Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Notícias
09 de Julho de 2018 Imprimir
5 4 3 2 1

15 quadros clássicos que definem o dia a dia do professor

Com a hashtag #CuadrosDocentes, professores relacionam trabalhos de pintores clássicos aos dramas diários escolares

Por: Laís Semis
A Paixão da Criação, de Leonid Pasternak: esse quadro te lembra algum momento da sua vida, professor?   Foto: Wkimedia Commons/Wikipedia

Não é só o professor brasileiro que enfrenta dramas diários em sua rotina na escola e com os alunos. Prova disso é o movimento iniciado no Twitter pelos professores espanhóis, que surgiram com a espirituosa hashtag #CuadrosDocentes (#QuadrosDocentes, em português). Situações cotidianas como a repetição de perguntas feitas pelos alunos, as horas "intermináveis" corringindo provas e muitas outras são ilustradas por obras de Candido Portinari, Vasily Kandinsky e Leonardo da Vinci.

O movimento teve início em março e virou trending topic na Espanha. A brincadeira ganhou também espaço no Twitter dos brasileiros. A seguir, confira alguns dos melhores tweets que selecionamos para nossos leitores. Tem alguma obra que define muito seus sentimentos em relação a uma situação vivida em sala de aula? Para participar da brincadeira, é só twitar a situação e o quadro usando a hashtag #CuadrosDocentes.

1. “Retirantes”, do brasileiro Candido Portinari (1944)



2. “O Grito”, do norueguês Edvard Munch (1893)
Em tradução livre: “Cada vez que anunciam uma reforma educativa”



3. “A Morte de Marat”, do francês Jacques-Louis David (1793)

4. “In Ictu Oculi”, do espanhol Juan de Valdés Leal
Em tradução livre: “- Não vou continuar até que todos fiquem quietos”

5. "Gótico Americano", do americano Grant Wood  (1930)
Em tradução livre: “-Tem alguns pais aqui que querem te ver”



6. "A princesa que nunca sorria", do russo Viktor Vasnetsov (1926)
Em tradução livre: “Mas tem que copiar o enunciado?”



7. “O 2 de Maio de 1808 em Madri”, do espanhol Francisco de Goya (1814)
Em tradução livre: “Os corredores da minha escola entre as trocas de aula”

8. “A pretendente tímida”, do alemão Carl Wilhelm Hübner (1853)
Em tradução livre [pais comentam]: “Mas não entendemos porque ele tirou 2 na prova, em casa ele sabia tudo. Tu-do”

9. “Segmento azul”, do russo Vasily Kandinsky (1921)
Em tradução livre: “Quando você chega em uma escola nova e não sabe de nada”



10. Escultura “Grupo de Laocoonte” (conhecida também como “Laocoonte e seus filhos”), de Agesandro, Atenodoro e Polidoro

11. “São João Batista Menino”, do espanhol Bartolomé Esteban Murillo (1876)
Em tradução livre: “O celular? Mas eu só estava olhando a hora…”



12. “O Enterro da Sardinha”, do espanhol Francisco de Goya (
1819)
Em tradução livre: “Crianças, o professor de Matemática não vem hoje!!!”

13. “O leitor”, do suíço Ferdinand Hodler (1885)
Em tradução livre: “Professor decifrando a caligrafia na prova”



14. “Tertulia de pulquería”, do mexicano José Agustín Arrieta (1851)

Em tradução livre: “Quando você entrega as provas, eles comparam as notas e você sabe que a infindável rodada de reclamações está chegando”

15. “A Última Ceia”, do italiano Leonardo da Vinci (1498)
Em tradução livre: “Quando no Conselho de Classe, o professor de Educação Física dá 10 para o aluno que só tem notas vermelhas”