Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Saiba | Saiba


Por: Tory Oliveira

Dicionário da inclusão: Aprenda quais são os termos corretos e ensine seus alunos

As palavras que usamos são importantes para promover uma escola inclusiva e amorosa

PESSOA COM DEFICIÊNCIA
A expressão é mais adequada, pois não disfarça a existência de uma diferença. É também o termo utilizado pela ONU.

NÃO USE: Não se refira a uma pessoa com deficiência como deficiente, portador de deficiência ou pessoa com necessidades especiais. Jamais use termos pejorativos, como defeituoso ou inválido. Falar “ele é deficiente, mas é ótimo aluno” denota o preconceito.

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL
Desde 2004, a partir da Declaração de Montreal sobre Deficiência Intelectual, essa expressão é considerada mais adequada do que deficiência mental. Não é preciso especificar o nível de comprometimento da pessoa (leve, severo etc.)

NÃO USE: Deficiente mental, doente mental. São também considerados inadequados e ofensivos termos como retardado ou mongoloide.

Leia também: 
Pequeno dicionário amoroso da inclusão

PESSOA QUE USA CADEIRA DE RODAS
Os termos corretos são pessoa em cadeira de rodas ou pessoa que usa cadeira de rodas. Coloquialmente, pode-se falar cadeirante. 

NÃO USE: Abandone termos que evoquem piedade, como preso (à cadeira de rodas). Evite expressões como “ele sofreu um acidente e ficou incapacitado”, o correto é “ele teve um acidente e é uma pessoa com deficiência”. O verbo sofrer coloca a pessoa como vítima.

ALUNO COM DEFICIÊNCIA
É a maneira mais adequada para se referir genericamente aos estudantes com deficiência.

NÃO USE: Não fale “aluno de inclusão”: a escola deve incluir a todos. Também é errado falar aluno normal, o que sugere que a deficiência é anormal. Diga aluno ou pessoa sem deficiência.

DEFICIÊNCIA VISUAL
Refere-se à perda total ou parcial, congênita ou adquirida, da visão. Há dois grupos: cegueira (perda total ou pouquíssima capacidade de enxergar) e baixa visão. Caso não saiba especificar, fale pessoa com deficiência visual. Para casos de cegueira, use cego.

NÃO USE: Ceguinho. O diminutivo denota que o cego não é considerado uma pessoa completa.

DEFICIÊNCIA AUDITIVA
Quando a deficiência auditiva é total, o correto é surdo ou surdez. Quando é parcial, pode-se utilizar pessoa com deficiência auditiva.

NÃO USE: Surdinho ou mudinho. O diminutivo denota preconceito. Também não use surdo-mudo: alguns surdos só não se comunicam pela fala porque não aprenderam a falar como os ouvintes.

Fontes: Instituto Rodrigo Mendes, Andi

PARA SABER MAIS

LEGISLAÇÃO
Convenção sobre o direito das pessoas com deficiência (ONU) e Decreto nº 6.949/2009
http://bit.ly/convencaoonu

MANUAL
Mídia e deficiência Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi)
http://bit.ly/manualandi

LIVRO
Construindo uma sociedade para todos. Romeu Kazumi Sassaki, editora WVA

Ilustração: Pedro Hamdan