famílias pode resultar em enorme esforço diário. Por isso, é importante cuidar da própria saúde física e mental, além de não exagerar na hora de cobrar atividades das crianças e seus familiares.

É tempo de compartilhar
Confira a entrevista na íntegra com Mara Mansani

CLIQUE PARA ASSISTIR

Em circunstâncias tão desafiadores, administrar o tempo é fundamental para não passar do ponto. Em conversa com a equipe de NOVA ESCOLA no Facebook, a professora alfabetizadora Mara Mansani ressaltou a importância de se preservar e de ser cuidadoso ao definir um roteiro de atividades. Confira abaixo algumas dicas para gerir o tempo nas aulas a distância.

A rotina da escola não pode invadir a rotina da família

A adaptação a uma nova rotina sempre nos afeta, não é mesmo? Diante de um cenário profissional que não estamos acostumados, é comum exagerarmos na dose de tempo para garantir o cumprimento dos nossos planejamentos. Mas é importante lembrar que existe um limite entre a vida pessoal e profissional e precisamos respeitá-los.

Mara considera que, na ânsia de querer mandar o máximo de informações e tarefas possíveis para as famílias, muitos professores têm passado do ponto. “Dessa forma, ninguém vive e os pais ficam enlouquecidos em casa”, alerta. Ela compreende que em um primeiro momento alguns colegas possam ter estabelecido metas muito ousadas, talvez por insegurança e pela situação de novidade. Mas é importante não deixar a rotina da escola invadir a rotina da família.

Para isso, ela sugere que os planejamentos sejam feitos com base no contexto de cada escola, mas com cuidado. Mara, por exemplo, costuma enviar orientações aos familiares sobre as atividades. “Mas não envio todo dia. É importante fazer gradualmente, passo a passo”, recomenda. “É possível pedir várias atividades, mas dá para sugerir com calma, de forma suave. Não pode ser uma rotina gigantesca que tome o tempo da família de manhã e de tarde”.

Flexibilize a carga horária

Cada escola tem uma carga horária diária específica, respeitando o mínimo de 800 horas anuais. Mas o tempo na escola não é o mesmo que o tempo em casa e nem uma reprodução do espaço escolar. Se as crianças da sua escola costumam ter 5 horas de aula por dia, não imagine que elas conseguirão cumprir o mesmo horário a distância, não apenas pelas dificuldades de adaptação, mas pelos limites que cada família tem para mediar a relação entre os professores e os estudantes.

Mara recomenda não cobrar a mesma carga horária da sua escola nesse período. Ela sugere reduzir de cinco horas, por exemplo, para no máximo três horas. “Os pais não têm esse tempo todo, porque há também uma demanda familiar”.

Planeje atividades criativas

Muitos professores já valorizam as brincadeiras ao planejarem suas aulas na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, mas essa postura pode ser ainda mais incentivada durante o isolamento social. É importante mandar para as famílias sugestões que possam garantir bons momentos para todos.

Confira planos de aula para uso a distância
alinhados à BNCC

Mara recomenda atividades lúdicas como fazer massagem nas crianças, criar um baú do tesouro, inventar jogos, cantar. É importante usar diversas linguagens e estimular a interatividade.

Que tal, por exemplo, propor a criação de uma história coletiva com os estudantes, em que cada um é responsável por dar continuidade à narrativa desenvolvida por outro?

Ou quem sabe sugerir uma sessão de ioga para os alunos? No YouTube, é possível encontrar vídeos que estimulam o aprendizado do alfabeto e o conhecimento do mundo animal (veja o exemplo abaixo).

Outra boa sugestão é despertar a curiosidade dos alunos pela ciência neste momento em que o tema está em evidência. Mara recomenda a série “Um Cientista, Uma História”.  O episódio abaixo narra a trajetória do médico Oswaldo Cruz, importante nome no controle de epidemias no Brasil no início do século 20.

Não trabalhe 24 horas por dia

Assim como é importante não deixar a rotina da escola invadir a da família, é fundamental respeitar limites em seu trabalho diário como professor.  É importante preservar sua saúde mental e física neste difícil período que vivemos.

Mara lembra que há professores que moram sozinhos e tem pouco espaço em suas casas. Outros tantos, também possuem famílias e precisam gerir as jornadas de trabalho e doméstica em paralelo. Logo, é importante não sobrecarregar os profissionais. “Precisamos cuidar da gente, porque a quarentena pode ir longe”. Apesar das dificuldades do momento, Mara lembra que nunca se pensou tanto sobre a importância dos professores e sobre o papel das famílias na Educação. “A palavra de ordem é a solidariedade”, diz.