Ensino Fundamental: como inovar na volta às aulas?

Confira sugestões para começar seu ano aplicando as metodologias ativas e incentivando o protagonismo dos estudantes

POR:
Miguel Martins
Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

O início de um novo ano letivo é sempre uma ótima oportunidade para testar novas abordagens com seus alunos. Embora as tradicionais aulas expositivas tenham valor e sejam necessárias para explicação de determinados conteúdos, é importante que professores do Ensino Fundamental fortaleçam o protagonismo dos alunos na construção de seu conhecimento, algo essencial para desenvolver competências previstas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que passa a vigorar de forma obrigatória no Brasil em 2020.

Uma boa alternativa para fugir da mera exposição do conhecimento desde o início das atividades letivas é investir em aulas baseadas em metodologias ativas. Elas promovem competências como a colaboração nos trabalhos em grupo e a aprendizagem por problemas, favorecendo que os estudantes sejam capazes de desenvolver habilidades cognitivas e socioemocionais.

E, diferente do que pode parecer, para inovar nas metodologias não é necessário uso da tecnologia em sala. A metodologia dos incidentes críticos, por exemplo, usa acontecimentos (frequentes ou pontuais) para entender o que os estudantes acham mais interessante no conteúdo estudado e quais assuntos consideram mais importantes para sua aprendizagem. Esse é só um caminho para inovar. Para quem quer se aprofundar nas metodologias ativas sem tecnologia, vale conferir o curso da NOVA ESCOLA

sobre o tema:

Clique aqui para saber mais sobre este curso

Um ótimo exemplo do uso criativo das metodologias ativas vem da professora Mara Mansani, do 2° ano da EE Laila Galep Sacker, em Sorocaba (SP). Ela montou um circuito de aprendizagem, no qual as crianças transitam por diferentes estações de produção textual com o objetivo de escreverem um texto de curiosidade, outro instrucional e um verbete de enciclopédia sobre um tema que interesse à turma. Entenda como aplicar esse circuito de aprendizagem com suas turmas em NOVA ESCOLA BOX. Clique aqui para ler.

Para os professores dos anos finais do Ensino Fundamental, que tal deixar de lado o conforto da sua disciplina de formação e investir em uma abordagem pedagógica mais ampla como o Steam, sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática? A moderna tendência em Educação foi aplicada pelos alunos de Gizele Gasparri, do Colégio Albert Sabin, em São Paulo, que desenvolveram um interessante projeto interdisciplinar para alertar sobre a necessidade de preservação dos biomas brasileiros. Conheça melhor o Steam clicando aqui

Precisando de uma mão no planejamento de 2020? NOVA ESCOLA selecionou conteúdos especiais, dicas, planos de aula e cursos para auxiliar você, professor, na volta às aulas. Clique aqui para ler.