Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Como incluir cultura e história na alfabetização das crianças

Além de aprender a ler e escrever, as crianças podem compreender os diferentes papéis que as pessoas exercem na sociedade

POR:
Mara Mansani
Crédito: Mariana Pekin

Você já desenvolveu projetos para alfabetizar seus alunos envolvendo a história e a cultura da comunidade local onde a escola está inserida? 

Eu já tive essa oportunidade ao fazer um Guia de Turismo Mirim em uma escola na qual trabalhei em Salto de Pirapora, no interior de São Paulo. Posso garantir a vocês o grande interesse e motivação das crianças em participar e dar o seu melhor no estudo. Como resultado, muita aprendizagem!

Ao explorarmos um tema tão significativo, as crianças se identificam, se sentem valorizadas, pois sua história e cultura ganham importância e visibilidade. Além de aprender a ler e escrever, as crianças podem compreender os diferentes papéis que as pessoas exercem na sociedade, construindo sua leitura de mundo.

Mas como desenvolver um projeto assim?

Há alguns dias, eu participei de um seminário de compartilhamento de boas práticas pedagógicas, o “Conectando Boas Práticas”, na cidade de Santo Antônio do Monte (MG), realizado pela Secretaria Municipal de Educação, seus parceiros locais e pelo Núcleo Conectando Saberes de Santo Antônio, apoiado pela Fundação Lemann. O núcleo é coordenado pela professora Ana Cláudia Santos, premiada duas vezes pelo Educador Nota Dez, em 2014 e 2018.

Conheci projetos incríveis que foram premiados em uma noite emocionante, com muitos professores engajados e comprometidos com a aprendizagem dos seus alunos, mas destaco aqui o primeiro lugar, um projeto de Alfabetização maravilhoso que envolve a cultura e história local.

Você pode imaginar qual foi o tema explorado pela professora Jaqueline Marli da Costa, com sua turma multisseriada, do 1º e 2º período da Educação Infantil e 1º ano na Escola Municipal Joaquim Lúcio, na Comunidade Fundão, na zona rural do município? Em que você pensa quando alguém fala em Minas Gerais? Pensou queijo? É isso mesmo, o queijo, um dos principais elementos que compõem a identidade mineira.

Enquanto apresento a vocês o projeto e destaco seus principais pontos, vá pensando aí o que faz parte da identidade da sua comunidade e que pode render muita aprendizagem a seus alunos?

Professoras no encontro Conectando Boas Práticas em Santo Antônio do Monte (MG)   Crédito: Acervo pessoal

Conheça o projeto

A professora Jaqueline propôs um projeto interdisciplinar, envolvendo Língua Portuguesa, Geografia, História, Matemática e Arte, no qual ofereceu aos seus alunos atividades diversificadas, em práticas de leitura, escrita e oralidade, de alfabetização e letramento, exploradas através do uso de vários gêneros textuais. No projeto, os alunos puderam conhecer e estudar o queijo, sua origem, curiosidades, a produção e as relações de trabalho do dia a dia da sua comunidade – até mesmo vivenciar a experiência incrível de produzir e degustar um queijo feito por eles mesmos na escola, com o auxílio de uma professora muito especial, a Dona Nininha, uma produtora de queijo da comunidade que foi até entrevistada pelas crianças.

Foram dez dias de projeto, no qual as crianças participaram de muitas atividades, de acordo com seu nível e etapa de estudo, pois a turma era multisseriada. Veja abaixo as principais atividades desenvolvidas:

  • Roda de conversa em que a professora apresentou o projeto e levantou os conhecimentos prévios dos alunos em relação ao tema. A professora realizou a leitura em voz alta de uma lenda sobre a origem do queijo e a exploração oral do texto. Com o auxílio de um globo terrestre, as crianças puderam localizar qual o local de origem do queijo no mundo.

  • A professora propôs uma atividade de leitura e interpretação oral de imagens, explorando a linguagem verbal e não verbal. Para isso, ela apresentou às crianças imagens de propaganda e outras de blogs e livros infantis que exploravam o tema queijo.

  • Jaqueline explorou a escrita e leitura de palavras, com QUE e QUI, montando um grupo ortográfico.

  • As crianças brincaram oralmente com uma parlenda sobre queijo e depois fizeram sua leitura identificando as palavras em seus versos.

 

QUERIDA  VENHA  LOGO

ME  TRAGA  UM  BOM  QUEIJO

CAFÉ  BEM  DOCE  E  QUENTE

E  DEPOIS  UM  PÃO  DE  QUEIJO.

 

  • Também teve leitura só para se deleitar, a história do Rato e a Lua, da qual as crianças gostam muito. Para recontar a história, os alunos usaram “palitoches”, fantoches feitos de palitos de sorvete, confeccionados por eles em aula de Arte.

  • As crianças escreveram palavras e frases a partir dos textos estudados.

  • Os alunos produziram uma entrevista escrita a partir das explicações e orientações da professora sobre o gênero textual. Eles entrevistaram então Alexandrina de Melo Cabral, a Dona Nininha, que faz queijos para vender na cidade.

  • As crianças pesquisaram em suas famílias receitas que levassem queijo.

  • Com Dona Nininha e com o estudo de texto instrucional receita, as crianças acompanharam e colaboraram na produção artesanal de um queijo, que foi degustado por todos os alunos da escola. Durante o processo, os alunos puderam conhecer a transformação que ocorre no leite ao se misturar o coalho para virar queijo.

  • Ainda estudando textos instrucionais receita, eles colocaram a mão na massa e produziram pães de queijo, usando uma das receitas trazidas por um aluno. Os pães foram servidos a todos da escola em um delicioso lanche. Nessa etapa foi estudada também as medidas utilizadas.

  • Os alunos produziram um cartão para Dona Nininha agradecendo pela visita e pela oportunidade de aprender sobre seu ofício.

  • Na avaliação final, em uma roda de conversa, os alunos debateram o que foi bom e o que foi negativo em seu desenvolvimento e produziram um relatório coletivo no qual contavam tudo o que aprenderam.

 

Quanta coisa, não é mesmo? E quanta aprendizagem a partir das práticas desenvolvidas na Alfabetização, explorando um tema tão significativo. Muitas habilidades propostas na BNCC estão presentes e nítidas nesse projeto. Veja uma delas, em Geografia, para o 1º ano. Unidade temática: Mundo do trabalho. Objeto de conhecimento: Diferentes tipos de trabalho existentes no seu dia a dia (EF01GE07) Descrever atividades de trabalho relacionadas com o dia a dia da sua comunidade.

Imagine tudo o que você pode propor aos seus alunos para desenvolver essa habilidade, explorando atividades de leitura e escrita na Alfabetização. São muitas as possibilidades! Envolva sua comunidade, afinal a aprendizagem das crianças diz respeito a toda nossa sociedade.

Então, vamos lá, desenvolver a aprendizagem dos nossos alunos e transformar a realidade da Alfabetização brasileira. Inspire-se em projetos como o da professora Jaqueline.

Muito obrigada às professoras e professores de Santo Antônio do Monte pelo compartilhamento de suas práticas. Um grande abraço a todos e até semana que vem!

Mara Mansani

Professora há quase 30 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2006, teve dois projetos de Educação Ambiental para o Ensino Básico publicados pela ONG WWF, no livro “Muda o Mundo, Raimundo”. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga.

Tags

Guias