O final | Relaxe

Uma exposição, dois livros e quatro filmes para conferir neste mês

Selecionamos exposição, livros e uma playlist de filmes que falam sobre escravidão na América Latina, racismo e discriminação

POR:
Pedro Annunciato

 

Histórias afro-atlanticas 

Quando a África encontra a América

Masp e Instituto Tomie Ohtake dividem exposição de obras que retratam a vida dos africanos do século 16 ao 21

Ela é a estrela: ninguém passa sem parar para ver e fotografar a estátua de bronze de 1,35m que parece derramar uma lata de látex branco sobre a cabeça. Parte da exposição Histórias Afro- Atlânticas, no Museu de Arte de São Paulo (Masp), a obra Amnésia, do brasileiro Flávio Cerqueira, chama a atenção tanto pela perfeição das formas do menino negro quanto pelo gesto inusitado que o artista conseguiu congelar. A reflexão que ela evoca está mais para dramática do que para divertida. A obra revela como os traços da cultura negra podem ter se perdido no tempo, tirando dos africanos o direito sobre a sua própria história. A seleção reúne 450 trabalhos de 214 artistas, africanos e não africanos, da Argentina aos Estados Unidos, do século 16 ao 21, que revelam como África e América se cruzam e de que forma cada artista representa esse encontro. Além do Masp, parte do acervo está exposta no Instituto Tomie Ohtake.




Quando?
Até 21 de outubro
Onde: Masp e Tomie Ohtake, em São Paulo
Preço especial para estudantes e professores: R$ 17. Nas terças-feiras a entrada é gratuita para todos.

PARA SABER MAIS



Dicionário da Escravidão e Liberdade

Lilia Schwarcz e Flávio Gomes
Editora Companhia das Letras, R$ 74,90

Organizada por verbetes, a obra de Lilia Schwarcz e Flávio dos Santos Gomes reúne textos de dezenas de especialistas no assunto.




 
Rio de Janeiro

A favela em seu lugar

Uma das funções da literatura é documentar a experiência humana mais local e cotidiana, situando-a num plano universal em que ela adquira um sentido mais profundo. É essa a tentativa que o escritor carioca Geovani Martins, 27 anos, faz nas páginas de O Sol na Cabeça, livro com 13 contos de ficção inspirados pelas experiências vividas na favela do Vidigal, no Rio de Janeiro, onde passou a infância e a adolescência. Rapazes com a vida de Martins não costumam virar escritores. Filho de uma cozinheira e de um jogador de futebol amador, aprendeu a ler com a avó e se apaixonou pelos livros desde cedo. Hoje, é considerado um dos autores mais promissores da nova geração. Nas histórias, narradas de forma direta, o autor fala da violência, da pobreza e do abismo social que separa a população que vive nas comunidades do resto da cidade. Embora apareçam de maneira crua, os relatos não resultam num barril de sangue, mas em um conjunto de narrativas que falam de infância, morte, desejos, frustrações – temas universais, que não estão só confinados aos morros cariocas.



Livro: O Sol na Cabeça
Autor: Geovani Martins
Editora: Companhia das Letras
Preço Médio: R$ 27,90


4 FILMES PARA ENTENDER: Discriminação e preconceito

Histórias abordam racismo, abismo social e o encontro com o diferente

1) Histórias Cruzadas
EUA, 2011
Jovem escritora retrata tensões raciais em uma pequena cidade do Mississipi, nos anos 1960.

2) Que Horas Ela Volta?
Brasil, 2015
Uma empregada doméstica que mora com os patrões há muitos anos precisa hospedar a filha.

3) Extraordinário
EUA, 2017
Garoto nascido com uma deformação enfrenta o desafio de frequentar a escola regular.

4) What Happened, Miss Simone?
EUA, 2015
Documentário sobre a cantora e ativista negra Nina Simone e o peso do racismo em sua carreira.