Geraldo Alckmin: "Criamos muita universidade com pouco aluno"

O candidato tucano à presidência disse que a Educação Infantil deve ser foco de investimentos

POR:
Naiara Albuquerque
O candidato à presidência Geraldo Alckmin (PSDB) durante sabatina promovida pelo Todos pela Educação em São Paulo  Foto: Reprodução/Facebook

O candidato à presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, afirmou que vai se dedicar pessoalmente, caso eleito, à Educação, com foco principalmente no Ensino Infantil. Durante a sabatina promovida pelo Todos pela Educação , com participação da Folha de S. Paulo, Alckmin disse que pretende ser conhecido como o "presidente da primeira infância" e destacou seu trabalho como governador do Estado de São Paulo. 

LEIA MAIS   Marina Silva: “Nenhum brasileiro acha que se deve ficar 20 anos sem investir em Educação”

Durante a sabatina, que durou uma hora, o candidato falou dos anos que lecionou em cursinho e pós-graduação. Ele aproveitou para criticar a criação de “tantas universidades públicas” nos últimos anos: "Criamos muita universidade com pouco aluno", disse.

LEIA MAIS   Ciro Gomes: escola brasileira está ancorada em um "fordismo educacional"

O foco de Alckmin no Ensino Infantil aparece nas diretrizes de seu programa de governo . Nele, o candidato ressalta algumas prioridades. As principais são:

  • Foco à primeira infância (como zerar a espera de vaga em creches)
  • Meta de crescimento de 50 pontos em 8 anos no exame do Pisa
  • Qualificação e investimento na formação de professores

Questionado por Olavo Nogueira, diretor de Políticas Educacionais no Todos Pela Educação, sobre a aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no Ensino Médio, o ex-governador elogiou as mudanças. "Eu acho que a reforma foi correta. Ela saiu do modelo antigo e deixou de ter o Ensino Médio como algo igual para todo mundo. Acho que ela vai também ajudar na evasão escolar", disse.

Alckmin foi questionado inúmeras vezes para explicar concretamente as mudanças que faria, caso eleito. Sobre a crise de aprendizagem brasileira e o analfabetismo infantil, o candidato tucano limitou-se a dizer: "Nossa meta é ter as crianças alfabetizadas até os 7 anos de idade".

Segundo pesquisa feita pelo Todos pela Educação , metade das crianças entre 8 e 9 anos de idade que estudam em escolas públicas brasileiras sofrem com o analfabetismo. A pesquisa foi feita com base nos resultados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), que aplicou uma prova no ano de 2017 para 48 mil escolas públicas. 

O candidato também foi questionado sobre a política de bonificação para professores da rede estadual de ensino de São Paulo. A proposta, implementada em 2008 no governo Serra, também já foi aderida por metade dos estados brasileiros, como mostrou reportagem de NOVA ESCOLA. Para Alckmin, mesmo com a avaliação negativa da proposta , a política de bônus será estimulada. "Em relação ao bônus, sou favorável à meritocracia e a dar estímulos para dar resultados", afirmou. O candidato citou a política de bonificação em outras áreas, como a segurança pública.

De acordo o presidenciável, o ensino público brasileiro vai melhorar a partir do crescimento da economia. "Não vamos tirar nem um por cento da Educação. Vamos colocar mais recursos na Educação Básica e melhorar a gestão", disse. Alckmin aproveitou a presença de jornalistas para criticar a atuação do governo federal: "Estamos há 5 anos andando para trás, precisamos que o Brasil recupere a atividade econômica".

A sabatina foi a terceira de uma série que vai questionar candidatos à presidência sobre suas propostas para a Educação. A próxima sabatina acontecerá em 16 de agosto, às 10h30, com o candidato Fernando Haddad, representando Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Veja a seguir a íntegra da sabatina com Geraldo Alckmin.

 

Tags

Guias