Professora de creche é consagrada Educadora do Ano

Numa noite emocionante, uma educadora de Educação Infantil foi a estrela do Prêmio Victor Civita 2010. Confira os melhores momentos da festa

POR:
Bianca Bibiano
EQUIPE DE CRAQUES Reunido, o time campeão exibe os troféus criados pela artista plástica Maria Bonomi. Foto: Marina Piedade
EQUIPE DE CRAQUES Reunido, o time campeão exibe os troféus criados pela artista plástica Maria Bonomi
SORRISO DE VENCEDOR Sílvia, professora de Minas Gerais, foi escolhida como a Educadora do Ano. Foto: Marina Piedade
SORRISO DE VENCEDOR Sílvia, professora
de Minas Gerais, foi escolhida como
a Educadora do Ano
Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10

Temos orgulho de ser professores", registra o discurso firme, lido por uma voz embargada de emoção. "Acreditamos em uma escola de qualidade, pois apostamos na Educação como alicerce da sociedade." Com essas palavras - as primeiras de um texto escrito coletivamente pelos 11 vencedores do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10 -, a mineira Sílvia Ulisses de Jesus iniciou seu agradecimento pelo título de Educadora do Ano de 2010, na cerimônia de gala realizada no dia 18 de outubro. A plateia que lotava a Sala São Paulo comemorou de pé a escolha, fruto do trabalho de destaque que Sílvia realiza com bebês na UMEI Pedreira Padre Lopes, em Belo Horizonte. "O Brasil", prosseguiu a campeã, "vive um momento ímpar de desenvolvimento econômico e social em sua história. Como educadores, o que esperamos das autoridades é que invistam verdadeiramente na Educação".

No belo espaço da Sala São Paulo, na capital paulista, mais de mil convidados presenciaram a 13ª edição da premiação, que celebrou o trabalho de 11 educadores, que aparecem na foto abaixo: a coordenadora pedagógica Angélica Arroio Quiqueto de Sousa (1), e os professores Paula Regina de Vargas (2), Joice Mayumi Nozaki (3), Jandira de Oliveira Costa Stand (4), Ana Cristina Santos de Paula (5), Lisiane Hermann Oster (6), Sílvia (7), Juliano Custódio Sobrinho (8), Rosana Helena Brocco Zaffalon (9), Maria Níceas Oliveira França (10) e Rosilene Anevan Fagundes (11).

A festa, uma realização da Fundação Victor Civita (FVC), teve patrocínio do Grupo Positivo. Escalado para apresentar o evento, o ator Vladimir Brichta rememorou seus tempos de estudante, divertindo a audiência com o que aprendeu (e o que aprontou) em sua trajetória escolar. "É com honra que participo desta homenagem. Meu pai e minha mãe também foram educadores", contou.

Entre os professores, empresários e autoridades que prestigiaram a cerimônia, três personalidades realizaram a entrega de troféus aos educadores premiados. Oriovisto Guimarães, presidente do Grupo Positivo, destacou a confiança na seriedade dos projetos. "O prêmio reconhece a habilidade e a capacidade inventiva dos professores de melhorar a Educação dia após dia", declarou. A senadora Fátima Cleide (PT-RO), presidente da Comissão de Educação do Senado, defendeu a necessidade de valorizar a docência para que mais professores atinjam a excelência. "O reconhecimento profissional implica mobilizar investimentos que permitam ao professor se dedicar não apenas às aulas mas também à formação e ao planejamento", afirmou. Já César Callegari, membro da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CNE), lembrou que a visibilidade conferida aos projetos pelo Prêmio ajuda a melhorar a atratividade da carreira (confira outros depoimentos da noite à esquerda).

No programa, acrobacias, rap e os clássicos de Toquinho

SOM E FORÇA Na festa conduzida por Brichta, o show de Schlosser e Silva e os sucessos de Toquinho. Fotos: Marina Piedade e Kriz Knack
SOM E FORÇA Na festa conduzida por Brichta (primeira foto), o show de Schlosser e Silva e os sucessos de Toquinho

Logo no início da cerimônia, espaço para um dos momentos mais graciosos da noite: vestidos como professores e convocados ao palco por Brichta para "apresentar uma palestra", os artistas circenses Leon Schlosser, 76 anos, e Edson Silva, 46, deram uma mostra de força e equilíbrio que deixou a moçada cheia de inveja. A música também deu o tom ao longo da noite, com a banda do maestro Benjamim Taubkin, o rap de Sapopemba, Marcelo Preto e Denis Duarte e a MPB de Toquinho, que com seu show transformou o auditório em um afinado coral ao entoar clássicos como Tarde em Itapoã, O Caderno e, claro, Aquarela.

Enquanto o eterno parceiro de Vinicius de Moraes desfilava seus sucessos, os jurados do Prêmio se reuniam para definir o nome do campeão. Neste ano, a responsabilidade ficou nas mãos de Regina Scarpa (presidente do júri e coordenadora pedagógica da Fundação Victor Civita), Claudio de Moura Castro (consultor da presidência do Sistema Positivo), Lino de Macedo (professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo - USP e membro da Academia Paulista de Psicologia), Marcos Magalhães (presidente do Instituto de Co-Responsabilidade pela Educação), Mozart Neves Ramos (membro do conselho do Movimento Todos pela Educação), Thereza Penna Firme (coordenadora do Centro de Avaliação Cesgranrio) e Zilma de Moraes Ramos de Oliveira (doutora em Psicologia Experimental pela USP).

A reunião nos momentos finais da premiação sacramentou o término de um longo processo de seleção, iniciado com a leitura criteriosa dos selecionadores de cada área em junho e julho. Depois de passar por uma peneira com mais de 3,4 mil inscritos, os dez professores finalistas e a Gestora Nota 10 chegaram a São Paulo para defender seus projetos diante dos jurados em uma sabatina, realizada no auditório da Editora Abril.

PROVA DE FOGO Na apresentação para os jurados, dois dias antes da festa, Sílvia defendeu seu trabalho na creche. Foto: Kriz Knack
PROVA DE FOGO Na apresentação para os jurados, dois dias antes da festa, Sílvia defendeu seu trabalho na creche

Diante dos olhares atentos da plateia (composta pelo júri, pelos selecionadores e pelos funcionários da FVC), cada um teve a oportunidade de apresentar seu trabalho e esclarecer dúvidas. Sílvia, uma das últimas a falar, recebeu elogios por se dedicar ao trabalho com crianças, conciliando o desafio de cuidar e educar. "O projeto dela já havia nos impressionado desde o momento da seleção", conta Regina. "Sua apresentação segura reforçou a certeza de estarmos diante de uma profissional bem formada e estudiosa, com conhecimentos sobre o desenvolvimento infantil e foco na Educação, não apenas nos cuidados básicos, como alimentação e limpeza dos bebês."

Na festa, o anúncio da grande vencedora e de seu prêmio - uma pós-graduação na entidade de ensino de sua preferência - coube a Victor Civita Neto, o Titti, do Conselho Curador da FVC. Quando ele revelou o nome de Sílvia, a Sala São Paulo explodiu em aplausos, numa das comemorações mais intensas entre todas as edições da premiação. Vitória da Educação Infantil e da Educação brasileira, renovada com a certeza de que no ano que vem novos projetos vão continuar indicando caminhos para o bom aprendizado.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias