Um exemplo de formação (relato do Caminhos do Brasil)

POR:
NOVA ESCOLA, Julia Browne

Unir teoria e prática de sala de aula. Esse é o grande ponto de destaque do projeto de formação do Ceale (Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita), um orgão da UFMG que coordena projetos de formação tanto em Minas Gerais quanto no resto do país.

Ao chegar ao núcleo do Ceale fui recebida pela diretora Francisca Maciel que junto com outras integrantes do grupo me expllcou como funciona a formação que o centro organiza e aplica para auxiliar os professores de educação infantil e fundamental. Com formadores de diversas áreas e formações o centro fornece cursos para professores e dâ ênfase a um ponto: o curso do Ceale é só um começo de uma caminhada e ele deve ser utilizado para o professor iniciar um processo de discussão e aprimoramento constante do seu trabalho.

Após entender como tudo funcionava chegou a hora de ver quem participava desses cursos e conhecer um pouco do ambiente onde ele era aplicado. Foram visitadas duas escolas municipais em Contagem (MG), cidade onde a prefeitura ofereceu a todos os professores da rede a formação do Ceale para poder enfrentar os problemas que o processo de alfabetização estava encontrando. Em ambas as escolas pude comprovar que o curso do Ceale realmente era só um primeiro passo na formação destes professores. Todos mostraram estar muito interessados e sempre buscando novos cursos, davam exemplos de como mudaram suas atitudes em sala de aula e faziam questão de destacar o grande fator que fazia o curso diferente de alguns outros que encontravam: este nunca perdia o foco da sala de aula, teoria e prática andavam sempre juntos.

Enfim, mesmo com essa ênfase na idéia que o curso é um passo inicial na jornada do professor fiquei feliz em ver que é um início organizado, com comprometimento tanto dos formadores quanto dos formados e feito com uma seriedade que é um exemplo (e que exemplo!) a ser seguido.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias