Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Quem é quem no MEC de Jair Bolsonaro

Conheça os novos secretários das subpastas e autarquias conectadas ao Ministério da Educação

POR:
Paula Peres, Laís Semis
Equipe de secretários do Ministério da Educação posa para foto ao lado do ministro Ricardo Vélez Rodríguez em Brasília   Foto: Luis Fortes/MEC

A equipe que liderará as políticas educacionais no governo de Jair Bolsonaro (PSL) já foi estabelecida. O anúncio foi feito durante a cerimônia de transmissão de cargo do Ministério da Educação (MEC), na última quarta-feira (dia 2). O novo ministro Ricardo Vélez Rodríguez apresentou 10 nomes que estarão à frente das secretarias que compõem o MEC e das autarquias federais vinculadas.

LEIA MAIS O que esperar do ministro da Educação de Jair Bolsonaro

O único que esteve na equipe de transição do governo foi o próprio ministro, Ricardo Vélez Rodríguez, que atuou como coordenador no último mês. Todos os secretários são nomes novos, que não constavam até então. Três instituições se destacam por constarem no currículo dos indicados: Centro Paula Souza, Instituto Tecnológico da Aeronáutica e Fundação Getúlio Vargas (FGV) são representadas por 20% dos secretários, cada uma.

Conheça a trajetória profissional de cada um dos integrantes da gestão do MEC:

Ministro da Educação: Ricardo Vélez Rodríguez
Possui trajetória no Ensino Superior, tendo trabalhado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Escola de Comando e Estado Maior do Exército (ECEME) e Universidad Pontificia Bolivariana, na Colômbia. No mesmo país, foi pró-reitor de pós-graduação e pesquisa da Universidade de Medelim.

LEIA MAIS O que pensa Ricardo Vélez Rodríguez, o novo Ministro da Educação

Ainda na Colômbia, se formou em Filosofia pela Pontifícia Universidade Javeriana e em Teologia no Seminário Conciliar. Possui mestrado e doutorado na área de Filosofia e atua em temas como filosofia brasileira, pensamento brasileiro e moral social. Na UEL, foi criador do curso de pós-graduação em pensamento político brasileiro e na UFJF, coordenou Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos

Secretaria Executiva: Luiz Antonio Tozi
Possui experiência nas áreas de Educação profissional e Superior. Formado em Engenharia Naval e Oceânica pela Universidade de São Paulo (USP), possui mestrado em Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica e doutorado em Engenharia Mecânica, ambos pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Na instituição, ele coordenou um grupo de pesquisas sobre sistemas de transporte e o núcleo de modernização do Instituto.

Na administração do Centro Paulo Souza desde 2016, Tozi ocupava o cargo de vice-diretor-superintendente. A instituição é voltada para Educação profissional e conta com 223 escolas técnicas (as chamadas Etecs) e 72 faculdades de tecnologia (chamadas Fatecs) estaduais em São Paulo. Tozi também passou pela gestão e docência na Faculdade de Tecnologia de São José dos Campos (FATEC).

O cargo é o mais alto na pasta de Educação, após o de ministro. O secretário executivo é responsável por auxiliar na coordenação das atividades das secretarias do MEC, na definição de diretrizes e na implementação de políticas. Na impossibilidade de atuação temporária do ministro, o secretário executivo responde como substituto do cargo, tendo as mesmas autoridades que o ministro oficial.

Secretaria de Educação Básica: Tânia Leme de Almeida
A Secretaria que olha para as etapas da Educação Infantil ao Ensino Médio será ocupada por uma engenheira professora do Ensino Superior. Única mulher da equipe de secretários, Tânia Leme de Almeida é docente do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza há nove anos com dedicação exclusiva. Até 2018, ocupava o cargo de diretora da Fatec São Carlos. É formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), e tanto seu mestrado quanto seu doutorado são na área de Engenharia Civil-Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo (USP).

Na Academia e nas pesquisas, a professora se dedica ao tema da gestão ambiental de resíduos e saneamento ambiental. De acordo com informações de seu próprio currículo Lattes, ela atua nos temas: gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, solos contaminados, percolação, metais pesados, aplicação de efluentes no solo e aterro sanitário.

Atua na docência desde 2005, sempre voltada ao Ensino Superior em diferentes universidades paulistas. Na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em 2009, atuou no curso de capacitação em Educação, Gestão e Sustentabilidade no Trabalho.

Secretaria de Educação Superior: Mauro Rabelo
O único membro da nova gestão a já ter passagem pelo ministério é Mauro Rabelo. Durante a gestão de Rossieli Soares do MEC, Rabelo era diretor de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior (DIFES), que integra a Secretaria de Educação Superior. Além da atuação na gestão pública, Mauro atua desde a década de 80 no Ensino Superior.

Professor associado do departamento de Matemática da Universidade de Brasília (UnB), já foi chefe do departamento e em duas ocasiões. Na UnB também foi coordenador de graduação do departamento, subcoordenador do programa de avaliação seriada e posteriormente presidente da comissão dedicada ao tema, coordenador de extensão, gerente de processos seletivos e avaliação e subcoordenador do vestibular da UnB.

Além da graduação em Matemática, possui mestrado e doutorado pela mesma universidade que atua profissionalmente, e pós-doutorado pela universidade americana de Stanford. Tem  experiência em avaliação educacional e foi parecerista e coordenador adjunto na análise de livros didáticos de matemática do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD).

A pasta que Mauro assume é responsável por por planejar e supervisionar políticas de Educação Superior, bem como manter e supervisionar as instituições públicas federais e de ensino superior (Ifes) e também as particulares.

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica: Alexsandro Ferreira de Souza
Possui pontos em comum de formação e pesquisa com o ministro Vélez Rodríguez. Assim como ele, possui formação em Filosofia, passou pela UFJF e integrou o Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos, tendo sido vice-líder do grupo. Compartilham também interesses sobre pensamento luso-brasileiro e filosofias nacionais.

Alexsandro possui especialização, mestrado e doutorado em Ciência da Religião também pela Federal de Juiz de Fora, mesma instituição da formação em Filosofia. Atua como professor da rede pública do Espírito Santo. A secretaria que assume no MEC formula, implementa e monitora políticas de Educação profissional e tecnológica. Por ser responsável pela qualidade e organização da oferta na área, atua em colaboração com os diferentes sistemas de ensino.

Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior: Marco Antônio Barroso Faria
Assim como o novo secretário de Educação profissional, Marco Antônio é formado em Filosofia e possui especialização, mestrado e doutorado em Ciência da Religião pela UFJF e é ex-aluno de Vélez. Desde 2011, atua como professor e pesquisador na Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) nas áreas de Filosofia e história das ciências, ética e fundamentos sócio-filosóficos da Educação. Ainda na universidade, coordena o grupo de pesquisa em Educação e Humanidades. Também é membro da Associação Brasileira de História das Religiões e da Sociedade Brasileira de História da Ciência. Sua área no MEC é a responsável por zelar pelo cumprimento da legislação educacional, regulação e supervisão de instituições públicas e privadas do Sistema Federal de Educação Superior e de cursos de graduação.

Secretaria de Modalidades Especiais de Educação: Bernardo Goytacazes de Araújo
Outro ex-aluno de Vélez em campo é Bernardo. Também graduado em Filosofia pela UFJF e membro do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos. Possui pós-graduação em Filosofia Moderna e Contemporânea, com ênfase em ética e política, e MBA em gerenciamento de projeto pela Universidade Gama Filho. Foi professor universitário e da Educação Básica, atuando em escolas públicas e particulares. Trabalhou na prefeitura do município de Três Rios (RJ) como assessor da coordenadoria de projetos, foi chefe de gabinete, secretário municipal de governo e planejamento, secretário de integração e comunicação e secretário de ordem pública e política de combate às drogas. A subpasta substitui a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão.

Secretaria de Alfabetização: Carlos Francisco de Paula Nadalim
O comando da subpasta recém-criada ficará a cargo de Carlos Francisco de Paula Nadalim, formado em Direito pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), com especializações em História e Teorias da Arte e Filosofia Moderna e Contemporânea pela mesma universidade, além de mestrado em Educação.

É conhecido em Londrina por ser um dos coordenadores da Escola Mundo do Balão Mágico, instituição que ganhou o prêmio Darcy Ribeiro de Educação em 2018, por indicação do deputado federal Diego Garcia (PODEMOS/PR). O site da escola chega a mencionar Carlos Francisco como responsável pelos “resultados surpreendentes” na área da Alfabetização, graças à “metodologia inovadora” criada por ele e implantada pela escola.

Também famoso nas redes, Carlos Francisco de Paula Nadalim possui um canal em que posta vídeos com dicas de alfabetização e educação para pais de crianças.

Para as autarquias federais vinculadas ao MEC, foram anunciados:

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep): Marcus Vinícius Rodrigues
O Inep já começou a polemizar no fim do ano passado por conta do conteúdo de algumas questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Sua presidente, Maria Inês Fini, deixa o cargo para ser substituída pelo engenheiro, doutor em Engenharia de Produção e Administração de Empresas e especialista em Formação de Executivos Marcus Vinícius Rodrigues.

De acordo com a Folha, este é um dos nomes indicados pelo grupo dos militares na pasta da Educação. Marcus Vinícius tem passagem por empresas como Correios e Fundação Getúlio Vargas (FGV), onde atuou como executivo e consultor organizacional. Ele deu aulas na FGV e foi professor visitante do Instituto Universitário de Lisboa, autor de livros de gestão do trabalho e editor da Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes): Anderson Ribeiro Correia
O engenheiro Anderson Ribeiro Correia, formado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), é reitor do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) desde 2016, onde cursou seu mestrado em Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica e já esteve também à frente da Pró-reitoria de Extensão e Cooperação. Tem experiência de atuação, pesquisa e docência na área de Engenharia de Transportes. Já trabalhou e prestou consultoria em logística e transportes para empresas públicas e privadas.

À frente da Capes, Anderson deverá coordenar e avaliar a pós-graduação (mestrado e doutorado) em todos o Brasil, além de administrar bolsas de pesquisa para produção científica e cuidar de programas de formação inicial e continuada de professores da Educação Básica.

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE): Carlos Alberto Decotelli da Silva
Famoso professor de Finanças e convidado para dar palestras em vários eventos, é formado em Economia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), doutor em Administração pela Universidade Nacional de Rosario (UNR), na Argentina, e mestre pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), onde também atua como professor na pós-graduação. É co-autor de quatro livros, todos da área de Administração e Finanças, e passou por bancos e corretoras de câmbio, títulos e valores mobiliários antes de assumir cargos de docência na FGV e em outras faculdades particulares. No New York Institute of Finance, criou o curso “Gestão Financeira Corporativa”, em parceria com a FGV-IDE Management, e é sócio administrador de uma empresa de consultoria chamada “COPAS Treinamento e Consultoria”.

O FNDE é o órgão responsável pela execução da maioria das ações e dos programas da Educação Básica, principalmente ligados a financiamento e infraestrutura, como alimentação e o transporte escolar, além de atuar também na Educação Profissional e Tecnológica e no Ensino Superior.

Tags

Guias