Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Matéria de Capa: Conheça professores que complementam a renda | Salários


Por: Pedro Annunciato e Tory Oliveira

Em três meses, consegui 16 reais catando latinhas

Conheça a história de Isabel Dantas que precisa complementar a renda para sobreviver

Crédito: Bruna Justa/Nova Escola

Isabel Dantas, 27 anos, Currais Novos (RN) é professora de reforço, desempregada e catadora de recicláveis
RENDIMENTOS: R$ 70 como professora e R$ 16 como catadora (em três meses)

Quando eu era adolescente, trabalhava na igreja com crianças. Já gostava muito de crianças e isso me atraiu para a pedagogia. Há dois anos, me formei pela Universidade Estadual Vale do Acaraú. Mas não consigo emprego. Em escola, eles exigem experiência na área, mas como vou ter experiência se ninguém me dá uma oportunidade? Na faculdade, os estágios que a gente fazia duravam só 15 dias. Teve um ano, ainda, que eu consegui uma vaga como auxiliar. Estagiei o ano todinho e depois me mudei para Parnamirim [no Rio Grande do Norte], quando meu esposo foi trabalhar lá de pedreiro. Meu marido agora está encostado, recebendo benefício do INSS. Ele sofreu um acidente de moto e perdeu os movimentos do braço. Então, a gente vai se virando com qualquer coisa. Tenho um filho de 3 anos. Comecei, faz uns três meses, a recolher latinhas e plástico na rua. Acordo cedinho, antes do carro [de lixo] passar e vou recolhendo. Tem uma pessoa que compra [esses materiais] no bairro. Em três meses, consegui tirar 16 reais. Dá para comprar um pão, uma bolacha… De tarde, eu dou aulas de reforço particular. Tenho dois alunos. Um faz o 3º ano e o outro está no 1º. Atendo eles todos os dias. Cobro R$ 35 reais por mês. Sinceramente, espero passar no concurso público. Um dia a gente consegue. Abriu um agora, em sete cidades que se uniram para fazer [a seleção]. Mas a taxa é de R$ 100,00. Não consegui me inscrever. Meu sonho é trabalhar como professora da Educação Infantil.