Visitas a museus aprimoram Arte na Educação Infantil

Professora teve que superar obstáculos físicos na escola e convencer pais da importância dos desenhos dos pequenos

POR:
Camila Cecílio
Crédito: Leo Caldas/Arquivo NOVA ESCOLA

Dê um estojo de lápis de cor e uma folha em branco a uma criança de 3 anos e ela possivelmente apresentará diversos rabiscos abstratos e coloridos. Isso era o que acontecia todos os dias na turma da professora Audaci Maria de Lima Silva, que leciona para a Educação Infantil na Escola Municipal 15 de Novembro, em Camaragibe (PE). Ao ver o prazer dos pequenos em desenhar, a educadora decidiu dar um passo adiante para avançar o conhecimento sobre essa forma de expressão. 

Audaci planejou uma série de atividades para que os pequenos explorassem seus desenhos a partir de diversas possibilidades. Isso inclui técnicas, materiais e suportes variados, como tinta, papel, giz e barbante. Mas a professora não se limitou à sala de aula. Para enriquecer o repertório dos alunos e ampliar o horizonte artístico, ela organizou visitas ao Museu de Arte Moderna de Recife e à Oficina Brennand, do escultor Francisco Brennand. 

LEIA MAIS   Desenhar sempre e cada vez melhor 

Todas essas ações fazem parte do projeto Eu Sou Meu Desenho, desenvolvido em oito meses com crianças de 3 anos. Os resultados da ideia também ultrapassaram os muros da escola e Audaci foi uma das vencedoras do Prêmio Educador Nota 10 de 2015

. “As crianças evoluíram muito nesse período e, para elas, era uma festa desenhar com tantos materiais diferentes e de jeitos diferentes, explorando não só as possibilidades do desenho como também dos próprios corpos”, conta. 

O projeto surgiu a partir de uma formação continuada proporcionada pelo município. Durante oito meses, a professora se debruçou sobre o estudo da Arte e o desenho na Educação Infantil. Para ela, o diferencial foi ter conseguido levar crianças pequenas a visitar museus. “A interação entre elas e as obras de arte também colaborou com a evolução que vimos durante todo o processo”, reforça.  

Crianças brincam no Museu, em 2015. Crédito: Leo Caldas/Arquivo NOVA ESCOLA

Como posso desenvolver esse projeto na minha escola?

Para aplicar esse projeto em outra escola é interessante que o professor leia os livros A Criança e seu Desenho: O Nascimento da Arte e da Escrita, de Philippe Greig, e Desenho na Educação Infantil, de Rosa Iavelberg, para entender porque é importante desenvolver um trabalho com o desenho da criança. Em segundo lugar, dialogue com os pais sobre a importância desse trabalho, de incentivar as crianças a participar das ações do projeto, de organizar todo material e cronograma.

LEIA MAIS A Arte pode beneficiar até a Alfabetização na escola 

A primeira atividade do projeto deve ser um desenho de cada criança em papel ofício. O professor deve guardar esse desenho inicial para comparar com o último desenho da criança ao final do projeto. As atividades aconteciam em três dias da semana, durante uma hora ou uma hora e meia.

eu sou meu desenho - por audaci maria de lima silva


Crédito: Leo Caldas/Arquivo NOVA ESCOLA

INDICAÇÃO: Educação Infantil
DISCIPLINA: Arte
DURAÇÃO: 8 meses 

O que é o projeto?
Eu Sou Meu Desenho é um projeto de Arte, de evolução do desenho da criança, desenvolvido com 20 crianças da modalidade creche na Escola Municipal 15 de Novembro.

Do que vou precisar?
Caneta esferográfica, lápis grafite, canetinhas coloridas, giz de cera, giz branco, pincel largo, tinta guache de diferentes cores, papel branco tamanho grande/médio/pequeno, pedaços de barbante, papel celofane, papel crepom, projetor de slides, gravações em áudio de artistas contemporâneos e transporte escolar para levar as crianças ao museu. 

Quais os objetivos trabalhados?
Desenvolver o desenho autoral variando o suporte, a ferramenta e a técnica. Favorecer os avanços em direção à figuração. Esses objetivos estão relacionados ao campo de experiência Traços, Sons, Cores e Forma, da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e também aos direitos de aprendizagem Explorar e Expressar. 

E os desafios? Como encará-los?
“O primeiro desafio foi desafiar a mim mesma como professora”, afirma Audaci. Para desenvolver esse trabalho, ela teve de “evoluir em termos de conhecimento”, fazer um estudo sistemático para se apropriar mais do assunto. O segundo desafio foi convencer os pais e responsáveis de que as crianças não estavam só rabiscando, mas sim construindo um conhecimento de base que seria importante para os demais anos de escola. “Foi preciso muita conversa com as famílias até que todos compreendessem a relevância do trabalho e passassem a valorizar. Além disso, houve obstáculos na estrutura física da escola, mas procurei não focar nisso e buscar outras alternativas para realizar as atividades com os pequenos”.  

E no final? O que meus alunos vão aprender?
Os desenhos das crianças evoluíram: das 20 crianças, 18 concluíram o projeto desenhando a figura girino, que mais se assemelha com a forma humana; dois concluíram o projeto desenhando formas circulares.

Audaci Maria de Lima Silva é pedagoga com especialização em Docência no Ensino Superior. Cursando especialização em Metodologia do Ensino EAD. É professora concursada das redes públicas de Camaragibe e Recife (ambas no estado de PE). Na rede de Camaragibe ministra aulas na Educação Infantil e na rede do Recife atua como professora de Tecnologia na Educação. Tem 21 anos de carreira. Em 2017 foi destaque estadual (PE) no Prêmio Professores do Brasil e em 2019 foi semifinalista no Prêmio Arte na Escola Cidadã.

 

.

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias