Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Quando a depressão vira motivo de afastamento do trabalho

Conheça a história de uma professora do Rio de Janeiro que foi aposentada por depressão no início de sua carreira

POR:
Ana Carolina C D'Agostini
Silhueta de mulher
Foto: Getty Images

Luiza Gomes, natural de Duque de Caxias (RJ), hoje é uma professora aposentada que trabalha como assistente de ensino. Ela iniciou sua carreira em uma escola estadual, porém percebeu o início das mudanças que a abalaram emocionalmente quando começou a dar aulas em uma escola de uma comunidade na capital do Rio de Janeiro. O local, diz ela, era cercado por violência dentro e fora da escola e ela chegou a ser ameaçada fisicamente por um dos seus alunos.

A carreira de Luiza na docência foi breve: após 3 anos atuando na área começou a sentir sintomas que a incapacitaram de seguir em sala de aula. Tinha insônia nos dias anteriores ao trabalho e crises de choro e de ansiedade tão fortes que precisava ir ao hospital. Enquanto estava na escola, a então professora se esforçava para controlar os sintomas e conseguia se manter ali, pois, segundo ela, "para trabalhar tinha que ficar firme e forte". Entretanto, quando saía do trabalho e entrava no ônibus para voltar para casa, já sentia seu corpo enfraquecer. Luiza sentia que o pior período do seu dia era a noite quando tentava relaxar e não conseguia, o que fazia com que os sintomas se agravassem ainda mais. A situação foi em um crescente que ela chegou ao ponto de não conseguir mais ir à escola no dia seguinte, ficando afastada por diversos dias consecutivos e sentindo-se adoecer aos poucos.

LEIA MAIS  Depressão: reconhecer a própria dor é o primeiro passo

A professora relata que um dos aspectos mais difíceis de ter enfrentado uma questão de saúde mental foi a sensação que ninguém na escola estava preocupado com a sua saúde, incluindo outros professores, coordenadores e gestores. Luiza tinha o receio de sentir-se mais frágil que os outros profissionais e de demonstrar isso, já que os demais davam conta dos desafios e das demandas da profissão, enquanto ela não. Ela lamenta que tenha faltado acolhimento e cuidado, pois imagina que o desfecho do seu quadro poderia ter sido outro se não fosse pela solidão e pelo desamparo que enfrentou.

Refletindo sobre essa fase de sua vida, Luiza diz sentir falta de projetos em saúde mental voltados exclusivamente aos cuidados com a saúde mental do professor. Segundo ela, o ambiente da escola, por si, já era difícil. Somado a isso, estava o foco exclusivo na execução das tarefas, na falta de parceria entre os professores e a ausência de um espaço para se abrir e mostrar que não conseguia vencer aquele momento que estava vivendo. Ao perceber que não estava bem, buscou ajuda psiquiátrica e atendimento psicológico, e aponta que essas foram as principais medidas que a permitiram com que ela se sentisse melhor hoje.

LEIA MAIS  5 ações para promover a saúde mental na escola

Por mais que relembrar esse período traga uma carga emocional forte e difícil de lidar, ela fala abertamente sobre as dificuldades que enfrentou em sua trajetória. Defende que é fundamental romper estigmas de saúde mental e, mais especificamente, da depressão e que o primeiro passo para dar a volta por cima está em "sentir-se acolhida, pois isso muda tudo". Luiza aconselha aos professores que não deixem de se cuidar e alerta sobre os perigos de esconder os próprios sentimentos para "fingir" que está bem.

O depoimento de Luiza mostra coragem e joga luz sobre um tema tão importante na semana do Dia do Professor, nos lembrando que cuidar desse profissional em diversos níveis é a melhor e mais importante aposta que podemos fazer pelo país.

(Luiza Gomes participou do programa Debate no Canal Futura no dia 10/10/19 e deu esse depoimento à equipe da Nova Escola após sua participação no programa)

Ana Carolina C D'Agostini é psicóloga e pedagoga com formação pela PUC-SP, especialização em psicologia pela Universidade Federal de São Paulo e mestre em Psicologia da Educação pela Columbia University. Trabalha com projetos em competências socioemocionais e é consultora do projeto de Saúde Emocional da Nova Escola

 

Deixe seu email e mantenha-se atualizado para assuntos de saúde na educação

Tags

Guias

Tags

Guias