Como organizar a jogatina

A hora de colocar o jogo em ação precisa também ser pensada e aplicada com cuidado. Conheça dicas para intervir nesse momento

POR:
Wellington Soares
Criança joga Trunfo dos Dinossauros em aula da professora Patrícia Alves Rodrigues, da EE Constâncio Vieira, em Estância (SE)
Foto: Marcio Garcez

Para promover o desenvolvimento de habilidades e a conquista de aprendizagens, os jogos precisam estar inseridos em um planejamento maior, que considere também outras estratégias para que os alunos façam novas descobertas e aprofundem o que já sabem. Planejar o encadeamento dessas ações é, portanto, fundamental. Mas também é preciso pensar nas ações desenvolvidas na hora de jogar. Elas podem amplificar – e muito – o potencial de um jogo. Conheça, abaixo, o exemplo da professora Patrícia Alves Rodrigues, da EE Constâncio Vieira, em Estância (SE), e veja como reproduzi-lo em sala. Patrícia utiliza o jogo Super Trunfo dos Dinossauros para iniciar os alunos na conversão de unidades de medida de comprimento (centímetros, metros, por exemplo), velocidade (km/h) e massa (gramas, quilogramas e toneladas).

O que abordar: O conhecimento de grandezas e medidas
Material: Cartas de Super Trunfo
Espaço: Sala organizada em duplas
Duração: A combinar com os estudantes

PASSO A PASSO

Criança joga Trunfo dos Dinossauros em aula da professora Patrícia Alves Rodrigues, da EE Constâncio Vieira, em Estância (SE)
Foto: Marcio Garcez

1- Explique o jogo e as regras: apresente aos alunos o jogo. Explique que cada carta apresenta um item (como um dinossauro ou outro animal) e, abaixo da imagem, há algumas características, como o peso. A cada rodada, os participantes vão embaralhar as cartas e dividi-las entre os dois jogadores. Depois, selecionarão uma carta de seu conjunto e definirão uma única característica para comparar – a altura, por exemplo. Ganha quem tiver o valor maior.

2- Estabeleça combinados: proponha que os próprios estudantes levantem sugestões para que o momento do jogo seja proveitoso. Questões como "não gritar" ou "não tirar sarro do colega que perder" são algumas sugestões que podem surgir e ser aperfeiçoadas em aulas posteriores. Também combine a duração do jogo – em tempo ou número de rodadas.

Criança joga Trunfo dos Dinossauros em aula da professora Patrícia Alves Rodrigues, da EE Constâncio Vieira, em Estância (SE)
Foto: Marcio Garcez

3- Organize os grupos: o ideal é que você distribua as duplas. Procure associar estudantes que já dominam o conteúdo com outros que ainda têm dificuldades, mas sem que a diferença entre os dois seja excessivamente grande, para que eles possam se apoiar e competir entre si.

Criança joga Trunfo dos Dinossauros em aula da professora Patrícia Alves Rodrigues, da EE Constâncio Vieira, em Estância (SE)
Foto: Marcio Garcez

4- Acompanhe o jogo: circule pela sala enquanto os estudantes jogam. Observe atentamente problemas que surgirem e as estratégias utilizadas para resolvê-los. Se eles ainda estiverem se acostumando ao jogo, intervenha para garantir que cumpram as regras. Evite dar dicas ou pistas para a resolução dos problemas. Quando alguma questão se tornar um impasse – não permitir que uma dupla ou grupo siga o jogo – compartilhe o problema com a turma e busque resoluções. Uma questão possível é: "Uma carta diz que um dinossauro pesa 500 kg e a outra que ele pesa 2 toneladas. Quem ganha?"

Criança joga Trunfo dos Dinossauros em aula da professora Patrícia Alves Rodrigues, da EE Constâncio Vieira, em Estância (SE)
Foto: Marcio Garcez

5- Discuta e peça registros: acostume os estudantes a elaborar registros sobre os jogos, que podem variar de acordo com a idade dos estudantes e a apropriação dos conteúdos trabalhados. Desenhos são a primeira forma normalmente utilizada, mas é comum que alunos passem a fazer outras formas (com contas, por exemplo). Estimule o compartilhamento de registros e discussão sobre eles. Faça debates sobre os problemas encontrados durante os jogos, soluções encontradas e "dicas" para ganhar.

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias