Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

  

Como o Excel pode ajudar no ensino de Educação Financeira

Veja como o velho conhecido editor de planilhas pode ajudar os alunos em atividades como a criação de um mercado em sala de aula

POR:
Débora Garofalo
Menino olha atentamente para tela do computador enquanto usa o mouse em uma sala de aulas com outros computadores, alunos e professora ao fundo
Foto: Getty Images

Ao falarmos das tendências tecnológicas que a cada dia ganham velocidade no mundo e nas nossas vidas, é necessário voltar o olhar para aquelas que são velhas conhecidas e que podem estar ao alcance das mãos.

Ainda é muito comum as pessoas associarem a tecnologia com ferramentas e dispositivos móveis e ou fixos. No entanto, é necessário compreender que o seu uso vai além, é integrado e que muitas ideias para inovar em sala de aula nascem de ferramentas que estão há muito tempo em nossas vidas. Uma delas é o Excel.

LEIA MAIS  Professor, use mais (e melhor) o Excel em suas aulas

Durante anos tive a oportunidade de trabalhar em indústria, na área de Recursos Humanos. Ao entrevistar jovens recém-saídos do Ensino Médio, minha surpresa era ver o currículo destes meninos e meninas com domínio em ferramentas como o pacote Office e, no teste prático, não conseguirem abrir o gerenciador de planilhas. Algo desolador!

Tão essencial quanto falar de tecnologia é falar da Educação Financeira com as crianças e jovens e a escola é um momento propício para o trabalho com estes recursos que podem estar aliados a atividades de natureza lúdica.

Saiba mais

A Educação Financeira é importante para orientar crianças e jovens sobre tomada de decisões, sobre serviços ofertados, necessidades e desejos de consumo, além da necessidade de economia, poupança, investimentos e rendimentos, sensibilizando os estudantes sobre informações e gestão financeira.

Criar oportunidades para que os alunos tenham envolvimento com a Educação Financeira é ter a certeza que eles irão gerenciar melhor suas atividades pessoais na vida adulta.  

Na prática

Não tem idade para começar o trabalho que pode ter o início na Educação Infantil, percorrendo toda a Educação Básica, levando em consideração a especificidade de cada ciclo de aprendizagem.

LEIA MAIS  Como usar o Excel para ensinar Matemática

Um bom exemplo de atividade, é o trabalho que envolve o dinheiro em sala de aula: hoje existem muitos sites que o professor pode usar para imprimir cédulas de papel e levar para a sala de aula. Então, que tal montar um mercado com a turma?

Vamos ver abaixo as instruções para reproduzir essa atividade com a turma. Vamos lá? 

Roda de conversa

Para iniciar é importante o professor mediar a conversa com os alunos apresentando algumas questões que envolvem gastos, economia, pesquisa de preço, trazendo exemplos reais aos estudantes. Deixar os estudantes expor experiências e vivências, estudos de casos e filmes em formatos de curtas-metragens que abordam essa temática.

Visita ao mercado 

Levar os alunos a um mercado próximo da escola para que vejam, na prática, como funciona, seguido de um roteiro de observações que inclua as seções de produtos, lista de produtos comercializados, preços. Conversar com os funcionários sobre as profissões exercidas no estabelecimento: estoquista, caixa, gerente da loja etc.

Montando o mercado

Há várias possibilidades para montar o mercado, uma delas é pedir para os estudantes trazerem materiais e embalagem de produtos, no qual, eles mesmos podem escrever os nomes e as seções, colocar o preço nos produtos, após a pesquisa realizada na prática.

Dividindo as funções

É chegado o momento de colocar o mercado em funcionamento e separar os papéis. É importante que o professor levante alguns problemas, como:

Exemplo: Como consumidor do mercado, você tem R$ 5,00 para comprar os itens de sua lista, no entanto, percebeu que o dinheiro será insuficiente. Pense em quais itens você realmente irá precisar levar para o seu consumo no dia a dia.

Também estabeleça as regras e o tempo que cada aluno permanecerá na função, para que todos tenham tempo de trocar e vivenciar posições diferenciadas. É importante fazer a previsão das funções que irá trabalhar com Educação Financeira e que o Excel possa ser usado.

Usando o Excel na prática

O Excel poderá ser usado em diferentes posições, lembrando que hoje é possível baixar o gerenciador de planilhas em loja de aplicativos e ele pode ser usado pelo celular e tablet. Outro ponto a ser lembrado é que muitas escolas públicas possuem isenção para usar o Pacote Office.

Exemplo de uso: a caixa registradora, os estudantes podem fazer os registros da compra no Excel, ao colocar a descrição do produto em uma coluna e na outra coluna o valor, utilizando a fórmula de soma para calcular o valor total da compra.

Tabela criada por Débora Garofalo no Excel para atividade de Matemática Financeira
Imagem: Acervo Pessoal/Débora Garofalo

Outro exemplo é o estoque, calcular a quantidade de produtos que os estudantes possuem para reposição no mercado.

Desta maneira, os alunos estão utilizando uma ferramenta interativa associada uma atividade que faz parte do currículo, ao trazer várias possibilidades sem perder o lúdico, a interação, a colaboração e o trabalho com resolução de problemas.

E você querido professor, como trabalha com o Excel e a Educação Financeira em sala de aula? Conte aqui nos comentários e ajude a fomentar boas práticas.

Um abraço,

Débora Garofalo é Assessora Especial de Tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo (SEE SP) e professora da rede pública de ensino de São Paulo. Formada em Letras e Pedagogia, mestranda em Educação pela PUC-SP, vencedora na temática Especial Inovação na Educação no Prêmio Professores do Brasil e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

 

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias