Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Enem: MEC anuncia prova digital em 2020

Novo formato entra em vigor no ano que vem e já tem datas marcadas para outubro

POR:
NOVA ESCOLA
Estudantes adolescentes curvados sobre mesas fazendo provas
Foto: Arquivo/Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta quarta-feira que vai começar a aplicar a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por meio digital até 2020 e pretende deixar de aplicar a prova em papel a partir de 2026.

A prova deste ano não terá mudanças e será realizada normalmente nos dias 3 e 10 de novembro.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, o MEC informou que a nova forma de aplicação da prova vai permitir a utilização de novos tipos de questões com vídeos, infográficos e com influência dos games. Segundo o ministério, as primeiras “aplicações digitais serão opcionais”.

“Até 2026, a prova vai ser muito parecida com o que é hoje, mas toda ela vai ser feita no computador, como foram as transformações lá fora. Até 2026, todo mundo vai fazer a prova pelo computador, e vai poder fazer isso em várias datas ao longo ano”, informou o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Segundo Alexandre Lopes, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a transição só começa em 2020 com um projeto-piloto para 50 mil candidatos de 15 capitais.

O Enem será aplicado em sua versão digital em Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

 “Esse ano a aplicação do Enem é normal, em papel, mas vamos começar o preparativo para o piloto digital em 2020”, disse.

Este Enem digital será aplicado nos dias 11 e 18 de outubro de 2020 e a prova regular será em 1º e 8 de novembro.

O presidente do Inep informou ainda que, na edição do ano que vem, o Enem terá três aplicações, ao contrário das duas que ocorrem todo ano. “Ano que vem, 2020, teremos três aplicações do Enem, a regular, em papel, a reaplicação e mais uma data de prova, o Enem digital, para 50 mil pessoas.”

O objetivo é fazer várias aplicações do Enem ao longo do ano “por agendamento, como se fosse para tirar o passaporte” com o estudante escolhendo a cidade, o dia e marcando a prova.

Uma aplicação será regular e uma reaplicação será para candidatos de locais de provas que enfrentaram problemas logísticos, na mesma data do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL).

“Aquele aluno que optar pelo Enem digital não será prejudicado, porque se tiver algum problema de logística, de computador, por exemplo, ele será redirecionado para uma reaplicação do Enem.”

De acordo com Lopes, a transformação do Enem do papel para o meio digital será progressiva até o ano de 2026.

 “Em 2021 (o Enem digital) continua sendo opcional, com duas provas digitais, além da aplicação regular. De 2022 a 2025 a gente vai aumentando a quantidade de provas ao longo do ano, atingindo quatro provas por ano”, explicou Lopes, acrescentando que, em 2026, não haverá mais o Enem aplicado em papel. 

Sem leitura do presidente

Ainda durante o anúncio da digitalização do Enem, o ministro Abraham Weintraub afirmou que o presidente Jair Bolsonaro “não leu e não lerá” a prova do Enem 2019.

“Salvo uma coisa totalmente fora do ‘script’, eu não consigo imaginar (que o presidente leria a prova). O presidente está com uma agenda tão atribulada, por que ele vai parar para ler a prova? Ele não leu e não lerá”

No ano passado, Bolsonaro criticou uma questão que abordava expressões associadas à comunidade LGBT, o que, segundo ele, não aconteceria na edição deste ano porque ele teria acesso ao conteúdo do Enem antes de sua aplicação. “Podem ter certeza e ficar tranquilos. Não vai ter questão desta forma ano que vem, porque nós vamos tomar conhecimento da prova antes. Não vai ter isso daí”, declarou o presidente durante uma transmissão ao vivo no Facebook, em novembro.

O diretor substituto do Inep, Camilo Mussi, informou na terça-feira que as provas do Enem estão prontas e na gráfica.

As provas deverão ser impressas até o dia 17 de julho e, a partir do dia 24, começarão a ser expedidas e armazenadas para, a partir de 3 de outubro, serem distribuídas. O Enem ocorre em dois domingos, dias 3 e 10 de novembro.