É interessante pedir que o aluno faça resumos e formule questões?

Didática

POR:
NOVA ESCOLA
Heloisa Ramos. Foto: Marina Piedade Neury responde

Neurilene Martins é doutora em Educação e professora do curso de Pedagogia do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge) e responde a dúvidas sobre sala de aula

Clique aqui para mandar a sua dúvida

Pergunta enviada por Maria Souza Silva, Santana, BA

Tomar notas, formular perguntas, elaborar fichamentos e produzir resumos são práticas de linguagem imprescindíveis para o sucesso da vida acadêmica e devem ser assumidas como conteúdos curriculares. Alguns aspectos, no entanto, precisam ser considerados para qualificar as práticas de ensino. A proposta de formular perguntas, por exemplo, precisa ter funcionalidade e fazer sentido. Se for incorporada à etapa inicial do trabalho, a elaboração de questões ajuda os alunos a entenderem o que já sabem e o que precisam aprender. Com a sua mediação, a turma pode, então, construir um plano de trabalho consistente. As questões levantadas contribuem para mobilizar os esforços da turma na busca de informações e regulam a sua intervenção. O mesmo vale para a produção de resumos, que é uma estratégia didática relevante para estudar um tema em profundidade. Ela ajuda os estudantes a retomarem as ideias centrais que estão no texto fonte e colocá-las em outro, sintético, coeso e coerente. Ao propor a produção de resumos, considere os conhecimentos de que eles dispõem para dar conta da tarefa. É decisivo destinar aulas para ensiná-los a ler para estudar e a produzir esse gênero textual. Para saber mais, sugiro o texto Resumos Escritos: Os Obstáculos para Se Ter Acesso à Competência Infantil, de Ana María Kaufman e Flora Perelman. Nele, as autoras analisam o trabalho com resumo na sala de aula do ponto de vista dos saberes dos alunos e das representações dos professores.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias