Rodrigo Mendes: O laudo importa na Educação Infantil?

Para o professor e pesquisador de Educação Inclusiva, o diagnóstico clínico pode ser uma importante fonte de informação, mas, quando mal utilizado, vira uma barreira. Leia o artigo completo

POR:
Tory Helena
O laudo não deve resultar em baixas expectativas. Foto: Priscilla Buhr/Nova Escola

Por Rodrigo Mendes* 

“Não termos um laudo médico não nos impedia de fazer algo”, disse uma professora de Pedro, 4 anos, matriculado na Educação Infantil da rede pública de Poá (SP). Após um longo período de angústia pela falta de diagnóstico, educadores investiram no conhecimento que já dispunham sobre a trajetória do aluno e envolveram os pais na criação de estratégias pedagógicas que dialogassem com suas singularidades. Meses depois, Pedro demonstrava enormes avanços na capacidade de concentração, realização de tarefas e na aprendizagem. 

Isso quer dizer que o laudo não tem importância? Tem, desde que explorado como mais uma fonte de informação na busca por recursos de apoio que propiciem igualdade de oportunidades. No entanto, o instrumento pode se tornar destrutivo quando tratado como única referência para o planejamento pedagógico, pois induz à crença de que é possível criar receitas por tipo de deficiência, além de servir de justificativa para a redução do conteúdo curricular, entre outros problemas. É ainda mais grave quando resulta em baixas expectativas em relação ao aluno. 

De acordo com Bill Henderson, expoente da educação inclusiva nos Estados Unidos, “variações contextuais não podem ser utilizadas como desculpa para não promovermos inclusão com altas expectativas para todos”. Esse pensamento dialoga com a visão contemporânea de que não devemos mais canalizar nossa atenção nos impedimentos clínicos que estão na pessoa com deficiência, mas nas barreiras ao redor dela.

O laudo médico dá luz aos impedimentos, ou seja, justamente o que não deve ser o nosso foco. Se mal utilizado, converte-se em mais uma barreira para a inclusão escolar. Ao nos desprendermos desse instrumento, damos mais um passo decisivo para a construção de uma escola que acolhe todos e persegue altas expectativas para cada um. 

*Rodrigo Hübner Mendes é professor e pesquisador sobre educação inclusiva, membro da rede de empreendedores sociais Ashoka e do Young Global Leaders (Fórum Econômico Mundial). Há 25 anos, fundou o Instituto Rodrigo Mendes, que desenvolve pesquisas e programas de formação em diversas partes do mundo.