Paula Peres Jornalista pela Universidade de São Paulo (USP), trabalhou com Educação antes mesmo de entrar na faculdade e foi educadora voluntária do Projeto Redigir por quatro anos. Nasceu no Capão Redondo, periferia de São Paulo, é feminista, pagodeira e tem sempre uma piada na ponta da língua. Gosta do cheiro de escola, café e pipoca.

Escrever sem amarras é uma delícia

POR:
Paula Peres
Crédito: Duda Oliva

Olá!

Algumas pessoas me perguntam sobre como eu consigo escrever a newsletter desse jeito “divertido”. A resposta (e talvez o meu segredo, mas não contem para os meus chefes) é: eu não tento me encaixar em nenhum formato.

Uma reportagem tem suas características específicas, um artigo acadêmico tem outras características, um relatório tem um jeito próprio de ser feito. Essa nossa conversa 

diária é apenas uma conversa. Não precisa ter referências bibliográficas, nem entrevista com fontes confiáveis. Precisa, isso sim, trazer bons conteúdos para vocês lerem. E é por isso que fica fácil de escrever (e espero que de ler também!).

O que isso tem a ver com as sugestões de  hoje?

Muito se fala sobre a importância de registrar o que acontece em sala de aula. Seja para acompanhar a evolução dos alunos, seja para fazer uma reflexão sobre a prática, seja para atender a uma solicitação da gestão da escola. Pensando nisso, um grupo de professoras de Campinas descobriu, através de um grupo de e-mails, a potencialidade de compartilhar o que aconteceu na sala de aula delas sem a obrigação de registrar em um formato específico de texto. Nasceram assim, em 2008, as pipocas pedagógicas.

O nome pode não traduzir literalmente o que é isso, e abre possibilidades para uma série de interpretações. O que importa dessa prática é que ela permite aos professores se voltarem para o que é importante da sala de aula: um projeto que deu certo (ou errado), uma interação com os alunos que mostrou que eles haviam compreendido o conteúdo, ou que leva suas aulas para um caminho que ainda não tinha sido pensado. Como eles vão escrever isso? Depende de como cada um se sente mais confortável. Quer saber mais sobre essa prática? Leia aqui.

Anote na agenda!

Amanhã, a partir das 19h, vamos bater um papo com a professora Débora Garofalo sobre como incentivar as alunas a aprender sobre tecnologia. Clique aqui para saber mais.

E por falar em inovação…

Essa entrevista com a educadora Lisa Duty, fundadora da consultoria educacional Innovation Partners, fala sobre como estamos acostumados a desejar um cenário ideal, com a melhor infraestrutura possível, para então acharmos que isso nos levará a ser inovadores. Para ela, a inovação não precisa e não pode esperar por isso para acontecer. Leia a entrevista na íntegra.

Um abraço e até amanhã,

Paula Peres
Repórter de NOVA ESCOLA

Tags

Guias