Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Saiba | Tecnologia


Por: Tory Oliveira

Como os celulares impactam o desenvolvimento?

Uso intenso de smartphones e redes sociais deixa os jovens menos preparados para a vida adulta, diz estudo

Para metade dos adolescentes brasileiros, o smartphone é o melhor amigo. Ao mesmo tempo, 42% sentem-se pressionados a checar o aparelho constantemente, diz pesquisa feita pela Motorola. Onipresentes, os smartphones (e o uso da rede social) podem estar moldando toda uma geração. É o que diz a psicóloga norte-americana Jean M. Twenge, que pesquisa hábitos e mudanças geracionais há 25 anos. Seu último livro, iGen (Geração I, em tradução livre), relata que a geração smartphone, nascida após 1985, passa em média 4,5 horas por dia trocando mensagens ou em jogos online. Os estudos da professora da universidade de San Diego mostram os efeitos dessa superconectividade: menos encontros ao vivo e mais solidão. Jean afirma que esses adolescentes demoram mais para crescer: “Os de 18 anos agem como se tivessem 15 em gerações anteriores”. Segundo o estudo, eles chegam à universidade e ao trabalho mais dependentes e com dificuldade de tomar decisões. 

Fonte: How Teens and Parents Navigate Screen Time and Device Distractions (Pew Research Center)

QUÃO VICIANTE É O CELULAR?

Há poucos estudos, pois smartphones são recentes. No entanto, há crescente pressão para investigar os efeitos do uso intenso

4,5h é a média que crianças e adolescentes passam diante das telas nos EUA por dia

93% das crianças e adolescentes acessam a internet pelo smartphone, no Brasil

Dependência emocional
Pesquisa com 4.418 usuários no Brasil, França, EUA e Índia revelou que 65% entram em pânico se acham que perderam o smartphone. Quando não estão com o celular, três em cada dez admitem que pensam em usá-lo.

Uma hora por dia
A Academia Americana de Pediatria recomenda não exceder esse limite até os 5 anos. Evite que a criança use o celular na hora das refeições ou até uma hora antes de dormir. A luz azul emitida pela tela pode afetar a qualidade do sono.

O que a criança pode aprender com isso?
A orientação é priorizar o consumo de conteúdos educativos e de qualidade. Muitos educadores reconhecem o potencial do celular como ferramenta pedagógica quando bem utilizado.


Risco de miopia
A exposição acima de seis horas diárias às telas dos celulares pode agravar problemas como a miopia. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 20% das crianças em idade escolar têm problemas de vista.


  Fonte: TIC Kids 2017, Pesquisa Motorola/IPSOS