Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Paula Peres Jornalista pela Universidade de São Paulo (USP), trabalhou com Educação antes mesmo de entrar na faculdade e foi educadora voluntária do Projeto Redigir por quatro anos. Nasceu no Capão Redondo, periferia de São Paulo, é feminista, pagodeira e tem sempre uma piada na ponta da língua. Gosta do cheiro de escola, café e pipoca.

Estamos em reforma, pedimos desculpas pelo transtorno

POR:
Paula Peres
Crédito: Duda Oliva

Olá!

Assim como o meu restaurante favorito na rua do trabalho, a newsletter da Nova Escola também está passando por uma reforma que pode gerar instabilidades (vocês devem ter reparado). Peço desculpas pelo transtorno, mas a boa notícia é que, caso aconteça de cometermos o vacilo de não entregar a news no seu e-mail algum dia, você pode ter acesso ao nosso acervo neste link.

A adolescência e a escola

Costumo dizer que a adolescência é a pior fase na vida de um ser humano. A pessoa está confusa por dentro e por fora: não é criança, mas também não é adulto, a voz está naquela fase de transição em que fica meio estranha, o corpo vai crescendo de um jeito desengonçado… Desejo força e paciência aos adolescentes e aos adultos que precisam lidar com eles.

Na escola, conforme os estudantes vão ficando mais velhos, os desafios mudam: eles já não têm tanto interesse em aproximar os pais da instituição, querem se fechar entre os amigos, sentem que não são compreendidos. Este artigo mostra por que a afetividade é tão necessária nessa etapa: os estudantes precisam ter a sensação de que a escola se preocupa com eles para além das broncas por terem feito coisa errada. Leia na íntegra aqui.

Você já ouviu falar em “projeto de vida”?

Está na Base Nacional e aparece cada vez mais nas escolas de Ensino Médio. A ideia é que a escola ajude os estudantes a refletir sobre seus desejos e objetivos, aprendendo a se organizar, estabelecer metas, planejar e perseguir seus projetos presentes e futuros. Para desenvolver isso, eles precisam lidar com uma série de habilidades socioemocionais.

Nossa colaboradora Débora Garofalo mostra, neste conteúdo, por que trabalhar a Educação 4.0 – que traz a inclusão digital na escola – é tão necessário quanto o projeto de vida dos estudantes. Vale a pena refletir sobre o papel da Educação nesse momento em que temos jovens desorientados de um lado e uma gama de possibilidades digitais de outro.

Um abraço e até amanhã,

Paula Peres
Repórter de NOVA ESCOLA

Tags

Guias

Tags

Guias