Aquecendo os motores: dois combos de cursos intensivos para aplicar a BNCC

É hora de se aprofundar e tirar todas as dúvidas sobre o documento

POR:
Ana Paula Bimbati

Em 2020, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) chega de forma oficial às salas de aula. O documento estabelece as competências e habilidades que todos os alunos da Educação Infantil até o Ensino Médio precisam desenvolver. No entanto, nem todos os professores acreditam que estão preparados para aplicar a Base com a sua turma. 

Segundo uma pesquisa feita pelo site de NOVA ESCOLA, apenas 9,8% dos professores que responderam ao levantamento dizem se sentir preparados para colocar o documento em prática. Outros 66% disseram que consideram estar “mais ou menos” aptos. 

Para colaborar com este desafio, lançamos dois combos de cursos intensivos. Para gestores escolares, os conteúdos têm o objetivo de prepará-los para a atualização do projeto político-pedagógico (PPP) e a organização das formações. Já para os professores, é uma oportunidade de aprender ou consolidar o uso de metodologias ativas com os alunos, o que tem tudo a ver com as competências gerais e específicas da Base.  

Entenda o conteúdo de cada intensivo: 

Intensivo Metodologias ativas

A BNCC orienta para que o aluno seja o protagonista do seu processo de aprendizagem. Por isso, nem sempre uma aula expositiva é o melhor formato para contribuir com o desenvolvimento da turma.  Por esse motivo, muitos professores adotam as metodologias ativas em sala de aula.  

“As metodologias ativas são maneiras de conseguir estimular o desenvolvimento dessas competências [da Base], que vão muito além daquele conteúdo tradicional de uma escola”, explica Harley Sato, professor do Ensino Médio e autor do curso “Metodologias Ativas - Como inovar sem tecnologia”

Segundo Sato, há um mito de que metodologias ativas não ensinam conhecimento aos alunos. “Isso é errado, porque para você desenvolver uma competência, habilidade, é preciso ter um conteúdo.”  

Além do curso “Como inovar sem tecnologia”, a Trilha de Metodologias Ativas oferece a formação sobre “Ensino Híbrido e Aprendizagem Baseada em Projetos”.

Para levar esse método para sala de aula, é importante lembrar o papel dos coordenadores pedagógicos de orientarem os professores. Uma dica é usar metodologias ativas nos momentos de formação e discussões coletivas, como o horário de trabalho pedagógico coletivo (HTPC). 

Acesse aqui

Intensivo Coordenação pedagógica
O coordenador pedagógico tem muitas atividades e funções durante o ano. Entre tantas tarefas, há a revisão do projeto político-pedagógico (PPP), que orienta as atividades seguindo a realidade de cada escola a partir do início do ano letivo. O documento é também uma etapa essencial para a implementação da BNCC. 

Para solucionar algumas dúvidas, as educadoras Priscila Arce e Sonia Guaraldo dão dicas de como conduzir esse processo no curso “Projeto político-pedagógico alinhado à BNCC”, a formação faz parte da Trilha para coordenadores pedagógicos. 

“Para iniciar a revisão, o gestor escolar deve estar ligado ao que está acontecendo no seu município e estado, ele deve participar destes momentos de formação da secretaria de educação, pois é importante que a revisão do PPP esteja contextualizada com o local”, diz Sonia. 

O coordenador precisa também estar atento às formações com professores, organização e sua rotina. Para isso, o curso “Coordenador Pedagógico: do planejamento à formação” é ideal para refletir sobre sua prática ou encontrar uma boa forma de cumprir com sua função. 

Acesse aqui

Quer continuar se aprofundando? Nas próximas semanas, teremos trilhas inéditas com foco em BNCC para cada etapa, Educação Infantil e Ensino Fundamental 1 e 2.