Eles são professores nota 10

História

POR:
Marques Casara
Everson: painel contra o desinteresse. Foto: Joel Rocha
Everson: painel contra o desinteresse
Foto: Joel Rocha
 

Adeus ao cansaço

Alunos cansados após um longo dia de trabalho em uma classe noturna de aceleração de 5ª a 8ª série. Era esse o perfil da turma conduzida pelo professor Everson Caleff Ramos, da Escola Estadual Professor Luiz Carlos de Paula e Souza, em Curitiba. Com imaginação, ele criou o projeto Cultura Egípcia no Espaço Escolar, que provocou mudanças marcantes no desempenho dos estudantes.

O objetivo era compreender a sociedade egípcia, sua religião e seus costumes, comparando-a com a sociedade moderna. Para isso, os alunos confeccionaram um painel coletivo que, à medida em que ia sendo construído, mostrava como aquele povo se organizava. "Eles começaram a ver resultados e passaram a acreditar em si mesmos. O conhecimento veio naturalmente", conta Everson, surpreso com a dedicação do grupo, que chegava a ficar até depois do horário da aula para trabalhar no mural. A turma ainda fez uma grande escultura em argila do busto de um faraó, revelando a habilidade artística.

Lourdes: aprendendo com os alunos. Foto: Nilton Ricardo
Lourdes: aprendendo com os alunos.
Foto: Nilton Ricardo
 

Os militares e a imprensa

Um dos momentos mais conturbados da história recente do Brasil ? o regime militar que vigorou entre 1964 e 1985 ? foi o tema do projeto da professora Lourdes Maria Almeida, da Escola Estadual Oliveira Botelho, em Resende, Rio de Janeiro. Quatro turmas da 8a série participaram da produção de um jornal de época. Pesquisaram em livros e jornais e entrevistaram professores e jornalistas. Política, religião, economia, notícias internacionais, esportes e outros temas comuns à produção de um jornal foram abordados. "Até hoje, a época dos militares é estudada de maneira resumida. Procuramos, então, compreender nossa história recente com as informações disponíveis." Cada turma foi dividida em quatro grupos e cada um deles pesquisou o período correspondente ao governo de um dos presidentes militares: Costa e Silva, Médici, Geisel e Figueiredo. "Ao final, não pude me conter de tamanha alegria por trabalhos tão maravilhosos. Tive de procurar material junto com os alunos e também aprendi", afirma Lourdes.

Rosa e Marcelle: o período colonial em revista. Foto: Nilton Ricardo
Rosa e Marcelle: o período colonial em revista. Foto: Nilton Ricardo

De volta ao Rio antigo

A chegada da Família Real ao Rio de Janeiro, em 1808, deu à então capital do país um impulso arquitetônico que até hoje está presente na paisagem urbana: prédios, ruas, museus, o Jardim Botânico... Coisas que muitas vezes passam despercebidas por causa do corre-corre da cidade grande. Para reverter isso, Rosa Maria Barroso e Marcelle Deslandes criaram o projeto Revista do Rio de Janeiro. Os alunos atuaram como repórteres e escreveram textos como se vivessem na época. Descobriram a história do Rio observando e estudando monumentos. O projeto foi executado pelos alunos da 8ª série da Escola de Educação Básica e Profissional Fundação Bradesco. "Eles desenvolveram uma postura reflexiva sobre a cidade e estabeleceram uma relação mais dinâmica com o ambiente", conta Rosa, que também organizou a apresentação de um vídeo produzido pelo Centro de Memória. A revista, impressa com recursos da escola, foi lançada durante uma feira cultural. Hoje, os exemplares estão na biblioteca.

Compartilhe este conteúdo: