Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Blog

Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Como avaliar a leitura na Alfabetização

Veja uma sugestão de prova para verificar como anda a habilidade dos alunos

POR:
Mara Mansani
Crianças fazem leitura em sala de aula
Foto: Getty Images

O fim do ano letivo está bem próximo. Por um lado, penso que todos nós, professores, precisamos de um descanso. Mas por outro lado, como professora alfabetizadora, também quero aproveitar todos os momentos possíveis para que meus alunos leiam e escrevam cada vez mais e melhor – pois todo o tempo é tempo de aprender.

Como alfabetizadores, para encaminhar nossas ações em nosso planejamento nessa reta final, penso que precisamos ter muito claro como está cada um de nossos alunos, na leitura e escrita, nesse momento, no processo de alfabetização. Para isso, além das sondagens para verificar as hipóteses de escrita, as observações das participações de cada um nas atividades permanentes da alfabetização e nos projetos desenvolvidos, o momento é de fazer uso também de um instrumento avaliativo mais específico e com maior abrangência para verificar como estão as habilidades de leitura e escrita de nossos alunos. Acredito que uma avaliação no formato de uma provinha de leitura e escrita seja um bom instrumento para isso.

Apresento a vocês, queridos colegas de alfabetização, os caminhos que seguirei nessa avaliação com meus alunos. É uma sugestão, uma proposta, que você também pode desenvolver com seus alunos, fazendo as adaptações e adequações que julgar necessárias.

São duas partes específicas, uma de leitura e uma de escrita, aplicadas em dias diferentes. Começarei com a avaliação de leitura.

LEIA MAIS   Quando uma receita de bolacha vira galeria de fotos e tutorial em vídeo

Para organizar e selecionar as questões que envolvem leitura é preciso saber o que as crianças devem saber até esse momento na alfabetização. Selecionei as habilidades de leitura, levando em conta o que havia planejado inicialmente, o que desenvolvi com meus alunos durante o ano letivo e elementos da BNCC.

Veja você, no currículo de sua Rede de educação, o que se espera que as crianças saibam até agora. Com certeza há diferenças entre uma Rede e outra, mas acredito que, com a BNCC, falaremos todos a mesma língua. Com o tempo alinharemos caminhos e oportunidades de aprendizagem de todos os alunos em nosso país.

Bom, vamos à nossa prova!

De maneira geral, espera-se que nesse momento, quase no final do primeiro ano da alfabetização, as crianças já tenham avançado nas questões de compreensão da base alfabética e que já tenham avançado em sua fluência leitora, ou seja, que eles:

  • Utilizem diferentes estratégias de leitura (de seleção, antecipação e verificação) para reconhecer a escrita em textos.
  • Que compreendam antecipadamente o que está escrito, refletindo sobre o sistema de escrita.
  • Leiam e compreendam com autonomia:
  • listas, agendas, calendários, avisos, convites, quadras, quadrinhas, parlendas, trava-línguas, adivinhas simples, legendas em fotos, bilhetes, dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto e relacionando sua forma de organização à sua finalidade.
  • Leiam e compreendam, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor ou já com certa autonomia:
  • receitas, instruções de montagem de brinquedos e instruções de brincadeiras, dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto e relacionando sua forma de organização à sua finalidade.
  • slogans, anúncios publicitários e textos de campanhas de conscientização destinados ao público infantil, dentre outros gêneros do campo publicitário, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto.
  • Cartazes e avisos, que organizam a vida na comunidade escolar, dentre outros gêneros do campo da atuação cidadã, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto.
  • enunciados de tarefas escolares, curiosidades, entrevistas, entre outros gêneros do campo investigativo, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto.

Talvez você pense: “Nossa! Muitas dessas leituras, em alguns desses gêneros, são complexas para o primeiro ano na alfabetização!”, mas na verdade a aprendizagem da leitura vai longe, se estende e se consolida ao longo de todo o processo de alfabetização, no segundo ano e nos demais. Mas podemos já no primeiro ano encontrar crianças que ao final do ano sejam leitoras fluentes, como pode haver leitores que ainda não leem com autonomia. Por isso na hora de registrar, os resultados da leitura de seus alunos, tenha em mente pelo menos alguns parâmetros, como por exemplo:

Ainda não faz uma leitura convencional, pois não compreendeu a base alfabética.

Lê com dificuldades, textos sem muita complexidade, como listas, parlendas, etc.

Lê com autonomia, mostrando compreensão do que foi lido;

Lê com certa, autonomia, às vezes precisando ainda de ajuda do professor

Essas são algumas sugestões, mas tenha como base os documentos que norteiam a avaliação em sua Rede de educação, ou em documentos da Educação nacional.

Agora, vamos à elaboração das questões para a provinha, que podem ser assim:

1- Leitura de texto de memória (parlendas, quadrinhas, etc.). As crianças devem ler o texto sozinhas e circular as palavras que a professora ditar.

2- Leitura de lista com nomes do mesmo campo semântico (por exemplo, lista com nomes de brinquedos e brincadeiras). A professora diz qual o tema da lista. Cada criança lê e numera as palavras ditadas pela professora. Coloque de 8 a 10 palavras. Peça que numerem pelo menos 5 palavras. Procure colocar palavras que se iniciem com as mesmas letras.

3- Leitura de adivinha simples. Ofereça as crianças, uma adivinha. Eles devem ler sozinhos e encontrar a resposta circulando a palavra correta a partir de três alternativas apresentadas. Por exemplo:

O QUE É, QUE TEM COROA, MAS NÃO É REI?

ABOBORA   MELANCIA   ABACAXI 

Nessa atividade, se não tiver autonomia na leitura, o professor pode ler para ela a adivinha, mas as alternativas da resposta, a criança deve ler sozinha. 

4- Leitura de lista com nomes dos alunos da turma. As crianças devem ler a lista sozinhos e circular de vermelho o nome de cinco meninos da turma e de verde o nome de cinco meninas. 

5- Leitura de texto de memória, no caso uma cantiga. Apresente para as crianças uma fala de um personagem de contos infantis, onde todas as palavras estejam juntas uma com a outra, sem a devida segmentação, pode ser por exemplo, a cantiga de Chapeuzinho Vermelho:

“PELAESTRADAAFORAEUVOUBEMSOZINHALEVARESSESDOCESPARAAVOVOZINHA"

Primeiro eles devem, juntos, cantar a música, depois devem ler sozinhos e copiar a cantiga fazendo as devidas separações.

6- Leitura de legendas de fotos. Apresente as crianças uma imagem, de preferencia de situações do cotidiano deles. Peça que observem a imagem e assinalem a legenda que se encaixa com ela. Apresente pelo menos duas legendas para cada imagem apresentada.

7- Leitura de cartaz. Apresente para as crianças a reprodução de um cartaz real, por exemplo de um dia de vacina, ou de alguma apresentação cultural. Eles devem ler sozinhos e assinalar o tema principal do texto. Ofereça pelo menos três alternativas.

8- Leitura de frase interrogativa. As crianças devem ler sozinhas a pergunta e escrever a resposta com sua opinião pessoal. Por exemplo:

"QUAL É A SUA COMIDA PREFERIDA?” 

Apresente pelo menos três perguntas desse tipo, para que as crianças respondam.

9- Leitura de informativo cientifico. Apresente um texto curto, com informação sobre o universo infantil. Eles devem ler e responder uma pergunta onde a resposta no texto seja explicita. Pode trocar esse texto por um texto instrucional ou apresentar ambos.

Estes são alguns tipos de questões que envolvem a leitura que podem compor a provinha, o instrumento avaliativo de nossos alunos, mas há muitas outras possibilidades. Uma bem interessante e diferente é pedir que cada aluno leia um trecho de algum texto para uma gravação da turma. Pode ser uma coletânea de adivinhas por exemplo. Ao mesmo tempo você avalia a leitura individual de cada aluno.

Mas o ponto principal de todo esse processo avaliativo, não é o instrumento de avaliação, o raio-x da turma na leitura, mas sim o que fazer com esse retrato de leitura revelado! Como bem sabemos, esses dados orientarão novos caminhos, a hora é de planejar novas ações em práticas pedagógicas que deem qualidade a leitura de nossos alunos e os faça avançar em suas aprendizagens, seja para aqueles que ainda não tem autonomia, fluência leitora, seja para aqueles que já leem com autonomia. Então vamos lá, ainda dá tempo de turbinar a aprendizagem da leitura de nossos alunos, nessa reta final! Vamos juntos!

Mas e vocês queridos professores alfabetizadores, como anda a leitura em sua sala de aula? É possível aplicar esse instrumento avaliativo de leitura? Você sugere alguma outra possibilidade ou alteração? Conte aqui nos comentários!

Uma boa avaliação a todos, um grande abraço e até a próxima semana!

Mara Mansani

 

Aprofunde sua leitura

Assuntos Relacionados