4ª Brincadeira: Corridas dos cones coloridos 

Com essa atividade, você introduz os pequenos no universo dos números e ainda trabalha as cores

POR:
Rosi Rico
Ilustração: Pedro Hamdam

Os números estão no cotidiano das crianças – no chinelo, na porta das casas, na etiqueta das roupas, na televisão, na contagem da professora ao distribuir os materiais que todos vão usar etc –, o que desperta a curiosidade delas. Nada mais natural, então, que apresentar conceitos de Matemática por meio de brincadeiras. Não para antecipar a aprendizagem do Ensino Fundamental, mas para dar sentido aos questionamentos em relação a este universo. 

Aliados no planejamento dessas experiências, os jogos de tabuleiro também contribuem para o aprendizado da convivência em grupo e do respeito às regras. O objetivo não é apresentar os números um de cada vez, na ordem da sequência numérica, mas sim propor situações de interesse das crianças, em que o uso de procedimentos de contagem serve para resolver os problemas que surgem. Na proposta do professor Evandro Tortora, os dados estão no centro da brincadeira. Confira! 

Faixa etária: crianças bem pequenas.

Lista de materiais: Um dado grande e com faces coloridas de diferentes cores. Seis cones de papel (ou carretéis de linha) de cores diferentes e que sejam correspondentes àquelas das faces do dado. Tabuleiro do jogo construído em papel grande (tipo kraft) ou emendando algumas cartolinas com medidas aproximadamente entre 2 metros de largura por 3 metros de comprimento (

Aqui você pode consultar um modelo do tabuleiro).

Espaço: A proposta pode ser desenvolvida no pátio, na sala ou em outro local onde seja possível a formação de uma grande roda. 

Abra uma roda de conversa: Diga à turma que eles irão brincar de “Corrida dos cones”. Apresente os elementos da brincadeira (dados, cones e tabuleiro) e esclareça quais são as regras. Conte que o tabuleiro será estendido no centro da roda e que cada cone ocupará a posição inicial para depois percorrer o tabuleiro até chegar ao final. Ressalte que os cones só poderão andar pelo tabuleiro se a cor for sorteada pelo dado. 

Inicie o jogo: Peça a ajuda das crianças para organizar o jogo: estender o tabuleiro e colocar os cones nas posições iniciais, ou seja, cada um na cor correspondente. Pergunte para qual cone elas irão torcer. Ouça e pergunte: “quantas casas do tabuleiro o cone precisa percorrer para ganhar?” Neste momento, elas podem querer se levantar para contar as casas. Incentive a ação. Para começar a partida, peça para uma criança jogar o dado e sortear uma cor. Depois, peça que movimente o cone uma casa a frente. As demais devem fazer o mesmo, seguindo a ordem em que estiverem na roda. 

Intervenções: Após algumas jogadas, comece a problematizar os lances que estão por vir. Quando, por exemplo, algum cone estiver a três casas para ganhar a partida, chame a atenção da turma com possíveis perguntas: “Olhem para aquele cone!; quantas casa ele deve percorrer para ganhar? Qual cone está em último lugar? Quantas casas ele andou?”. Essas intervenções servirão para suscitar situações de contagem e levar as crianças a levantar hipóteses. Incentive-as a responder e possibilite que elas mesmas façam a validação, realizando as contagens no tabuleiro.

Final do jogo: Quando algum cone alcançar a linha de chegada comemore com as crianças a vitória, mas não finalize as jogadas. Incentive a torcida pelos demais cones. Questione: “qual cone está mais próximo de chegar em segundo lugar?; por que você acha isso?; quantas casas o cone amarelo já andou?”. Continue as jogadas até que todas as crianças possam jogar o dado pelo menos uma vez ou até que três cones cheguem na linha de chegada.

Fique de olho: Observe como as crianças estão contando as casas. Elas elaboram as próprias hipóteses e fazem estimativas? Fazem contagem termo a termo com autonomia ou precisam de ajuda? Veja também a participação. Elas inferem o cone vencedor e torcem junto dos colegas? Elas sentem prazer em participar e agem em colaboração ao movimentarem as peças?

Inclusão: Identique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir uma criança de participar e aprender. Proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada uma delas. Incentive a colaboração entre as crianças. Aquelas que não conseguem jogar o dado podem movimentar os cones ou agir em conjunto para contar as casas do tabuleiro.

O plano de aula completo, com orientações sobre a brincadeira com cones coloridos, preparado pelo professor Evandro Tortora, está disponível aqui.

Tags

Guias