Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

  

Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Lição de casa: para quê?

Dicas para propor lições de casa eficientes e significativas para a aprendizagem dos seus alunos na Alfabetização

POR:
Mara Mansani
Menino de camisa verde sorri diante de caderno de lição de casa sobre mesa branca, ao lado do pai, que usa camisa xadrez azul e vermelha e também sorri
Crédito: Getty Images

A lição de casa no período da Alfabetização, quando os alunos precisam de muito apoio dos responsáveis, muitas vezes causa divergências entre a família, os professores e os alunos. De um lado, a família, que oscila entre “Como assim não tem lição de casa hoje?” e “Todo dia lição de casa, não tenho tempo para acompanhar, professora!”; e outro, os professores, que pensam “Mais da metade dos alunos não entrega a lição no prazo, alguns simplesmente não entregam, sem contar os que têm a lição que não foi feita por eles!”. Já a criança, no meio desse fogo cruzado, pensa em casa, quando os responsáveis tentam ajudá-lo nas tarefas: “Não foi assim que a minha professora ensinou...”

Discussões à parte, a lição de casa bem planejada e orientada pode render muita aprendizagem! O aluno, ao repensar o conteúdo em casa, pode refletir sobre a própria formação para compreender a importância de estudar para aprender; desenvolver a autonomia e o senso de responsabilidade; se apropriar de procedimentos e técnicas de estudo; aprender a organizar o seu próprio estudo e, principalmente, avançar em sua aprendizagem.

Mas como planejar essa lição?

O primeiro passo é ter claro o nosso objetivo com aquela atividade que deve ser feita em casa. Veja, a seguir, alguns exemplos de objetivos que podemos ter ao propor a lição de casa, que mostram algumas intencionalidades de aprendizagem (sempre lembrando que, no fim das contas, o que vale são as necessidades reais de aprendizagem da sua turma):

  • Ampliar o repertório das crianças, com mais informações acerca de um conteúdo estudado em sala de aula;
  • Preparar os alunos para um determinado estudo para que, antes que eles cheguem à aula, eles já tenham alguma noção do conteúdo abordado;
  • Contribuir na consolidação de alguma aprendizagem desenvolvida em sala de aula;
  • Se apropriar de procedimentos de estudo já experimentados em sala.

Temos o objetivo. Agora precisamos pensar nos detalhes da elaboração da lição de casa para que ela seja eficiente e significativa. Veja alguns pontos de atenção:

Cuidado com o enunciado

Escreva bons enunciados e comandos voltados especificamente para os responsáveis e para as crianças. Muitas lições não dão o resultado esperado porque simplesmente não foram compreendidas.

Explore diferentes linguagens

Nossas lições, em sua maioria, se baseiam em lápis e papel, não é mesmo? Que tal pedir para assistirem um vídeo ou analisar uma imagem da internet para debater suas impressões em sala no dia seguinte?

Aprender a aprender

Proponha atividades que as crianças possam realizar sozinhas. Lição de casa também é momento de desenvolvimento pessoal, de aprender a aprender. Por isso, é necessário pensar em algumas lições que os alunos possam fazer sozinhos, sem interferência direta dos pais, apenas acompanhamento.

Experimente primeiro em sala

Se a intenção da lição de casa é se apropriar de um procedimento de estudo, a professora precisa primeiro fazer um modelo dessa atividade na escola. Por exemplo, ao buscar palavras que não conhecem e que podem ser procuradas no dicionário. Para isso, há uma série de procedimentos que devem ser indicados desde os primeiros passos. Deve-se usar lápis ou caneta? Precisa usar a régua? Como se lê esse tipo de texto?

Elabore combinados

Crie combinados com as crianças e as famílias, levando em consideração o tempo disponível, os dias em que as lições serão pedidas, as orientações, etc. A rotina de estudos é importante para que todos possam se planejar, tanto na escola quanto em casa.

Lembre-se da devolutiva

Lição de casa não é fazer e acabou: ela exige interação na ida e em seu retorno, com intervenções específicas do professor e perguntas que indiquem os caminhos de aprendizagem dos alunos. Por isso, considero adequado pensar em pedir lição de casa duas vezes por semana. Assim, dá tempo do aluno fazer e do professor dar a devolutiva.

Tecnologia a favor

Muitas escolas usam a tecnologia digital, criando grupos em redes sociais entre a professora e os responsáveis, quando a turma de alunos é muito nova, somente para comunicar as tarefas de casa. Dependendo da lição proposta, pode-se até economizar papel e tempo, proporcionando uma comunicação direta que pode esclarecer dúvidas sem muita complexidade. É possível, ainda, incluir links e enviar os arquivos necessários.

Aproveite as atividades permanentes

Proponha lições que envolvem atividades permanentes, como a leitura de um livro com os responsáveis, a escrita de um texto de memória, a elaboração de uma lista de palavras em situações reais de uso (lista de compras do supermercado da família, telefones úteis da comunidade, etc).

Em alguns países, já se questiona a importância e a necessidade de propor lições de casa aos alunos, o que gera debate entre quem acha que ela é necessária e quem acha que não. Por aqui, acredito que ela pode ser útil, mas, como eu disse antes, seguindo as premissas de qualidade e intencionalidade na aprendizagem dos alunos.

E vocês, professores, o que pensam da lição de casa? Como ela acontece na sua turma? Compartilhe nos comentários! Eu ainda estou nesse aprendizado de dar cada vez mais sentido a essa atividade extracurricular, por isso continuo estudando.

Um grande abraço a todos e até semana que vem,

Mara Mansani

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias