Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

A força da troca de experiências entre professores

Mara Mansani relembra participações em projetos de mentoria e de compartilhamento de boas práticas

POR:
Mara Mansani
Compartilhar experiências e boas práticas é um dos caminhos para melhorar a qualidade da educação no país. Crédito: Getty Images/ Hill Street Studios

Reta final do ano letivo! Balancete, retrospectiva e avaliação! Imagino que vocês, queridos professores, queridas professoras, estejam exaustos como eu. E não é para menos, afinal o ano foi intenso em trabalho em sala de aula e em polêmicas e dificuldades na educação em nosso país.

Poderia fazer uma lista longa com essas dificuldades que tivemos de enfrentar este ano, mas acredito que nosso foco deve ficar na nossa capacidade de, apesar de tudo, enfrentá-las e darmos nosso melhor em sala. Sem contar que não são elas, as dificuldades, que nos representam. O que nos representa é a nossa resiliência!

Este ano pude conhecer práticas por todo o país realizadas por professores incríveis e inspiradores –, que renderam muita aprendizagem em sala de aula. Também participei de projetos nos quais pude aprender muito e repensar minha prática em sala. Me fortaleci!

Compartilho com vocês os melhores momentos desta quase “retrospectiva” do meu ano letivo, nos quais as palavras de ordem foram: Compartilhar e acreditar!  

As trocas durantes as mentorias

Participei de dois projetos de mentoria este ano, pela Nova Escola e pelo Programa Ensina Brasil. Fui mentora de três professores com perfis bem diversos. Eles atuam em diferentes regiões (Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste) e segmentos (Educação Infantil, Fundamental l e Ensino Médio). Em encontros virtuais, durante alguns meses, pude conversar e trocar experiências com cada um deles sobre temas que dizem respeito a todos nós, educadores, tais como: gestão da sala de aula, práticas pedagógicas que trazem bons resultados na aprendizagem dos nossos alunos, mediação de conflitos, BNCC, dúvidas e possibilidades de avançar em nossas carreiras, saúde do professor e muito mais. Isso exigiu de todos nós estudo e muita reflexão. 

Acredito que pude contribuir com minha experiência de 32 anos de sala de aula. E como pude aprender com eles! Talvez a maior lição tenha sido o “acreditar”! Acreditar que podemos fazer a diferença em sala de aula e na vida dos nossos alunos. Depois de tanto tempo, vamos ficando mais duros, mais calejados e, muitas vezes, perdendo essa capacidade de acreditar que é a essência da nossa profissão e nos rendendo à rotina mecânica de fazer porque tem que fazer. Vamos nos tornando tristes e adoecidos, por vários motivos e razões. Foram experiências incríveis! Saio delas renovada.

O compartilhamento de saberes e práticas

Temos problemas na educação e isso todo mundo já sabe! Mas também temos professores que estão fazendo um caminho bem diferente e de qualidade em suas escolas e redes. Pelo Brasil afora pude também aprender muito com todos eles e suas práticas inspiradoras. Muitas delas fui contando ao longo do ano aqui no Blog. No segundo semestre, participei de alguns seminários de compartilhamento de práticas pedagógicas organizados pela Rede Conectando Saberes, uma ação coletiva de professores da qual eu também faço parte. Eles ocorreram por todos os estados brasileiros. Dá para imaginar professores de todos os segmentos e disciplinas, coordenadores e gestores apresentando o melhor em suas escolas e redes de educação? Foi o que ocorreu durante os seminários “Conectando Boas Práticas”. Eles foram organizados e realizados por professores voluntários, em colaboração com parceiros a Fundação Lemann é uma das apoiadoras e, em sua maioria, com participação de municípios e suas redes de educação. Foram milhares de projetos inscritos e centenas de docentes premiados. O núcleo de Sorocaba da rede Conectando Saberes, do qual faço parte, reconheceu e premiou 20 professores da cidade e região. Participei também dos seminários realizados em Santo Antônio do Monte (MG), Recife (PE), Cascavel (PR) e Ponta Grossa (PR).  O melhor é que, em 2020, todas essas práticas do Brasil inteiro estarão disponíveis em um e-book, que será disponibilizado a todos os professores brasileiros. Projetos maravilhosos de todas as disciplinas, de alfabetização, meio ambiente, cultura afro-brasileira, inclusão, tecnologia e muito mais. Projetos para inspirar ações em 2020.

Professores de Sorocaba e região são premiados durante seminário Conectando Boas Práticas. Imagem:  mandell_photos

Pude conferir propostas como a de uma professora que convidou os alunos a construir o protótipo de um drone; de outros que levaram a educação para fora da sala de aula envolvendo a comunidade; de escolas que se tornaram sustentáveis a partir de projetos de educação ambiental; de professores que, com o uso de metodologias ativas, transformaram suas salas de aula; de educadores que realmente fizeram a inclusão acontecer criando materiais e espaços de interação para seus alunos e de docentes que alfabetizaram por meio da história e cultura local. Isso é só uma pequena amostra do que vem por aí!

Também tiro uma lição muito importante dessa experiência de participar, organizar e realizar esses seminários. Se nos unirmos, realmente podemos contribuir na construção de uma educação de qualidade para todos. Que força temos quando nos apoiamos e compartilhamos nossos saberes! É a primeira vez que participo de um movimento desse tamanho e com esse impacto, realizado por professores em nosso país. A nossa valorização profissional começa por nós!

Então, para o próximo ano, que a gente possa levar essas lições tão importantes para a nossa profissão: acreditar que podemos fazer a diferença e que juntos podemos transformar a realidade da educação brasileira. Não estamos sós! Que possamos cada vez mais nos fortalecer em rede. E que venha 2020! 

Um grande abraço a todos e até semana que vem!

Mara Mansani