Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Como estabelecer metas de alfabetização para minha turma?

Saiba como construir objetivos que colaborem com o processo de aprendizagem dos alunos

POR:
Mara Mansani
Crédito: Mariana Pekin

Todo ano, lá estamos nós, estabelecendo as metas para cumprir ao longo dos 365 dias. Tem gente que faz até lista: comer alimentos mais saudáveis, praticar atividade física, viajar, estabilizar as finanças, visitar amigos esquecidos... Todas essas metas podem, por exemplo, dizer respeito a um objetivo principal e maior: ter qualidade de vida!

Mas e na Educação? Especificamente na alfabetização, como andam nossas metas na sala de aula, nas nossas escolas para a aprendizagem dos alunos? Você costuma estabelecer objetivos para a alfabetização na sua turma? Entende a importância deles?

Quando estabelecemos metas em sala de aula, marcamos um percurso de aprendizagem para nossos alunos. Com isso, temos um passo a passo das nossas ações pedagógicas com tempo definido para acontecer e critérios para entender se o percurso foi realmente produtivo.

Faça nosso combo especial de cursos para BNCC do Ensino Fundamental 1

Mas para estabelecer metas é preciso, primeiro, definir exatamente quais são seus objetivos. Eles devem ser sua prioridade. As metas são as tarefas que você vai realizar com seus alunos para atingir seu objetivo.

Por isso, cumprir a meta é alcançar seu objetivo. Pense primeiro: quais são os desafios na aprendizagem dos seus alunos? Liste os principais. Entre eles, priorize um. Por exemplo, se a sua prioridade, no momento, for relacionada a leitura, seu objetivo pode ser  “100% dos alunos leem com mais fluência e autonomia textos do Campo da Vida Pública (notícias curtas para público infantil, textos de campanhas de conscientização destinados ao público infantil) em determinado tempo” (de acordo com a necessidade de aprendizagem da turma).

Quais metas você pode estabelecer com sua turma nesse sentido? Quais serão a curto, médio e longo prazo?

Veja algumas possibilidades:

A curto prazo: oferecer às crianças o acesso aos materiais impressos em portadores do gênero como cartazes e folhetos, suplementos jornalísticos infantis, uma vez por semana, dentro do prazo de um mês. Para que assim conheçam e se habituem a leitura, que nessa etapa pode ser realizada pela professora.

A médio prazo: realizar com as crianças práticas de leitura compartilhada de notícias curtas e textos de campanhas de conscientização. Os conteúdos devem ser destinados ao público infantil. Essa atividade pode ser feita pelo menos duas vezes por semana.

A longo prazo: desenvolver práticas de leitura de notícias curtas e textos de campanhas de conscientização, ambos destinados ao público infantil. As crianças podem ler individualmente com autonomia e responder pelo menos duas perguntas referentes aos textos, uma com resposta explicita e uma implícita. As leituras podem ser feitas uma vez por semana por dois meses consecutivos.

Confira mais de 6 mil planos de aula alinhados à BNCC

Dessa forma você terá programado em sua rotina mais de 20 tarefas de leitura para dois meses com a turma. Estabelecer metas, organizar, sistematizar e direcionar o seu trabalho em sala pode gerar impactos positivos na alfabetização dos alunos.

Mas como medir o progresso dos alunos?

A cada meta quantas crianças conseguiram desenvolver as tarefas estabelecidas e de maneira satisfatória?

  • Abaixo de 25%: refaça e/ou reprograme todas as tarefas propostas;
  • De 25 % a 50% das crianças: proponha mais atividades de leitura compartilhada;
  • Acima de 50% a 75% dos alunos: proponha mais atividades de leitura individualmente;
  • Acima de 75% até 100%: mantenha pelo menos uma atividade de leitura dentro da proposta.

Esse é um exemplo específico para estabelecer objetivos e metas dentro de uma área de estudo, mas você pode fazer outras propostas como melhorar a organização dos materiais em sala de aula e ampliar o vocabulário da turma.

Existem outros instrumentos bem interessantes que facilitam, direcionam e organizam todo o processo de estabelecer os objetivos e as metas. Um dos mais conhecidos é o SMART. Ele foi criado pelo austríaco Peter Drucker e é conhecido como uma ferramenta moderna na gestão de empresas. Esse modelo vem sendo usado em várias situações de planejamento, inclusive na Educação. Entenda abaixo:

Cada letra de SMART corresponde um critério para o estabelecimento das metas.

S- Específica (Specific)

Estabeleça objetivos e metas especificas, evitando ações genéricas que comprometem o planejamento por falta de clareza. As seguintes perguntas podem te orientar na definição desse item: o que? Por quê? Quem? Onde? Qual é?

M- Mensurável (Measurable)

Toda meta precisa ser mensurável, ou seja, precisa ser medida. É um critério importante pois define se a meta foi atingida ou não.

A- Alcançável (Attainable)

Defina metas que sejam desafiadoras, mas possíveis de serem alcançadas.

R-Relevante (Relevant)

As metas propostas devem ser prioridade e relevantes para o contexto que você está inserido. Qual o seu propósito com esse objetivo?

T- Temporal (Time-bound)

Estabeleça prazos! Organize e programe o tempo necessários das tarefas previstas para cada meta. É preciso saber onde queremos chegar.

Mas não importa o modelo ou ferramenta, o importante é aprendermos estabelecer as metas a partir dos nossos objetivos de aprendizagem dos alunos.

Espero que tenham compreendido e experimentem essa forma de organizar e planejar metas em sua sala e na alfabetização.

Um grande abraço e até o próximo post, 

Mara

Mara Mansani é professora há quase 30 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2006, teve dois projetos de Educação Ambiental para o Ensino Básico publicados pela ONG WWF, no livro “Muda o Mundo, Raimundo”. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga.