Manoel de Barros: vida e versos para todas as idades

LITERATURA

POR:
Camila Camilo

O poeta, vencedor de dois Prêmios Jabutis e admirado até por Carlos Drummond de Andrade, é autor de uma obra grandiosa. Conheça mais a respeito e enriqueça suas aulas sobre poesia

Foto: Orlando Brito

O escritor mais famoso de Itabira, a 100 quilômetros de Belo Horizonte, Carlos Drummond de Andrade, disse certa vez que não era o maior poeta brasileiro vivo. Havia Manoel Wenceslau Leite de Barros. Ou melhor, Manoel de Barros, autor de linhas e rimas cheias de profundidade sobre simplicidades do dia a dia, as sutilezas das coisas "desimportantes". Do "apogeu do chão e do pequeno".

Barros nasceu em Cuiabá, no dia 19 de dezembro de 1916. Quando criança, ele passou boa parte de seus dias no internato. Ao terminar a escola, foi para o Rio de Janeiro onde se formou em Direito. Depois do casamento com Stella voltou para o Pantanal e assumiu uma fazenda de gado recebida como herança. Lá, viveu até o fim da vida, em novembro de 2014.

Cronologicamente, o poeta pertence à terceira geração modernista, de 1945, assim como João Cabral de Melo Neto (1920-1999) e João Guimarães Rosa (1908-1967). Os autores dessa fase ficaram conhecidos pelo apuro com as letras e menor apego a padrões estéticos. Isso não significa que seja simples classificar a poesia de Barros em modernista, de vanguarda ou pós-moderna. "Buscar uma classificação talvez seja uma forma inadequada de abordar uma poesia que questiona os padrões de uma sociedade obcecada com informação, classificação e eficiência", comenta Rodrigo Franklin de Sousa, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie e doutor em Letras pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra.

Com o tempo, o escritor conquistou notoriedade no meio literário. Foi vencedor do Prêmio Jabuti duas vezes, em 1990 e 2002, com as obras "O guardador de águas" (1989) e "O fazedor de amanhecer" (2001). Seus leitores não são apenas brasileiros. Os livros do poeta foram traduzidos e publicados na França, nos Estados Unidos, na Espanha e em Portugal. Em 2008, sua trajetória e as peculiaridades dos seus poemas foram tema do documentário "Só dez por cento é mentira", de Pedro Cezar:



Obras
No site da Fundação Manoel de Barros (http://www.fmb.org.br/), uma frase do próprio poeta explica bem o que se encontra nos seus livros:

"O que escrevo resulta de meus armazenamentos ancestrais e de meus envolvimentos com a vida. Sou filho e neto de bugres, andarejos e portugueses melancólicos. Minha infância levei com árvores e bichos do chão. Penso que a leitura e a frequentação das artes desabrocha a imaginação para um mundo mais puro. Acho que uma inocência infantil nas palavras é salutar diante do mundo tão tecnocrata e impuro. Acho mais pura a palavra do poeta que é sempre inocente e pobre"


Veja abaixo uma lista de títulos, além de publicações sobre o literato. Certamente elas vão enriquecer suas aulas sobre poesia. E são, sem dúvida, ótima leitura para as horas livres. Aproveite!

Títulos infantis
Exercícios de Ser Criança, Manoel de Barros, 48 págs., Editora Salamandra, tel. (11) 2076-7900, 39 reais

O Fazedor de Amanhecer
, Manoel de Barros, 48 págs., Editora Salamandra, tel. (11) 2076-7900, 39 reais

Memórias inventadas para crianças
, Manoel de Barros, 32 págs., Planeta Editorial, tel. (11) 3087-8848, 24,90 reais

Histórias da Unha do Dedão do Pé do Fim do Mundo (poemas ilustrados em vídeo por Evandro Salles, feito por Lumen Argo)
https://www.youtube.com

Para saber mais sobre o autor
Manoel de Barros, o Demiurgo de Terras Encharcadas - Educação pela Vivência do Chão - , Cristina Campos, 320 págs., Editora Tanta Tinta, tel. (65)3023-5714, 24,90 reais

Manoel de Barros, o Poeta do Deslimite
, Elton Luiz Leite de Souza, 140 págs., Editora 7 Letras, tel. (21)2540-0076, 29 reais

Por trás do Silêncio de Manoel de Barros: uma Análise da Construção Poética do Alterego do Poeta, Dayvson Fabiano e Alexandre Furtado. Publicado no volume 1 do Ano 4 da Revista Formação. Disponível no link: http://ww2.upe.br/portal

Só dez por cento é mentira, a desbiografia poética de Manoel de Barros - poesia, vida & documentário, Maria Cristina Cardoso Ribas. Disponível no link: http://revistaalceu.com.puc-rio.br

Coletâneas de poemas
A Biblioteca de Manoel de Barros, Manoel de Barros, 912 págs., Editora Leya, tel. (11) 3129-5448, 179,90 reais

Compêndios para uso de pássaros,
Manoel de Barros, 56 págs., Editora Leya, tel (11) 3129-5448, 19,90 reais

Escritos em Verbal de Ave,
Manoel de Barros, 14 págs., Editora Leya, tel (11) 3129-5448, 34,90 reais

Poesia Completa, Manoel de Barros,
480 págs., Azougue Editorial, tel (21) 3259-7712, 36 reais

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias