Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Blog

Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

05 de Julho de 2018 Imprimir
5 4 3 2 1

Criança pequena contando história? É possível!

Veja como desenvolver a atividade na Educação Infantil e relacioná-la com três campos da BNCC

Por: Mara Mansani
Quando preparados, os pequenos da Educação Infantil conseguem contar histórias de jeitos incríveis. Crédito: Getty Images

Quem não gosta de ouvir historias, não é mesmo? Quando temos um bom contador e uma boa história, ficamos imersos em um mundo de faz de conta. Viajamos com as personagens, enfrentamos perigos, encontramos tesouros, somos corajosos e também temos medo, podemos ser diferentes e assumir diversos papéis.

Na Educação Infantil, os pequenos não fogem à regra: adoram ouvir histórias! A contação nessa etapa do ensino deve ser incorporada à rotina como prática permanente, não só porque as crianças gostam, mas porque principalmente porque a contação de historias tem a função de contribuir no desenvolvimento emocional e cognitivo dos pequenos.

As crianças começam a construir sua visão e leitura de mundo, aprendem a lidar com diferentes percepções e sentimentos, ampliam seu vocabulário, constróem seu repertório cultural e desenvolvem a imaginação e a criatividade. Como podem ser, a atividade envolve muita coisa!

Durante os últimos meses, conheci muitas professoras que já incorporaram a roda de contação de histórias em suas rotinas em sala de aula. A fala geral é de que as crianças adoram!

Mas é possível inovar e explorar essa atividade na Educação Infantil colocando os pequenos também no papel de contadores de histórias. Que tal deixar que eles assumam o papel de protagonistas nessa história?

Para que dê certo, é necessário se planejar previamente, com atenção aos seguintes pontos:

- Escolha da narrativa

A história deve ser conhecida pelas crianças e de preferência que já tenha sido contada pela professora, em outro momento.

Com o tempo e a apropriação das crianças dos saberes que envolvem a contação pode-se ir ampliando o repertório de histórias. Com certeza você vai se surpreender com a habilidade das crianças, contando histórias com riquezas de detalhes, sem esquecer-se da ordem dos acontecimentos e reproduzindo o modelo da professora na contação.

Outra possibilidade é deixar que as crianças improvisem e criem suas próprias narrativas, ou façam suas próprias versões de histórias já conhecidas. Para isso, elas devem se sentir à vontade, sem limitações a suas criações. O professor só precisa criar oportunidades para todos que quiserem participar, envolver os demais como ouvintes, fazer perguntas sobre a história e estimular a criatividade.

- Estratégias de contação de histórias

Eles podem contar a história utilizando objetos e outros acessórios. Oriente-os na escolha de objetos que possam representar personagens, acontecimentos, lugares que façam parte da história. Por exemplo: três canecas podem representar os três porquinhos, um rei pode ser representado por uma coroa de papel, e assim por diante. Fazer essas relações entre objetos e a história também rende muita aprendizagem e exige reflexão para os pequenos.

Pode-se também contar a história usando imagens previamente selecionadas, recortadas de jornais e revistas. Outra possibilidade é contar a história com um teatro de sombras.

Acredito que exploramos pouco as possibilidades de uso dos recursos de áudio nas aulas. Por exemplo, podemos pedir que os alunos reproduzam sons de animais, outros que cantem cantigas que façam parte da história... Sons de uma chuva caindo, de passos de um personagem, de portas se abrindo ou fechando podem ser feitos com o uso de instrumentos ou objetos sonoros construídos pelas próprias crianças ou até mesmo com o uso do próprio corpo.

- Organização do ambiente

O espaço deve ser confortável, acolhedor e inspirador. Se quiser e achar necessário, decore o ambiente com as crianças, de acordo com a história a ser contada.

- Duração da atividade

A contação pelos pequenos pode ser feita quinzenalmente, alternando com as contações da professora. O tempo deve ser definido de acordo com as possibilidades de seus alunos, mas não deve ser uma atividade muito longa, pois não há como manter a atenção da turma por muito tempo em apenas uma atividade.

- Orientações aos alunos

Seja uma mediadora e facilitadora na contação de história para seus alunos. Não se esqueça de que você orienta quanto às melhores formas de participação e desenvolvimento de todos. Estimule e encontre maneiras que possibilitem essa participação. Apoie a aprendizagem fazendo intervenções e os auxilie na resolução dos conflitos que provavelmente acontecerão durante a atividade. Converse e crie com eles os combinados.

A ideia é que os alunos tenham autonomia na contação, por isso, não se preocupe se nao sair da maneira como você planejou, pois tudo é aprendizado. Essa proposta é indicada para alunos de quatro a seis anos, mas com as devidas adaptações, pode ser realizada com outras faixas etárias.

Relacionando essa prática com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

Os campos de experiências e os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento que podem ser explorados nessa prática são os seguintes:

Campo de experiências TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS

EI03TS01: Utilizar sons produzidos por materiais, objetos e instrumentos musicais durante brincadeiras de faz de conta, encenações, criações musicais, festas.

EI02TS03: Utilizar diferentes fontes sonoras disponíveis no ambiente em brincadeiras cantadas, canções, músicas e melodias.

Campo de experiências CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS

EI03CG01: Criar com o corpo formas diversificadas de expressão de sentimentos, sensações e emoções, tanto nas situações do cotidiano quanto em brincadeiras, dança, teatro, música.

EI03CG02: Demonstrar controle e adequação do uso de seu corpo em brincadeiras e jogos, escuta e reconto de histórias, atividades artísticas, entre outras possibilidades.

Campo de experiências ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO

EI03EF04: Recontar histórias ouvidas e planejar coletivamente roteiros de vídeos e de encenações, definindo os contextos, os personagens, a estrutura da história.

Uma sugestão final: depois de algumas contações de seus pequenos, pode ser interessante convidar outras turmas de alunos e as famílias para serem ouvintes da contação de histórias da sua turma.

Espero que aproveitem essa sugestão de prática e incorporem a contação de histórias em suas rotinas, mas se já fazem assim ou algo parecido, conte aqui nos comentários!

Entrou por uma porta, saiu pela outra, quem quiser que conte outra!

Um grande abraço a todos e até a próxima semana,

Mara Mansani