Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Como avaliar o ensino criativo e inovador?

Conheça a avaliação por rubrica e saiba como usá-la para avaliar seus alunos

POR:
Débora Garofalo
Crédito: Getty Images

Temos vivenciando um momento de inovação na Educação. Muitos de nós, professores, temos levado as aprendizagens criativas para dentro da sala de aula. Diante desse movimento, tenho recebido muitas perguntas questionando: como avaliar a Educação mão na massa?

LEIA MAIS   Que habilidades deve ter o professor da Educação 4.0

Enquanto educadores temos a expectativa de que nossos alunos desenvolvam habilidades nas diferentes áreas e componentes curriculares, como resolver problemas, argumentar, pesquisar com critérios estabelecidos... Para transformar essas probabilidades em realidade, o processo passa pelo planejamento, execução das atividades planejadas e avaliação.

O papel da avaliação

Acredito que a prática pedagógica só possui um ciclo completo quando realizamos a avaliação. Considero que ela é a essência para qualquer prática educativa. O olhar reflexivo possibilita a sistematização do que foi realizado e a absorção do que foi aprendido ao longo de todo o processo, o que ajuda a determinar intervenções. Mas a aprendizagem demanda diferentes instrumentos de avaliação e o foco é no processo e não no produto final.

LEIA MAIS   Como levar a aprendizagem criativa para dentro da sala de aula

A diversidade de instrumentos de avaliação para serem instrumentos de aprendizagem, podem constituir um grande desafio, perpassando nas diferentes modalidades (diagnóstica, dialógica, formativa e contínua). No contexto da aprendizagem criativa a rubrica pode ser uma grande aliada (mas ela também pode ser usada para substituir as avaliações tradicionais). A rubrica indica, em uma escala, as expectativas especificas para uma determinada atividade proposta, conforme ilustração a seguir:

 

Como usar

Os critérios podem ser construídos com os alunos e a rubrica pode ser utilizada também durante o processo da atividade proposta e não somente no final. Nas categorias podem ser utilizadas imagens para aproximar a compreensão dos alunos.  Abaixo, compartilho como vocês dois modelos que foram construídos de forma colaborativa por mim e pelos alunos em sala.



Importante ressaltar que a construção de uma rubrica de avaliação demanda tempo, esforço e, principalmente, mudança de atitudes para sistematizar critérios e explicitar comportamentos sobre o nível em que o aluno está e aquele se pretende atingir.

Pode ser um pouco mais trabalhoso, no entanto, as vantagens compensam. Entre as oportunidades que a avaliação por rubrica oferece está a mudança de comportamento do professor e do aluno, implementação relação dialógica, possibilidade de avaliação de habilidades complexas ligadas diretamente ao desenvolvimento da aprendizagem e visão ampla da construção da cognição.

Para os professores, também há muitas vantagens. A avaliação por rubrica permite reflexão nos objetivos pedagógicos e tarefas propostas, estimula rever práticas docentes e comunicação dos critérios e retorno dos estudantes e estabelece clareza e respeito nas dificuldades dos alunos.

Para atingir objetivos diferenciados, é necessário repensarmos a forma que avaliamos nossos alunos, dando a eles a oportunidade de participar da elaboração destes critérios. E você, querido professor, já utilizou a avaliação por rubricas? Conte aqui nos comentários suas experiências.

Um abraço e até a próxima semana,

Débora Garofalo

Professora da rede Municipal de Ensino de São Paulo, Formada em Letras e Pedagogia, Mestranda em Educação pela PUCSP, colunista de Tecnologias para o site da NOVA ESCOLA. 

Tags

Guias