"A página que criamos ajudou a conquistar a reforma da escola"

Autorretrato

POR:
Ana Ligia Scachetti
Guilherme em frente às obras e com a página desenvolvida na rede social Facebook. Fotos: Manuela Novais
Guilherme em frente às obras e com a página desenvolvida na rede social Facebook
Conte sua história para a seção Autorretrato

"Em junho de 2012, estávamos no 9º ano e meu colega Victor Nascimento teve a ideia de fazer uma página na internet para mostrar a realidade da EE de São Paulo, na capital paulista, onde estudamos. Então, inspirado pela Isadora Faber, ele criou o Diário de Escola. Começamos a pôr na rede o que acontece de bom e de ruim por aqui.

Divulgamos a página em nossos perfis pessoais. A Isadora também fez comentários e mais e mais pessoas ficaram sabendo. Os colegas aderiram e, aos poucos, alguns professores e coordenadores também passaram a nos dar dicas e enviar mensagens para divulgarmos.

A EE de São Paulo não tem computadores, então fazemos tudo com nossos celulares e notebooks. Além de mim e do Victor, há outros três administradores, sendo duas meninas. As decisões são compartilhadas nesse grupo e os textos são vistos por todos antes de ir para o ar.

Sempre tiramos fotos que comprovam a situação. E preferimos não tratar da qualidade do ensino, mas falamos se há falta de professores e muitas aulas vagas, por exemplo. A escola tem problemas como rachaduras, buracos, infiltrações, falta de portas e móveis e vidros quebrados. Tudo vai para os posts.

Houve quem dissesse que estávamos prejudicando a imagem da instituição, mas logo as pessoas perceberam os ganhos gerados pela divulgação. E temos o cuidado de, quando os problemas são resolvidos, também registrar com uma nova foto. Infelizmente, precisamos mostrar atos de vandalismo praticados por alunos e um incêndio ainda não explicado que atingiu o teatro no primeiro semestre deste ano. A situação se agravou depois disso. Algumas pessoas buscaram a ajuda de vereadores e, juntos, conseguimos que uma reforma fosse iniciada.

Hoje temos quase 2 mil seguidores. Nossa escola atende do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º do Ensino Médio e estudantes de todas as etapas acessam a página. Muitos ex-alunos também acompanham. A reforma era prometida há muitos anos. Todos querem ver os resultados.

Como estamos no Ensino Médio, queremos incentivar os colegas de anos anteriores a dar continuidade ao trabalho. As obras terminam só no meio de 2014. Até lá, vamos mostrar os avanços e conscientizar todos sobre a importância de preservar o prédio depois dessa conquista."

Guilherme Patrício de Araújo, 15 anos, é aluno da EE de São Paulo

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias